- Publicidade -
- Publicidade -
22.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Centro de Valorização de Materiais e Ponto de Entrega Voluntária serão inaugurados neste sábado em Balneário Camboriú

O Dia Mundial do Meio Ambiente foi celebrado na quarta-feira (5), mas em Balneário Camboriú e região a programação que lembra a data segue até este fim de semana. Na cidade o destaque é o lançamento do Arboriza BC, ocorrido na quarta-feira, e as inaugurações do Ponto de Entrega Voluntária e do Centro de Valorização de Materiais – que acontecem neste sábado (8), ocasião em que ainda será feito o replantio de uma figueira que tem entre 120 e 150 anos, que será transplantada do Bairro da Barra.

Programa de arborização urbana

O(Divulgação/Semam)

O Arboriza BC foi lançado esta semana com o objetivo de aumentar a participação da comunidade nas ações de arborização das calçadas da cidade.

“Vai funcionar de maneira bem simples – a pessoa vai abrir o protocolo ali pelo 1Doc, no site da Prefeitura. Já temos um assunto que foi publicado SMA-Arboriza BC, e ali a pessoa só vai preencher o nome, o contato e o endereço, também vai poder colocar uma foto ali do local que ela quer o plantio, na sua própria calçada”, disse a secretária do Meio Ambiente, Eduarda Montibeller. 

- Publicidade -

A equipe técnica da SEMAM vai ao local verificar se aquela calçada tem condições de receber uma nova muda, uma nova árvore. Será avaliada a largura da calçada, se tem conflito com fiação elétrica, com acessibilidade, com alguma tubulação, e, se tiver as condições adequadas, essa pessoa vai receber um parecer favorável para inclusão daquele ponto nos novos plantios a serem feitos na cidade. 

“A ideia é utilizar esses pontos que a população mesmo vai solicitar para que as compensações ambientais sejam feitas mediante esses plantios. Então, quando uma pessoa interessada ou uma construtora for cortar árvores no seu terreno para fazer algum prédio ou alguma coisa assim, ela vai ter que compensar mediante o plantio nas calçadas, nesses pontos que a própria população solicitou”, acrescenta Eduarda.

Balneário Camboriú vai inaugurar Ponto de Entrega Voluntária e Centro de Valorização de Materiais

A figueira que será transplantada neste sábado (Divulgação/Semam)

Em alusão realmente ao Dia Mundial do Meio Ambiente, Balneário Camboriú vai inaugurar, neste sábado (8), dois espaços importantes para execução da Política Pública de Resíduos Sólidos do Município: o Ponto de Entrega Voluntária de Pequenos Volumes (PEV) e o Centro de Valorização de Materiais (CVM). 

A cerimônia de inauguração de ambos os espaços será às 11h, na sede do PEV, na Avenida Hermógenes Assis Feijó, esquina com Rua Adaci Santos Gomes, no Bairro da Barra. 

Na frente do PEV, será feito o replantio de uma figueira que tem entre 120 e 150 anos, que será transplantada do Bairro da Barra (de um terreno entre as ruas José Francisco Vitor e Emanoel Rebelo dos Santos), porque no local uma rua será aberta.

“No sábado (8) vai ter um evento para a inauguração do PEV da região sul, lançamento do CVM e lançamento do projeto piloto de compostagem. No dia estaremos distribuindo mudas e chás para a comunidade e o ReciclaBC estará no evento com atividades de educação ambiental para as crianças. Além disso, teremos o transplante de uma Figueira centenária”, conta Eduarda.

Saiba mais sobre o PEV

(Divulgação/PMBC)

Unidade para onde são destinados resíduos específicos, o PEV do Bairro da Barra é o segundo de Balneário Camboriú. 

- Publicidade -

O primeiro foi inaugurado em fevereiro de 2020 e está localizado ao lado da Secretaria de Obras (Avenida Santa Catarina, nº 801, no Bairro dos Estados). 

Para o PEV, podem ser encaminhados resíduos da construção civil, de podas, recicláveis em geral, móveis, incluindo equipamentos de ar-condicionado; eletrodomésticos da linha branca (fogões, geladeiras, freezers, lavadoras, equipamentos de refrigeração e etc.); eletrodomésticos em geral de pequeno porte como secador de cabelo, ventilador, liquidificador, etc, e resíduos recicláveis no geral como vidro, papel/papelão, metais e plástico. 

O PEV abrirá de segunda a sábado, das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h50, mesmos dias e horários da unidade do Bairro dos Estados.

No PEV não são recebidos pilhas e baterias; pneus; medicamentos vencidos; latas e restos de tinta; lâmpadas fluorescentes; e, embalagens de agrotóxicos ou óleos lubrificantes. 

Há um funcionário da empresa Ambiental nos PEVs, responsável por verificar se os resíduos trazidos pelos moradores se enquadram nos tipos e quantidades aceitas, bem como orientar quanto aos locais corretos para disposição dos resíduos.

Centro de Valorização de Materiais (CVM)

(Divulgação/Semam)

Localizado no bairro Canhanduba, em Itajaí, o CVM ocupa uma área de aproximadamente seis mil metros quadrados. É um espaço destinado à separação correta dos resíduos recicláveis, garantindo a valorização dos materiais e a correta destinação para a reinserção na cadeia produtiva. 

Sua implantação colabora para o aumento do percentual de resíduos recicláveis coletados no município, via coleta seletiva regular.

Os equipamentos do CVM, que ficam em um galpão pré-moldado de aproximadamente 1.800 metros quadrados, contribuem para a otimização da produtividade e aumento da segurança da operação na etapa de separação manual, remoção de rejeitos finos, fragmentos de vidro e eventuais contaminantes orgânicos. 

Os principais componentes da estrutura são: moega de alimentação (garante um fluxo contínuo de materiais para a separação), peneira de discos (possibilita a remoção de rejeitos finos), esteira de triagem manual (em posição elevada, com postos de trabalho definidos, aumenta a produtividade geral) e separador magnético (remove a fração de metais ferrosos automaticamente). 

O CVM tem também prensas, balança, caçambas, empilhadeira, entre outros equipamentos. 

Na esteira de triagem, são separados materiais recicláveis como papel e papelão, plásticos, vidro, alumínio e embalagens tipo longa vida. 

Os resíduos triados passam por enfardamento para posterior comercialização, enquanto os rejeitos são encaminhados para o aterro sanitário de Itajaí. 

Trabalham no CVM, desde janeiro deste ano, catadores da Coopertop, cooperativa selecionada por meio de edital de chamamento público para operar a estrutura. 

O CVM tem refeitório, vestiários, sanitários, sala multiuso, instalações administrativas, estacionamento e pátio de manobras.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -