- Publicidade -
- Publicidade -
22.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

217 voluntários tiraram 30m3 de lixo do Rio Camboriú

Os 217 voluntários que participaram da 4ª edição do mutirão Juntos pelo Rio Camboriú, no sábado (6), retiraram 30m3 de lixo do rio e suas margens e do Parque Natural Raimundo Malta, 12 a menos do que no ano passado.

Um dos organizadores do mutirão, Valdir de Andrade disse que o número de voluntários foi maior do que a edição de 2022, quando 189 pessoas estiveram presentes na limpeza do Rio Camboriú. 

“Foi positivo porque percebemos que em um local específico, na altura do Bairro Tabuleiro, onde a gente passou ano passado e em 2021 e tinha um volume grande de lixo, desta vez estava limpo e até com placa de proibido jogar lixo”, diz.

(Divulgação/Juntos pelo Rio Camboriú/Gabinete Victor Forte)

Como nas edições anteriores, a quantidade de lixo volumoso surpreendeu – foram retiradas partes de TV, geladeira, colchões e até um sofá, porém nesta edição em volume menor.

“Tinha volumosos, mas não tanto. Encontramos porta de geladeira, manequim de loja e até prancha de surf, mas o que mais encontramos foi plástico, como garrafa pet. Percebi que o que mais ‘abismou’ os voluntários foi o cheiro do Rio Camboriú, que está bastante forte, e a poluição da água”, comenta.

- Publicidade -

Fiscais do rio

Valdir disse que os voluntários foram também fiscais que viram de perto como está a situação do Rio Camboriú – que está praticamente ‘na UTI’, já que Camboriú não trata seu esgoto e a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Balneário Camboriú passa por sérios problemas e em alguns dias não chega a tratar nem 20% do esgoto. 

“O rio demonstra que está poluído por conta da ETE, quando há influência da maré, que sobe e desce, dá para perceber a diferença da coloração da água, que perto de onde desemboca a ETE, está mais escura. Por isso avalio que o mutirão é muito importante exatamente porque desperta a consciência ecológica, sensibiliza a comunidade e mostra o quanto é preciso fiscalizar, inclusive contamos com a participação dos vereadores Victor Forte e Anderson dos Santos, e o Alessandro Kuehne ‘Teco’ e o Eduardo Zanatta enviaram representantes, assim como o Nelson Oliveira, do Instituto do Meio Ambiente de SC (IMA), que esteve presente”, completa.

Ele acrescenta que a recuperação da ETE de Balneário é urgente assim como é urgente começar  o tratamento de esgoto em Camboriú, assim como o Parque Inundável, para auxiliar nas cheias e ser uma reserva de água para as duas cidades.

Vereador participou pela primeira vez

(Divulgação/Juntos pelo Rio Camboriú/Gabinete Victor Forte)

O vereador Victor Forte participou pela primeira vez da limpeza do rio e comentou que a grande quantidade de lixo jogado no Rio Camboriú é chocante. 

“Isso fica nítido estando lá para recolher a sujeira abandonada nesse que é um dos principais rios da nossa região… Tem de tudo, de garrafas a móveis. É um problema histórico e cultural que acontece em muitas cidades do Brasil, mas que aqui estamos tentando mudar dando o exemplo. Por isso, no sábado, fiz questão de ir até lá para ajudar na força-tarefa de limpeza. Quando o assunto é meio ambiente, todos nós devemos nos preocupar e fazer parte de ações que visam protegê-lo”, afirmou.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -