- Publicidade -
- Publicidade -
14.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

“Transporte público é o que exige urgência”, diz nova diretora da BC Trânsito

Delegada Magali Ignácio assumiu esta semana e falou sobre os desafios que tem pela frente

A Autarquia Municipal de Trânsito de Balneário Camboriú (BC Trânsito) está sob nova direção desde a última segunda-feira (6), a delegada aposentada Magali Ignácio, que por muitos anos dirigiu a Delegacia Regional de Balneário Camboriú e possui especialização na área de Trânsito, inclusive tendo atuado como consultora jurídica no Departamento Nacional de Trânsito. Ela substitui Ricieri Ribas.

Magali recepcionada pelo prefeito Fabrício (Divulgação/PMBC)

Magali foi indicada através de seu partido, o MDB, que deixou de ser oposição ao governo de Fabrício Oliveira em troca de cargos no alto escalão. Além de Magali, Marcelo Achutti está no comando da Educação e Elizeu Pereira assumiu a Subprefeitura da Região Sul. 

Ao Página 3, ela disse que a nova função tem sido um desafio e que por mais que tenha trabalhado na área do Trânsito por muitos anos, estar dirigindo a BC Trânsito é uma ‘complexidade maior’. 

- Publicidade -

“É uma honra e coroamento de toda uma vida voltada ao estudo do trânsito. Eu já trabalhava no sentido de fiscalização, prevenção e educacional, mas na BC Trânsito há também engenharia de tráfego, transporte escolar, transporte público, e ainda fiscalização, modais, variantes, atribuições do Código de Trânsito, estacionamento rotativo, transporte por aplicativo… ou seja, é um desafio muito grande! O trânsito sempre foi uma paixão, fui a primeira delegada do Brasil a ser especialista em Segurança no Trânsito, fundei a primeira Delegacia de Trânsito de Balneário, juntamente com a primeira Delegacia da Mulher, por conta disso cheguei a presidir o Conselho Estadual de Trânsito e atuei também no Departamento Nacional de Trânsito por cinco anos”, contou.

Transporte coletivo é urgência

A nova diretora pediu ao prefeito Fabrício Oliveira um mês para fazer um ‘raio x’ da complexidade da BC Trânsito e entender as necessidades e problemas que precisam ser solucionados. 

“Sabemos que existem problemas. Balneário é uma cidade pequena, com malha viária pequena para um volume veicular muito denso. Todo mundo tem seu carro, cada família tem dois, três veículos… sabemos que precisamos de transporte público de qualidade para mudar a mentalidade das pessoas. Quando havia o Bondindinho, ele era muito utilizado por turistas e moradores. Vejo que um dos maiores desafios é o transporte público, é o que exige urgência”, acrescentou.

Magali destacou também a nova sede da BC Trânsito, localizada na Marginal Leste com a Rua 2.870, no Centro da cidade, que veio para somar e dar mais qualidade aos agentes de trânsito e comunidade que lá é atendida. 

Ricieri e Magali (Divulgação/PMBC)

“Tenho que parabenizar o então diretor, Ricieri Ribas e equipe do BC Trânsito, que buscaram qualidade, porque a antiga sede deixava muito a desejar. Estamos na fase de implantação, a mudança foi semana passada, mas falta muita coisa, mas já foi um avanço a autarquia ter sede, mesmo sendo alugada, e condizente com atribuições, para atender bem o público externo tem que atender bem o público interno, para trabalhar motivado”, pontuou.

Educação é o caminho para um trânsito mais seguro

Sobre os projetos à frente da BC Trânsito, Magali citou a Escola Pública de Trânsito, que já implantada e funcionará no prédio antigo da autarquia, localizado na Avenida Santa Catarina, no Bairro dos Estados. 

A diretora defende que o caminho para um trânsito mais seguro está na educação e conscientização de todos – pedestres, motoristas, motociclistas, ciclistas, etc. 

- Publicidade -

“Todos precisam ser conscientizados, desde o motorista que não para na faixa ou para muito em cima, como também o pedestre que atravessa falando no celular e nem vê se tem veículo vindo, os motociclistas que não respeitam, os ciclistas que não andam na ciclovia… há muita falta de educação no trânsito, que é um espaço humano e democrático, mas que exige noção e postura”, opinou.

Primeira reunião com parte da equipe (Divulgação/PMBC)

Diante disso, a diretora disse que pretende realizar mais campanhas educativas pelas ruas de Balneário, escolas e também no transporte escolar e coletivo, pois o resultado de um trânsito mais seguro depende da postura de cada um. 

“Queremos atingir aquele motorista que tem vício de dirigir, que não dá sinal ao entrar numa via ou fazer ultrapassagem. Eu tive essa visão quando fui presidente do Conselho Estadual de Trânsito e consultora jurídica do Departamento Nacional de Trânsito – sempre investimos muito na parte de educação, tem que relembrar, chover no molhado, porque é através da conscientização que vamos conseguir melhorar. Tem que despertar, dar um puxão de orelha, pois se não, fica no viés de ‘só vou respeitar se um agente de trânsito estiver olhando’, e esse definitivamente não é o caminho. Exige uma postura preventiva para garantir a sua segurança e dos demais”, completou.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -