- Publicidade -
- Publicidade -
24.3 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Balneário Camboriú tem mais de 50 casos de Dengue: Centro de Atendimento abrirá até fim do mês 

Nesta terça-feira (20), Balneário Camboriú acumula 54 casos de Dengue, sendo a maioria autóctones (contraídos na cidade), além de ao menos 200 focos do mosquito Aedes aegypti. Para atender os casos da doença, que pode ser fatal, até o fim deste mês de fevereiro, a prefeitura irá abrir o Centro de Referência Municipal de Atendimento à Dengue, anexo ao Hospital Municipal Ruth Cardoso.

As ações foram definidas nesta terça-feira (20), na terceira reunião da Sala de Situação da Dengue de Balneário Camboriú, a qual monitora e elabora ações preventivas no combate ao mosquito da Dengue.

Em 2024, até esta terça (20), já foram notificados 715 casos suspeitos (número 400% superior ao registrado em janeiro e fevereiro de 2023). Desses, estão confirmados 54 casos de dengue em pessoas residentes em Balneário Camboriú – 20 autóctones (quando a doença é contraída na cidade), 24 indeterminados (não houve a identificação sobre o local onde a pessoa contraiu o vírus), três importados (quando a doença foi contraída em outra cidade) e sete em investigação de Local Provável de Infecção (LPI). Em janeiro e fevereiro de 2023, o número de casos em pessoas residentes na cidade era de 23.

- Publicidade -
(Divulgação)

O secretário de Saúde da cidade, Omar Tomalih, salienta que a situação atual da cidade é vista como ‘preocupante’ porque os gráficos estão crescentes, longe da curva do ano passados.

“Na realidade já está sendo a maioria dos casos contaminados aqui. O que nos preocupa é que com o aumento de número de casos suspeitos aumenta a procura nas portas (unidades de saúde), o que aumenta o tempo de espera e gera reclamações, por isso é importante que as pessoas usem o serviço de telemedicina (para acessar a consulta online basta contatar o número de WhatsApp 0800 888 6556), onde é atendido em casa, pelo celular e não precisa ir até o hospital ou unidade de atendimento. Pela telemedicina consegue atestado, e também se precisar de exame, de medicação, tudo é resolvido”, explica. 

Nas próximas semanas, devem se juntar aos 41 agentes de combate às endemias 30 novos profissionais. Repelentes também serão disponibilizados à população nas unidades básicas de saúde. Nesta quarta-feira (21), se não chover, agentes de endemias estarão no Bairro dos Municípios para um mutirão contra a doença. Com início às 8h30 na esquina da Rua Brusque com Quinta Avenida, a ação percorrerá as demais ruas do bairro até 11h30, com visita às residências.

“Todas as ações que é possível fazer, a prefeitura está fazendo, chamamos mais agentes de combate à endemia, vamos abrir até o fim deste mês de fevereiro o Centro de Atendimento, anexo ao Hospital Ruth Cardoso, estamos ampliando o número de testes rápidos, vamos distribuir repelentes… estamos fazendo várias ações de conscientização, mas se a população não se conscientizar, de nada adianta”, acrescenta o secretário.

Omar pontua que mesmo tendo quase 100 pessoas na rua trabalhando, e se chover, acumular água e a pessoa não limpar o quintal, pode ser propício para contaminação pelo mosquito da Dengue.

“Precisamos da população junto conosco. Dengue mata – as pessoas precisam se conscientizar disso! Não deixe seu filho sair para a escola antes de passar repelente… cheque as calhas, mantenha o pátio e a piscina limpos, só assim para combater o mosquito. As pessoas ficaram com medo na pandemia de COVID porque matava, e a dengue também mata!”, explica.

Prevenção

  • Elimine qualquer objeto que possa acumular água, como as partes de garrafas de vidro utilizadas em cima dos muros;
  • Evite cultivar plantas que acumulam água, como bromélias;
  • Mantenha a caixa d’água com a tampa completamente vedada;
  • Cubra o extravasor de água (popularmente conhecido como ladrão) com tela e retire a água da laje;
  • Mantenha as calhas limpas e secas, com inclinação adequada para o escoamento total da água;
  • Não esqueça de manter sempre vedados os locais de armazenamento de água, e lave com escova a
    parte interna, pelo menos, uma vez por semana;
  • Não acumule pneus velhos. Se tiver pneus, mantenha-os secos e abrigados da chuva;
  • Mantenha os ralos vedados e desentupidos;
  • Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se for usá-los, coloque areia até a borda;
  • A água da piscina precisa ser tratada com cloro, ao menos, uma vez por semana;
  • Troque a água dos animais diariamente e lave com escova os potes de água e comida uma vez por semana;
  • Descarte o lixo corretamente. Acondicione-o em sacos bem vedados e fora do alcance dos animais até o recolhimento.
  • Para fazer a denúncia de locais com suspeita de foco do mosquito, é preciso entrar em contato com a Ouvidoria Municipal por meio dos números: (47) 3267-7024 e (47) 9 9982-1979 (WhatsApp) ou no 0800 644 3388.

Sintomas

Os principais sintomas são febre, cefaleia, mialgia (dor muscular), artralgia (dor nas articulações), dor de cabeça. Podem ocorrer, também, náuseas, vômitos e manchas vermelhas na pele. Em algumas pessoas, a doença pode evoluir para formas graves, apresentando manifestações hemorrágicas. A dengue é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectada com o vírus. O Aedes aegypti também é transmissor do vírus da zika e da chikungunya.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -