- Publicidade -
- Publicidade -
23.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Vereador Achutti aponta fila de espera para cirurgias eletivas de 3.703 pessoas

O vereador Marcelo Achutti fez um levantamento sobre a fila de espera de moradores por cirurgia eletiva e encontrou 3.703 pessoas esperando por procedimentos nas mais diversas modalidades, como ginecologia, ortopedia, mastologia, hérnia, neurocirurgia, oftalmo, otorrino, proctologia, catarata, varizes, urologia, plástica, dentre outras. A secretária de Saúde da cidade, Leila Crócomo, explicou a situação.

O que diz o vereador

Achutti diz que o problema é grave, mas que não faz críticas ao prefeito Fabrício Oliveira, já que a situação acontece nos 11 municípios da região da Amfri. 

“Votamos na quarta-feira (19) um projeto que deu mais de R$ 700 mil para a Amfri, de superávit; e a Amfri não consegue fazer uma reunião com os secretários de Saúde para debater o problema das cirurgias eletivas. Cada município tem esse problema e Balneário não tem mais como fazer cirurgias eletivas, porque 80% do dia o Hospital Municipal Ruth Cardoso está cheio de urgência e emergência”, diz.

O vereador salienta que entende que não é culpa de Balneário, mas fica se perguntando se os políticos que ‘puxaram o saco’ do atual governador, Carlos Moisés, que não conseguiu se reeleger, discutirão o tema com o próximo governador do Estado – Jorginho Mello ou Décio Lima. 

“Precisamos repactuar os hospitais da região, fazer mutirão de cirurgia… com os R$ 700 mil que demos para a Amfri, quantas cirurgias poderiam ser feitas? Mesmo entendendo que o prefeito Fabrício está fazendo o dever de casa, porque Balneário banca o hospital sozinho praticamente, precisamos fazer algo. Tem mulher aguardando cirurgia de ovário desde 2013! Tem pessoa esperando retirada de hérnia desde 2016. Não sei se estão na fila ainda, talvez já operaram no particular, mas precisamos resolver. Quero conversar com vereadores da região para ir na Secretaria de Estado da Saúde para que encaminhem as cirurgias eletivas, seja em Balneário, em Itajaí, Camboriú… são eles [Governo de SC] que credenciam os hospitais para fazer”, completa.

- Publicidade -

Secretária da Saúde explica

A secretária da Saúde de Balneário Camboriú, Leila Crócomo, explicou que há várias filas, de cada especialista, mas que dificilmente uma pessoa que espera por cirurgia de ovário está na fila desde 2013. 

Uma demora assim seria para algo de alta complexidade ou que depende do Governo do Estado, em casos como prótese de quadril ou de joelho, por exemplo. 

“Quando é procedimento nosso, fazemos higienização de fila, porque às vezes o cadastro está bloqueado, a pessoa se mudou de Balneário… mas não acredito que temos uma fila de 3.700, pode estar na metade disso, tipo 1.500 pessoas. Mas se unirmos com as consultas, pode dar esse quantitativo, sim, mas cirurgia não deve estar em tudo isso, não”, diz.

Leila aponta que a cirurgia de catarata é a mais procurada e que realizam muitas por mês. 

“Há cirurgias plásticas que dependem do estado, aí pode demorar mais. Se há mulher esperando desde 2013 por cirurgia no ovário, precisamos da fonte para ir atrás e resolver isso, mas sempre fazemos higienização das filas, para saber se está há muito tempo ou não, se fez a cirurgia particular… mutirões de cirurgias eletivas fazemos quando temos orientação do Estado, mas sempre procuramos fazer quando há necessidade”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -