- Publicidade -
15 C
Balneário Camboriú

Vereador Marcelo Achutti indica suspensão imediata da cobrança do estacionamento rotativo

Deixar o carro 8h/dia no rotativo custa R$ 16 – o valor por mês chegaria a R$ 320 (cinco dias/semana)

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

O vereador Marcelo Achutti indicou nesta terça-feira (15) que o prefeito Fabrício Oliveira suspenda imediatamente a cobrança do estacionamento rotativo em Balneário Camboriú, retornando apenas quando for ofertado transporte coletivo. A cidade está há mais de um ano sem.  

(Divulgação/Gabinete)

Achutti relembra que Balneário Camboriú está sem transporte coletivo desde maio de 2020, ou seja, mais de 380 dias.

“Muitas pessoas o utilizavam e agora precisam ir com seus veículos próprios, já que a maioria trabalha no centro, usam as vagas do rotativo, assumindo assim um custo que acaba sendo inviável aos seus orçamentos. Não consigo compreender, porque o objetivo não era ser receita para a prefeitura e sim dar rotatividade, e não acontece, já que a pessoa precisa deixar o carro na vaga por oito horas”, explica. 

- Publicidade -

O vereador entende que a prefeitura precisa contratar imediatamente, de forma emergencial, uma empresa de transporte coletivo e, até que isso aconteça, suspender o rotativo. 

“Muita gente é multada porque acha que não tem fiscalização (o valor da multa é de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira). Soube também que estão criando novas vagas no rotativo, o que também não pode acontecer enquanto não tivermos transporte coletivo!”, destaca. 

Segundo Achutti, outra opção seria as empresas ajudarem os funcionários com o valor do rotativo, já que não estão ofertando vale-transporte. 

“Não faz sentido os moradores precisarem pagar, por isso a melhor solução é suspender imediatamente”, acrescenta.

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -