- Publicidade -
- Publicidade -
20.3 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Ana Moser cita ‘tristeza e consternação’ após ser trocada por Lula por indicado do centrão

(FOLHAPRESS) – A ministra demitida do Esporte, Ana Moser, divulgou uma nota nesta quarta-feira (6) na qual lamenta a sua saída do cargo, em particular a interrupção em tão pouco tempo de uma política para a área.

Segundo a nota, do Ministério do Esporte, Ana Moser disse ao próprio presidente Lula (PT), no encontro em que sua saída foi anunciada, que promessas de campanha do petista para o esporte acabaram tendo tão pouco para serem implementadas.

Ana Moser foi demitida nesta quarta, na primeira grande reforma ministerial de Lula, para abrir espaço para a entrada do centrão no governo. O governo tem o objetivo de ampliar a sua base de apoio no Congresso, para aprovar medidas de seu interesse

- Publicidade -

A nota deixa claro que Ana Moser foi comunicada da decisão do governo de mudança iminente no comando do Ministério do Esporte. Ou seja, em nenhum momento ela teria colocado o cargo a disposição.

“Durante a conversa, Ana Moser lamentou que as promessas de campanha, de um esporte para toda a nação, tenham tido tão pouco tempo para que se desenvolvessem na retomada da gestão do Ministério do Esporte voltada para a implementação de uma política que efetivasse o direito social à prática esportiva”, afirma a nota do ministério.

Durante o encontro, ela teria apresentado ao presidente as ações já implementadas, assim como as entregas previstas. Há alguns meses, Lula exaltou que Ana Moser estava trabalhando para trazer para o Brasil a realização da Copa do Mundo feminina de futebol.

“Esta gestão vê com tristeza e consternação a interrupção temporária de uma política pública de esporte inclusiva, democrática e igualitária no governo federal, mas entende que este caminho apenas começou a ser trilhado. A ministra e a equipe do Ministério do Esporte vão continuar trabalhando e contribuindo para a política pública de esporte no Brasil, mantendo o sonho de todos que acreditaram no trabalho deste grupo”, afirma o texto.

A nota ainda cita uma declaração de Ana Moser, na qual agradece a Lula pela confiança.

“Tivemos pouco tempo para mudar a realidade do Esporte no Brasil, mas sei que entregamos muito, construímos muito e levamos a política do presidente Lula aos que tivemos contato de norte a sul deste país. Continuarei lutando e contribuindo para uma política pública de esporte que seja para todas, todos e todes. Agradeço aos que tiveram comigo percorrendo este caminho curto e árduo”, conclui a ministra demitida.

Ana Moser, 55, é atleta olímpica de destaque, sendo uma das melhores do mundo da sua geração no vôlei. Aposentada, tornou-se uma ativista da área do esporte, trabalhando com movimentos sociais e na formatação de políticas públicas. Tornou-se uma aliada e entusiasta de primeira hora da candidatura de Lula.

- Publicidade -

Ela contou com o apoio da classe esportiva, com algumas personalidades lamentando a sua saída da pasta em menos de um ano da atual gestão.

No lugar de Ana Moser, assume o deputado federal e líder do PP na Câmara, André Fufuca (PP-MA). O parlamentar é correligionário e aliado próximo do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL). Lula e Lira trataram em diversos encontros da entrada do centrão no governo.

Além de Fufuca, também entra no governo o deputado federal Silvio Costa Filho (Republicanos-PE), que vai assumir o Ministério dos Portos e Aeroportos. Ele assume o lugar de Márcio França, que assume a recém-criada pasta da Micro e Pequenas Empresas.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -