- Publicidade -
- Publicidade -
21.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

‘Somos Rio, Somos Oceano’, projeto do CAU Tijucas movimentou estudantes e especialistas

O evento e o projeto foram endossados pela Década da Ciência Oceânica Coi/Unesco

Na Década das Nações Unidas da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (Década do Oceano, 2021-2030), a cultura oceânica vem para estreitar o distanciamento entre o oceano que temos e o oceano que queremos ter. No lançamento da Década, o termo ‘Oceano’ é utilizado no singular, com o intuito de pensarmos em um ‘Oceano global’, que precisa de cuidados e de atenção cada vez maior da população. 

Com base nesta proposta, o Colégio de Aplicação da Univali – CAU Tijucas, foi sede do evento ‘Somos Rio, Somos Oceano’, que corresponde a um projeto nesta instituição voltado à Cultura Oceânica. 

Como parte do evento ocorreu o Seminário no último dia 17, composto por dois painéis, ambos moderados pelo presidente do Instituto Selo Social Fernando Assanti.

- Publicidade -

O Conhecimento Científico em Favor do Oceano

Divulgação/CAU/Univali

Esse painel reuniu especialistas de instituições de ensino superior como a Univali, representada pelo Prof. Dr. Márcio Tamanaha, IFSC representado pelo professor Dr. Leonardo Machado e UDESC, representada pelo prof. Dr. Oseias Pessoa. Eles falaram sobre descobertas e inovações para a preservação dos oceanos, destacando a importância da pesquisa e destas instituições para a comunidade. 

Cultura Oceânica – Do Global ao Local

Divulgação/CAU/Univali

Neste painel, discutiu-se a importância da cultura oceânica em escala global contando com a colaboração do Prof. Dr. Ronaldo Cristofoletti (Unifesp), presidente do Grupo de Especialistas em Cultura Oceânica da COI UNESCO. 

Em nível nacional marcou presença a Prof. MSc. Camila Keiko (Unifesp), representante da Aliança Brasileira pela Cultura Oceânica, além da participação do Prof. MSc. Alexandre Simon, Diretor do CAU Tijucas  e Profª. MSc. Mell Cardoso Conte, Coordenadora do Curso de Direito Campus Tijucas. 

Eles apresentaram as perspectivas locais e inovações que estão sendo realizadas na instituição para a valorização do litoral de Tijucas e como a instituição pode estar presente em  iniciativas para o cuidado da saúde deste litoral.

A importante presença da arte

A artista Ligia Spernau apresentando o projeto Ex-tampa (Divulgação/Arquivo Pessoal)

Além disso, o evento contou com oficinas  de Arte Sustentável das artistas de Balneário Camboriú, Arlene Dellatorre, e Projeto Ex-tampa, de Lígia Spernau.

A artista Lígia Spernau, de Balneário Camboriú, disse que foi uma importante contribuição para a conscientização ambiental, através de ações educativas em arte.

“A promoção de encontros como esse enriquecem os processos de ensino e aprendizagem e são muito produtivos”, declarou Lígia.

- Publicidade -
Divulgação/Univali

Durante o evento aconteceu o lançamento do Livro Marvin, o amigo do oceano, com Juliana Simon, além de atividades com o Lacre e tampinhas – Rotary Clube Atlântico Sul de Balneário Camboriú, Lanci Madeira Plástica, Laboratórios da Univali  de Ecotoxicologia, Geologia, Mergulho Científico, Ficologia, Oceanografia Química, PMP – Projeto Monitoramento de Praias, Museu Oceanográfico, Projeto Aprendendo com o Mar – IFSC e Escola do Mar – Bombinhas, além de trabalhos realizados pelos alunos do Ensino Médio da instituição. 

“O evento foi endossado pela Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável COI / UNESCO e proporcionou uma plataforma valiosa para a troca de conhecimentos, a conscientização e o compromisso com a proteção dos oceanos. As oficinas e painéis desempenharam um papel crucial na educação e inspiração de todos os participantes, reforçando nossa determinação em preservar esse ecossistema e aproximar as pessoas das águas salgadas”, disse o diretor responsável pelo evento, Alexandre Simon. (https://www.instagram.com/p/Cyt1CTVOnRd/).

Divulgação/CAU/Univali

A professora Vanessa Simon, que atua como voluntária no CAU Tijucas, destacou a importância da participação de instituições de ensino superior como a UDESC, Univali e IFSC, “para falar como estas instituições podem aproximar o conhecimento científico em prol da saúde Oceânica”, disse.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -