- Publicidade -
- Publicidade -
22.5 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Polícia vai ouvir parentes de mulher e empresário encontrados mortos em Itapema

(UOL/FOLHAPRESS) – O delegado Ícaro Malveira, da Polícia Civil de Santa Catarina, afirmou que vai colher o depoimento de familiares do casal encontrado morto em Itapema (SC) ainda nesta semana.

A polícia tenta descobrir motivação do crime. Na quinta-feira (18), serão iniciados os depoimentos dos parentes e amigos de Eduarda Gorgik, de 25 anos, e do empresário Sergio Correa, de 59, informou o delegado responsável pelo caso.

Malveira afirmou que a perícia nos celulares dos dois, recolhidos nesta segunda-feira (15) pela Polícia Científica de Santa Catarina, devem ajudar a investigação.

- Publicidade -

Eduarda escondeu celulares antes de morrer. No sábado (13), uma câmera de segurança flagrou Eduarda guardando seu celular e o de Sergio em uma caixa de hidrante no prédio onde foram encontrados mortos, segundo o portal NSC Total.

Para o delegado, a hipótese principal é que o empresário Sergio Correa, de 59 anos, matou Eduarda Gorgik, de 25, e então tirou a própria vida. Foi encontrado um revólver próximo ao corpo do empresário.

O empresário tinha passagens pela polícia. A Polícia Militar de Santa Catarina informou que havia registros contra Sergio Correa por ameaça e lesão corporal.

“ARRANCADA DE MIM”, DIZ IRMÃ DE EDUARDA

Irmã de Eduarda fez publicações sobre a morte da mulher em suas redes sociais. “Meu coração está em pedaços”, escreveu Elaine Gorgik, irmã de Eduarda, “Você foi arrancada de mim, essa dor me consome”.

“Você foi arrancada de mim, essa dor me consome, minha bonequinha. Como vou viver sem você, Duda? Sem o seu sorriso, suas biras (sic). Minha menina de coração bondoso, desde o dia em que te segurei nos braços te amei de todo o coração. Que Deus te receba minha estrelinha, cuida de nós daí de cima!”, continuou a irmã.

EM CASO DE VIOLÊNCIA, DENUNCIE

- Publicidade -

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 -Central de Atendimento à Mulher- e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

PROCURE AJUDA

Caso você tenha pensamentos suicidas, procure ajuda especializada como o CVV (Centro de Valorização da Vida) e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade. O CVV funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -