- Publicidade -
- Publicidade -
20 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Balneário Camboriú tem 40 casos de dengue

Segundo mutirão do ano será  na Barra neste sábado

O Programa Municipal de Combate a Dengue da Secretaria de Saúde de Balneário Camboriú registrou de janeiro até esta quinta-feira (15), 40 casos de dengue em pessoas residentes no município.

Deste total, 16 são autóctones  (contraído na cidade), 18 indeterminados (não houve a identificação sobre o local onde a pessoa contraiu o vírus), dois importados (quando a doença foi contraída em outra cidade) e quatro em investigação de Local Provável de Infecção (LPI).

Além desses registros, 31 turistas positivos para dengue passaram a fase de viremia no município, ou seja, estavam em Balneário Camboriú no período de transmissão da dengue.

O primeiro mutirão do ano aconteceu no Bairro Nova Esperança.

O segundo será neste sábado (17), na Barra, um dos bairros com mais focos do mosquito em 2024: concentrou 27 dos 200 focos registrados em Balneário Camboriú.

O mutirão começa às 8h na esquina da Rua Bruno Zabel com Avenida Hermógenes Assis Feijó, seguindo pelas demais ruas do bairro até às 11h30, com visita às residências.

Os agentes uniformizados e credenciados vistoriam as residências e a população deve permitir o acesso, porque é um trabalho preventivo, para evitar o crescimento de casos no municipio.

Além do trabalho de conscientização feito pela Secretaria da Saúde, a Secretaria de Obras estará junto recolhendo resíduos em desuso, que estejam acumulando água nos pátios, abrindo oportunidade para novos criadouros do Aedes aegypti.

O secretário de Saúde, Omar Tomalih pede a participação dos moradores, na eliminação de possíveis focos e sugere o uso de repelentes.

“É importante cada um fazer a sua parte para evitar que o cenário evolua”, disse Tomalih.

O prefeito Fabrício Oliveira determinou intensificar os mutirões e visitas dos agentes e, principalmente, o atendimento aos casos suspeitos.

“Todo o esforço concentrado visa preparar a nossa força tarefa na prevenção e acolhimento dos doentes”, disse o prefeito.

Prevenção

– Elimine qualquer objeto que possa acumular água, como as partes de garrafas de vidro utilizadas em cima dos muros;

– Evite cultivar plantas que acumulam água, como bromélias;

– Mantenha a caixa d’água com a tampa completamente vedada;

– Cubra o extravasor de água (popularmente conhecido como ladrão) com tela e retire a água da laje;

– Mantenha as calhas limpas e secas, com inclinação adequada para o escoamento total da água;

– Não esqueça de manter sempre vedados os locais de armazenamento de água, e lave com escova a parte interna, pelo menos, uma vez por semana;

– Não acumule pneus velhos. Se tiver pneus, mantenha-os secos e abrigados da chuva;

– Mantenha os ralos vedados e desentupidos;

– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se for usá-los, coloque areia até a borda;

– A água da piscina precisa ser tratada com cloro, ao menos, uma vez por semana;

– Troque a água dos animais diariamente e lave com escova os potes de água e comida uma vez por semana;

– Descarte o lixo corretamente. Acondicione-o em sacos bem vedados e fora do alcance dos animais até o recolhimento.

– Para fazer a denúncia de locais com suspeita de foco do mosquito, é preciso entrar em contato com a Ouvidoria Municipal por meio dos números: (47) 3267-7024 e (47) 9 9982-1979 (WhatsApp) ou no 0800 644 3388.

Sintomas

Os principais sintomas são febre, cefaleia, mialgia (dor muscular), artralgia (dor nas articulações), dor de cabeça. Podem ocorrer, também, náuseas, vômitos e manchas vermelhas na pele. Em algumas pessoas, a doença pode evoluir para formas graves, apresentando manifestações hemorrágicas. A dengue é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectada com o vírus. O Aedes aegypti também é transmissor do vírus da zika e da chikungunya.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -