- Publicidade -
- Publicidade -
27.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Obra de dragagem do Rio Marambaia tem previsão de estar pronta até a temporada

A obra de dragagem do Rio Marambaia, uma das mais esperadas pela população, especialmente a vizinhança do canal, porque ela deverá acabar com o mau cheiro e a cor escura, está andando dentro do prazo, com expectativa de estar concluída antes da temporada.

O diretor geral da Emasa, Douglas Costa Beber, disse que a obra começou em 26 agosto com previsão de término em três meses, portanto, final de novembro.  

Até o último dia 28, a empresa havia retirado cerca de 4 mil m3 de lodo do fundo, portanto faltam ainda 2 mil m3, de acordo com a previsão inicial de retirar 6 mil m3 ao todo.

- Publicidade -

Douglas disse que foram feitos alguns ajustes para acelerar a obra que começou com a retirada de uma média de 20 m3 por dia, equivalente a 12 caçambas. 

“Pedimos mais celeridade para a empresa, que fazendo alguns ajustes na logística, conseguiu chegar na retirada de lodo diária em torno de 150 m3, passando para 79 caçambas”, disse Douglas.

A obra que custará R$ 633 mil é executada por meio da Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMASA), foi autorizada pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA). 

“Nestes 30 dias que faltam esperamos finalizar, ou seja, estamos com a obra dentro do previsto, retirada dos 6 mil m3, e a cada dia temos uma equipe nossa com a equipe da empresa fazendo uma avaliação de tudo que é retirado”, segue o diretor da Emasa.

A saúde do rio

“O objetivo desta obra é melhorar as condições do Marambaia com a retirada desse lodo, para que tenhamos uma temporada sem aquele cheiro insuportável no rio, e também uma temporada sem aquelas manchas escuras na água”, reforçou.

Douglas disse que é preciso levar em conta que o Marambaia tem algumas condições muito particulares, e por isso a Emasa vem fazendo uma avaliação diária nos últimos 15 dias, inclusive avaliação final, para saber se será necessária alguma outra intervenção.

“Porque tem aquele ponto, onde ficam os pescadores, o deck deles, o que será feito, se vamos retirar e recolocar, é uma questão em discussão com o governo para ver se existe alguma saída, alternativa,”, acrescentou.

- Publicidade -

População precisa ajudar

O diretor da Emasa lembrou que somente a obra não é o caminho para resolver esse problema tão antigo.

“Precisamos que a população colabore, faça suas ligações, corrigindo problemas internos nos imóveis e depois da dragagem, temos que avançar na continuidade do licenciamento para obras mais estruturais dentro do rio, inclusive um futuro parque linear, para que as pessoas possam aproveitar o rio Marambaia.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -