- Publicidade -
- Publicidade -
26 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Suposta agressão a homem com deficiência por guardas municipais é apurada em Balneário Camboriú

Um morador de Balneário Camboriú, que possui deficiência intelectual, foi agredido na tarde da última sexta-feira (26), na Rua 3.100, no Centro da cidade.

A agressão está sendo investigada, porque há suspeita de que teria sido cometida por guardas municipais.

A Secretaria de Segurança busca por testemunhas e imagens da cena do crime.

- Publicidade -

A prefeitura de Balneário Camboriú emitiu nota informando que está apurando a denúncia de agressão por dois guardas municipais e que um processo administrativo foi aberto. A nota diz ainda que ‘tão logo sejam identificados os autores, os guardas serão afastados imediatamente’.

Provavelmente o Ministério Público tambme promoverá investigações.

O secretário de Segurança da cidade, Antônio Gabriel Castanheira Junior, explicou que até a manhã desta segunda-feira (29) há poucas informações sobre o caso. A família da vítima deverá ser ouvida ainda hoje.

“Não temos praticamente nada [de informação]. Começou a correr nos grupos de WhatsApp que teria tido agressão, que possivelmente poderia ser a Guarda Municipal. Assim que soubemos disso, pedimos que a família procurasse a Corregedoria para passar as informações que eles têm”, explicou.

Castanheira disse que testemunhas informaram que havia um Chevrolet/Spin na cena do crime – modelo de carro utilizado como viatura pela Guarda Municipal.

“Quando soubemos da suspeita, fomos atrás. Pedimos a relação de guardas em serviço no dia e durante todo o fim de semana estivemos correndo atrás para saber se foram guardas, e se foram, quem foi. Estamos tentando coletar imagens para entender. É um fato – o morador foi agredido, mas não sabemos por quem. Ele possui deficiência intelectual, é complicado entender o que ele fala. Por isso, estamos buscando imagens e testemunhas. Até o momento, nenhum GM se pronunciou. A investigação está sendo interna”, informou.

Com as imagens do local, espera-se conseguir dados para entender o que de fato aconteceu.

- Publicidade -

“A família diz que ele foi agredido, e quanto a isso não há dúvidas, mas não sabem se foi por guardas. Por isso, iremos ouvi-los. Com as características físicas, que esperamos que testemunhas nos passem, iremos saber quem foi. A investigação ainda é preliminar, se o Spin citado for viatura, se abre processo administrativo e ao identificarmos suspeitos, afastamos de imediato”, completou Castanheira.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -