- Publicidade -
- Publicidade -
15.6 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Vereador Achutti cobra apoio do governo do Estado para manter o Hospital Ruth Cardoso

O vereador Marcelo Achutti lembrou que na última semana (26/05) completou seis anos de quando fez uma camiseta com a frase: ‘Governador, ajude no custeio do Ruth!’, o que até hoje não se tornou realidade, porque o hospital que é municipal, segue atendendo toda a região. 

Deputado Ivan Naatz pediu apoio ao Governo de SC na Alesc, com a camiseta de Achutti, em 2019

Antes da pandemia, Balneário Camboriú investia pelo menos R$ 1,7 milhões/mês na manutenção do hospital (com valores que chegaram a mais de R$ 4,5 milhões/mês, em 2019), superando os R$ 40 milhões/ano. Com a pandemia, esse valor deve ter aumentado bastante. O jornal procurou a Secretaria de Saúde e a Comunicação da prefeitura para saber qual tem sido a verba destinada, mas não recebeu uma resposta. 

Prefeitura não atualiza informações sobre verba 

- Publicidade -

“Passaram-se seis anos e ainda continuamos com a mesma história, de que o Estado não pode repassar verbas para custeio da unidade. Mas isso é uma grande mentira, pois outras unidades recebem recursos. É possível sim, o que está faltando é vontade política e mais compromisso para com a nossa região”, disse Achutti. Ele estreou a camiseta pedindo ajuda ao Estado em 26 de maio de 2015, em uma sessão legislativa.

Prefeito Fabrício pediu apoio na AMFRI, em 2017 (Divulgação/Gabinete Marcelo Achutti)

O vereador diz que o município não está atualizando informações sobre os gastos com a manutenção do Hospital. 

“Com o Covid não sabemos quanto a prefeitura gasta. Dizem que estão repassando verbas e priorizando a Saúde, mas quantos novos leitos abrimos em Balneário? Estou achando estranho e, quando a situação melhorar, quero fiscalizar”, acrescenta. 

Projeto sobre gastos com Covid não entrou para votação 

Achutti protocolou um projeto em 2020 para que a prefeitura informe no Portal da Transparência os gastos com o Covid-19, mas que até hoje o projeto sequer entrou para votação. 

Audiência pública na Câmara pedindo ajuda, em 2019

“A Câmara está preocupada em votar Moção, essa é a realidade. Volto a dizer algo que chega a ser cansativo: deveríamos ter apoio do Estado e também das cidades vizinhas! Hoje só temos dois hospitais na região, o Marieta (Itajaí) e o nosso Ruth, e mesmo assim não vejo os prefeitos de nossa região nos auxiliando com o custeio”, aponta. 

Municipal ou Regional? 

- Publicidade -

A questão da gestão do Hospital também é um assunto antigo, que é discutido desde que Edson Renato Dias (Piriquito), era prefeito da cidade. 

“O Fabrício já está em seu segundo mandato e ainda não temos a definição do que ele é. Afinal, se for municipal, temos que repactuar e só Balneário pode usar, mas ele é regional! Está de portas abertas, então precisamos de apoio. É injusto. Se não querem dar dinheiro, poderiam ceder profissionais, médicos, enfermeiros. Dá para fazer convênio, há várias formas… mas hoje falta vontade política”, reafirmou o vereador.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -