- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú

Plano Municipal de Balneário Camboriú para proteger a Mata Atlântica começa com trabalhos de campo

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

O levantamento para elaborar o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica (PMMA). Previsto na Lei da Mata Atlântica (Lei Federal nº 11.428/2006), inicia nesta terça-feira (17), com os trabalhos de campo.

A pesquisa começa em áreas de vegetação e morrarias e será feita pela empresa Alto Uruguai, vencedora da licitação.

A secretária do Meio Ambiente, Heloísa Lenzi Furtado, explicou que trata-se de um documento de natureza técnica.

“O PMMA está previsto no artigo 38 da Lei da Mata Atlântica e é a oportunidade do município conhecer seu patrimônio Florestal  e definir ações para sua proteção e uso sustentável. Ele deverá apresentar um diagnóstico e apontar as diretrizes de forma mais personalizada para que o poder público possa agir ou buscar parcerias para preservar a Mata Atlântica e os ecossistemas associados que temos em Balneário Camboriú”, detalhou.

A Mata Atlântica

- Publicidade -

Na Mata Atlântica vivem cerca 850 espécies de aves, 370 de anfíbios, 200 de répteis, 270 de mamíferos e 350 de peixes, junto com 20 mil espécies vegetais, o que representa 35% das existentes no Brasil, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente. 

As florestas e demais ecossistemas que compõem a Mata Atlântica são responsáveis pela produção, regulação e abastecimento de água; regulação e equilíbrio climáticos; proteção de encostas e atenuação de desastres; fertilidade e proteção do solo; produção de alimentos, madeira, fibras, óleos e remédios; além de proporcionar paisagens cênicas e preservar um patrimônio histórico e cultural imenso.

Informações: Secretaria do Meio Ambiente de Balneário Camboriú – (47) 3267-7080/(47) 9 9982-2272

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -