- Publicidade -
28 C
Balneário Camboriú

Lipo HD conquista adeptos e se torna alternativa para definição corporal

Médico catarinense é um dos poucos no país que realiza o procedimento

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

O procedimento caiu nas graças de famosas como Ludmilla, Gretchen e a cantora Naiara Azevedo. E os resultados chamaram a atenção! Mas afinal, do que se trata a nova cirurgia plástica queridinha de famosos e anônimos, capaz de trazer os desejados “gominhos” ao abdômen?

A Lipo HD, também chamada de LAD (Lipoaspiração de Alta Definição) é um procedimento relativamente novo no país, mas a cada dia vê sua procura aumentar por conta dos resultados surpreendentes. Quem explica é o cirurgião plástico Dr. Eduardo Felipe Raulino (CRM/SC 10307 e RQE 7748), de Blumenau e que recentemente inaugurou a primeira filial de sua clínica de cirurgia plástica na Praia Brava, em Itajaí, no litoral catarinense.

O cirurgião conheceu o método há dez anos, ao visitar os EUA, quando observou que alguns médicos usavam o equipamento ultrassônico Vaser para diminuir o trauma causado pela lipoaspiração. Através de contato com o criador da Lipo HD, o médico colombiano Alfredo Hoyos, Eduardo Raulino entrou num curso de imersão total na Colômbia, onde não apenas se tornou especialista em Lipo HD, como hoje ministra cursos para os colegas cirurgiões sobre o tema.

- Publicidade -

“Na época, isso há 10 anos, muita gente achava que os resultados eram photoshop. Ao contrário da lipoaspiração tradicional, na HD não apenas reduzimos medidas, mas proporcionamos definição, realçando a anatomia do paciente”, pontuou o médico.

À frente da Clínica Raulino de Cirurgia plástica (@dreduardoraulino), o cirurgião já realizou cerca de três mil procedimentos como este, sendo um dos pioneiros da técnica no Brasil. Ele inclusive é um dos poucos a dispor da tecnologia Vaser para uma maior definição dos resultados.
Dr. Eduardo Raulino explica que a Lipo HD é um procedimento em 360º, ou seja, não se trata apenas de uma cirurgia abdominal.

“Imagine uma pessoa que acabou de passar por uma abdominoplastia. Você vai observar que, embora a barriga esteja lisinha, há dobras nas costas, ou flacidez nas coxas e braços, ou seja, o resultado não é harmonioso. Na Lipo HD, falamos em 360º, pois o objetivo é melhorar o todo, deixando cada parte do corpo em harmonia”.
O procedimento

- Publicidade -

Para o médico, a Lipo HD é a maior evolução da cirurgia plástica na última década, onde dois pilares essenciais foram unidos. Primeiro a abordagem artística, onde se criam as sombras e relevos corporais, esculpindo a anatomia do cliente, oferecendo resultados mais naturais, joviais e principalmente mais atléticos.

A outra é a associação de tecnologias. “Iniciou-se com o Vaser, um ultrassom muito potente que é utilizado pra diminuir o trauma cirúrgico. Aquele mito da lipo tradicional, de ser algo bruto e traumático, caiu por terra com o uso desse equipamento. Depois do Vaser, surgiu mais recentemente uma das maiores inovações da cirurgia plástica dos últimos anos, que é o Renuvion. Este aparelho agrega ao trabalho do cirurgião um poder de retração da pele, que segundo o fabricante, varia de 40% a 70%. Isso expandiu a técnica da Lipo HD, não apenas podendo ser usada naquelas pessoas que já possuem um porte atlético e levam o cuidado com o corpo mais a sério, mas também abarcou um leque de pessoas, como mulheres que já tiveram filhos e possuem flacidez, mas cujos resultados são igualmente impressionantes e definidos”, acrescentou.

Em alguns casos o procedimento é tão bem sucedido que não há necessidade de cirurgias de remoção de pele, evitando as grandes cicatrizes cirúrgicas.

Uma terceira tecnologia é a extração em alta performance de gordura, que é o Micro Air (ou Micro Aire). Consiste em fazer uma emulsificação, dissolvendo a gordura com o Vaser e ao mesmo tempo, todas as estruturas abaixo da pele, vasinhos e fibras colágenas, são preservadas. Assim diminui o trauma causado no procedimento.

“Depois de utilizar o Vaser, a gordura liquefeita é retirada através do Micro Air. Por fim utiliza-se o Renuvion, por baixo da pele, através das pequenas incisões já realizadas e definimos o abdômen do paciente”.
Vale frisar que são poucos os cirurgiões que fazem a Lipo HD com o uso de todas estas tecnologias.

Exames e contraindicações

Uma cirurgia plástica, como qualquer outra requer cuidados e claro, muitos exames. A primeira coisa é procurar um profissional qualificado e conhecer o local onde a cirurgia será realizada. A segurança é fundamental!

Exames clínicos prévios são essenciais. Alguns pacientes até questionam a quantidade, brinca o médico, mas essa bateria de exames é o que vai garantir o sucesso do procedimento.

“Os exames envolvem parte endócrina, cardíaca, pulmonar, ultrassom de abdômen, para ver a existência de hérnias, que se detectadas, devem ser tratadas previamente”.

As contraindicações envolvem doenças preexistente ativas, ou fora de controle, como diabetes, problemas cardíacos ou pulmonares mais sérios. Caso seja um hipertenso controlado, por exemplo, com as medicações em dia, não há problema algum.

Quem pode fazer o procedimento?

Eduardo Felipe Raulino explica que há alguns limites para a Lipo HD, como o sobrepeso e obesidade, onde o paciente precisa primeiro de uma bariátrica, reeducação alimentar, ou um endocrinologista, mas um parâmetro objetivo é partir de uma bioimpedância. Com um IMC (Índice de Massa Corporal) menor que 32 no homem e menor que 30 na mulher, a pessoa já é candidata ao procedimento. “Um conceito importante é que muita gente pensa que a Lipo HD é só “trincar o abdômen”, mas hoje, temos uma dosimetria da técnica, onde a adaptamos ao biotipo do cliente. Por exemplo, se é uma pessoa mais baixinha, ou gordinha, o resultado será de low definition, ou seja, uma mudança mais leve. Já àqueles que são atletas, frequentam academia, mas não conseguem o resultado desejado, podemos dar esta definição maior”.

Queremos mostrar que existem outras opções além das cirurgias tradicionais de remoção de pele, que em muitos casos são necessárias, mas com estas novas tecnologias podemos ajudar estas pessoas sem grandes traumas ou cicatrizes.

Os riscos da Lipo HD

Muitas pessoas ainda temem o centro cirúrgico. Casos que deram errado ganham a mídia e assustam, mas o médico afirma que hoje, com a tecnologia a favor da medicina e com um monitoramento eficaz do paciente durante a cirurgia, os riscos são mínimos.

“Quando você faz uma cirurgia de Lipo HD com um profissional qualificado, com todo este preparo, antes, durante e depois, com acompanhamento, anestesistas experientes e bom planejamento da cirurgia, costumo dizer que os riscos são menores do que você viajar de carro de Balneário Camboriú a Curitiba, por exemplo, estatisticamente. Um outro cenário é fazer uma lipo tradicional, sem os exames necessários, numa instituição sem recursos. Ela tem riscos inerentes ao que você faz, pois existe um abismo tecnológico entre a lipo tradicional e a HD”.

A tradicional é um Fusca ano 1960, já a HD, com Renuvion e Vaser, é uma Ferrari. Ambos são carros, mas há abismos tecnológicos entre eles.

Valores e recuperação

Os resultados da Lipo HD são realmente impactantes e no dia seguinte já dá pra ver a diferença, mas seguindo os conceitos de recuperação, o resultado final leva de quatro a seis meses para uma definição total. O procedimento é feito com anestesia geral e a alta se dá em 24hs. A cirurgia completa, envolvendo todos os custos varia entre R$ 60 mil a R$ 100 mil reais.

A Lipo HD é separada em três etapas: o pré-cirúrgico, com realização de exames e preparação com vitaminas, suplementos e colágeno; o durante, no centro cirúrgico, com toda a segurança de UTI e por fim, o pós-operatório, com o home care, um cuidado em casa que foi desenvolvido para dar o suporte que o paciente precisa.

Lipo HD no Brasil e a vaidade masculina

Embora a pandemia apontasse queda nas cirurgias plásticas, na verdade, o número aumentou. Dados da ISAPS (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica), do início deste ano, demonstram aumento de 50% nas cirurgias plásticas, e a Lipo HD tem aumentado exponencialmente.

“No Brasil o método é recente, mas lá fora a técnica começou a mais tempo. Os números já mostram que a lipoaspiração está empatada com a cirurgia de aumento de mamas, sendo as duas principais realizadas no mundo. A Lipo HD chamamos de procedimento de eleição, ou seja, de escolha para um o melhor contorno corporal, e deve continuar subindo”.

Para Eduardo Raulino, o procedimento conquistou o público masculino. “Os homens antes eram órfãos de procedimentos voltados a eles, mas com a Lipo HD esse resultado é visível e a procura só aumenta. De dez a cinco anos pra cá, os homens passaram a representar 50% das lipos, antes eram 95% só de mulheres. Com homens mais vaidosos, a procura tende a crescer”, afirmou.

E não é só a lipoaspiração que conquistou esse público. Tá certo que os “gominhos”, chamados de Six Packs (em inglês) geralmente são preferências masculinas, mas outros procedimentos também podem, e estão sendo realizados, como o aumento dos músculos. Dá pra aumentar glúteos, bíceps, tríceps, deltoide e peitoral, explica o médico.

O cirurgião acrescenta que o melhor resultado que a cirurgia plástica traz é o bem-estar pessoal.

Não se trata apenas da aparência, mas do que ela pode fazer por você. Quando uma pessoa se olha no espelho e se vê bem, como gostaria, isso reflete na autoestima, na felicidade, na autoconfiança. Isso é o que proporcionamos com a cirurgia plástica, pois após o procedimento e a aferição dos resultados, geralmente o paciente passa a se cuidar mais, se alimentar melhor, ou seja, vai cultivar o que esculpimos. Sabemos que o externo gera efeitos internos e se olhar e se ver bem, só traz benefícios!

Fonte: Alex Ferrer

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -