- Publicidade -
- Publicidade -
16.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Vereador aponta que Balneário Camboriú é o único município da região que não gratifica vacinadores

A cidade também poderia ter mais equipes atuando na Estratégia da Família

O vereador Eduardo Zanatta usou a tribuna da Câmara de Balneário Camboriú nesta semana para falar sobre saúde pública e destacou que a cidade tem 18 vacinadores e é o único município da região que não dá gratificação para eles. Ele citou também as equipes da Estratégia da Família:  Balneário tem apenas 20 equipes atuando, enquanto o Ministério da Saúde autoriza 68 equipes.

Segundo Zanatta, a gratificação aos vacinadores é para estimular que os técnicos de enfermagem queiram estar na sala de vacinação, porque tem responsabilidade a mais como manutenção da vacina refrigerada, planejamento e monitoramento do trabalho, cuidar dos materiais, manter o estoque das vacinas e comunicar supervisores, cuidar da destinação dos resíduos de forma adequada, orientar e  atender dentro do que prevê o SUS – tudo isso são competências a mais que o trabalho usual dos técnicos de enfermagem.

“Itapema dá aos vacinadores 20% de gratificação no salário, Itajaí dá R$ 600 a mais e em Balneário Camboriú desde 2022 tratamos disso, indicamos ao prefeito, houve reunião na Câmara, por isso faltam vacinadores, como nos bairros Nações e Centro, tanto que abriu curso, mas Balneário tinha 3 vagas e só uma técnica se inscreveu”, conta.

Divulgação

Possível greve

O vereador disse que ficou sabendo que os vacinadores estão estudando uma greve para que o prefeito Fabrício Oliveira valorize o que eles fazem. 

“Infelizmente, é a lógica política de quem não valoriza a saúde pública, não estimula a vacinação e não valoriza o trabalho importante que fazem os vacinadores. Hoje não tem remuneração a mais, é o mesmo salário dos técnicos de enfermagem – R$3.847 o salário base”, acrescenta. 

- Publicidade -

ESF também pode ter melhorias

Zanatta citou a situação da Estratégia da Saúde da Família, que também se enquadra em prevenção, já que o trabalho realizado é para que os moradores sejam atendidos nos postinhos e não precisem ir para o Hospital Ruth Cardoso ou UPAs. 

“Em Balneário hoje há 20 equipes da Estratégia e poderia ter 68! No Bairro das Nações, por exemplo, tem agentes de saúde atendendo 2 mil pessoas, quando o teto é 750, estabelecido pelo Ministério da Saúde. Quem precisa pedir por mais equipes é a Secretaria de Saúde. Isso afeta diretamente o atendimento dos moradores nos postinhos dos bairros da cidade. Não sei se é incompetência de gestão, projeto político de não privilegiar saúde pública ou então desconhecimento”, completa.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -