- Publicidade -
- Publicidade -
19 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Turismo e Meio Ambiente na tribuna livre do Legislativo

A presidente do BC Convention, Margot Rosenbrock Libório e o professor da Univali, Paulo Ricardo Schwingel ocuparam a Tribuna Livre do Legislativo na sessão ordinária desta terça-feira (2), para falar sobre assuntos relacionados a turismo e meio ambiente, respectivamente. 

Aplicativo Movimenta BC

“Quisemos mostrar o que nos motivou, como Convention Bureau, a convidar a cidade a se unir no processo de retomada. O processo não é fácil, porque primeiro tivemos a questão do período eleitoral, então os assuntos eram Covid e eleições, logo na sequência tivemos a segunda onda da Covid (justamente causada pelas aglomerações eleitorais, principalmente das campanhas) e agora, quando começamos novamente a respirar, somos surpreendidos pela terceira onda da doença. Porém, por mais difícil que seja, temos que aproveitar este tempo para reforçar nossa união como cidade, como destino turístico, para assim que possível ‘movimentar BC’”, disse Margot.

- Publicidade -

Ela apresentou as estratégias do Movimenta BC, que é um aplicativo que está dentro de um conceito e um projeto muito mais amplo: Movimenta a Cultura, Movimenta os Esportes, Movimenta os Negócios, Movimenta a Cidade, Movimenta Você.

“Importante que todos ajudem a divulgar, queremos motivar o comerciante a fazer parte, temos uma filosofia associativa e é isso que motiva e para isso precisamos do empenho de todos nessa retomada econômica e do turismo”, detalhou Margot.

Disponibilidade Hídrica

O professor Paulo Schwingel (Foto Márcio Gonçalves)

O professor Paulo Ricardo Schwingel, integrante do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú, que já presidiu por 4 anos, falou sobre o Plano de Recursos Hídricos.

Ele explicou que o foco atualmente é a disponibilidade hídrica.

- Publicidade -

“É uma preocupação porque consumimos mais do que a capacidade de fornecimento da região. Há uma projeção que sinaliza que em 2025 vamos ter uma demanda maior que a disponibilidade. É preciso trabalhar urgente essa questão”, disse.

Entre várias iniciativas necessárias, como estimular a consciência de cada um sobre a necessidade de economizar água, o professor destacou o programa Produtor de Água, uma iniciativa da Emasa, com objetivo de preservar áreas de mananciais; o Plano de Ações que os candidatos a prefeito de Balneário Camboriú e Camboriú, agora reeleitos, apoiaram. Também destacou a Moção que o Comitê endereçou em dezembro do ano passado para os Conselhos da Cidade, prefeitos, presidentes legislativos dos dois municípios, recomendando a suspensão de aprovações, concessões de alvarás e licenciamentos para construção de novos empreendimentos de grande porte na Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú, enquanto não for iniciada a implantação do Parque Inundável Multiuso, infraestrutura imprescindível para aumentar a disponibilidade hídrica na Bacia Hidrográfica, através da reservação de água bruta.

Projeto e parecer

Na Ordem do Dia da sessão ordinária foi apresentado em primeira discussão o Projeto de Lei Ordinária 3/2021, do vereador Victor Forte, que institui a campanha “Dezembro Verde”, de combate ao abandono de animais em Balneário Camboriú.

- Publicidade -

O plenário manteve, com 14 votos favoráveis e três contrários (dos vereadores André Meirinho, Juliana Pavan e Nilson Probst), o parecer contrário da Comissão de Justiça e Redação do Legislativo ao Projeto 6/2021, do vereador Nilson Probst (MDB), que dispõe sobre a instalação de sistema de segurança conhecido como “botão do pânico” nas escolas públicas e privadas do município.

Segundo o parecer, a proposição “acaba por ferir os princípios da iniciativa privada quando inclui as escolas particulares, além de ordenar ao Poder Público, que crie mecanismos para o cumprimento da norma, ferindo o Art. 50 da Lei Orgânica do Município, visto que cria atribuições às secretarias, que trata-se de matéria privativa do prefeito. Não obstante tal normativa, se aprovada, geraria aumento das despesas públicas para ser colocada em prática, ferindo a Lei de Responsabilidade Fiscal”. O projeto será arquivado.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: