- Publicidade -
- Publicidade -
16.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Vereadora de Balneário Camboriú apresenta moção de apelo para abertura da ‘CPI do Abuso de Autoridade’

A moção de apelo, que trata da ‘CPI do Abuso de Autoridade’, da vereadora Juliana Pavan, estará em discussão na sessão desta terça-feira (29) na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú. Se aprovada, a moção será enviada ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. 

O documento pede a instalação da CPI  ainda neste ano. Vale lembrar que o requerimento já obteve 181 assinaturas de deputados (10 a mais do que o número mínimo necessário para a sua criação).

A vereadora explicou que teve a iniciativa de apresentar a moção, porque realmente acredita que é preciso mais transparência e informação nas ações do Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para saber se houve ou não abuso de autoridade nos órgãos. 

- Publicidade -

“Hoje vemos tanta informação jogada ao vento, são situações que chamam a atenção, há até bloqueio de contas bancárias. Passou quase um mês da eleição e o país ainda vive a insegurança do que poderá acontecer, e isso me traz um alerta no sentido de ‘vamos tentar resolver o quanto antes, para que as pessoas iniciem 2023 de forma segura’”, disse.

“Instabilidade e insegurança”

Juliana diz que os brasileiros precisam estar seguros do que está acontecendo no país, para que, com isso, o Brasil continue crescendo. 

“Esses possíveis abusos de autoridade por membros do TSE e STF devem ser investigados, para as pessoas receberem o mais rápido possível as informações, entrando em 2023 de forma mais calma, com informações que vão trazer harmonia; pois hoje as pessoas estão questionando muito, e esses questionamentos estão trazendo instabilidade e insegurança. As informações estão vindo de forma atropelada, tem muita fake news”, opinou.

“Esse extremismo extrapolou, dividiu o país”

A vereadora comentou ainda que neste momento o país precisa de união, de pacificação, acabando com a atual ‘divisão ampla’. 

“Hoje, qualquer coisa que você fala, você é atacado. Qualquer coisa que você mencionar, é criticado, e não podemos ir por esse lado. As pessoas comemoraram a lesão do Neymar porque votou no Bolsonaro, hostilizaram o Gilberto Gil porque votou no Lula… esse extremismo extrapolou, dividiu o país, e desse jeito o Brasil vai estagnar. Por isso, em prol do Brasil continuar crescendo, estou apelando para a Câmara agilizar esse processo para saber se houve mesmo abuso de autoridade. Se sim, que haja punição”, completou, informando que fez contato prévio com todos os vereadores, para que estes apoiem sua moção.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -