- Publicidade -
- Publicidade -
27.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Câmara realiza sessão especial em comemoração aos 20 anos da Pró Rim em Balneário Camboriú

A Câmara de Vereadores realiza sessão especial nesta sexta-feira (28) para comemorar os 20 anos da unidade Pró-Rim de Balneário Camboriú. A solenidade proposta pelos vereadores David La Barrica e Patrick Machado, inicia às 19h.

Na ocasião serão entregues quatro moções para homenageados e uma placa para a instituição. A primeira moção é para o Dr. Marcos Alexandre Vieira, a segunda, para a Dra. Isadora Felski da Silva, a terceira e a quarta para os médicos José Aluísio Vieira e Hercílio Alexandre da Luz Filho.

A unidade iniciou suas atividades em Balneário Camboriú no dia 12 de abril de 2003 e atualmente atende 243 pacientes, dos quais 225 em hemodiálise e 18 em diálise peritoneal, do próprio município e de cidades vizinhas, como Porto Belo, Camboriú, Bombinhas e Itapema, que utilizam 42 máquinas de hemodiálise.

- Publicidade -

O diferencial é o atendimento da Diálise em Trânsito e, por isso, recebe pessoas de diversos estados do Brasil e de outros países, que escolhem esse município para passar as férias, principalmente no verão.

A unidade tem uma equipe multidisciplinar completa, envolvendo 55 profissionais, entre eles técnicos de enfermagem, enfermeiros, assistente social, psicóloga, nutricionista, médico nefrologista, auxiliares de administração, serviços gerais, almoxarifado e manutenção, oferecendo um tratamento eficaz e humanizado.

A Fundação Pró-Rim foi criada em 1987, em Joinville, pelos médicos nefrologistas José Aluísio Vieira e Hercilio Alexandre da Luz Filho. 

A instituição conta hoje com três unidades em Santa Catarina (Joinville, Balneário Camboriú e São Bento do Sul) e duas no Tocantins (em Palmas e Gurupi), e é referência nacional em tratamentos e transplantes renais. 

A Pró-Rim faz anualmente mais de 100 mil sessões de hemodiálise e já realizou quase 2 mil transplantes de rim.

Pioneiras em Balneário Camboriú

A médica Céres Fabiana Felski da Silva, atual diretora de Divisão Técnica Médica do Hospital Municipal Ruth Cardoso, foi uma das pioneiras na unidade Pró-Rim em Balneário Camboriú. Vanilde Baldasari, mãe de uma menina paciente, também ajudou na luta para trazer a Pró Rim para Balneário Camboriú. 

Nesta reportagem, Dra.Céres e Vanilde relembraram suas histórias e a ‘batalha’ para instalar uma unidade na praia.

- Publicidade -

Acompanhe o depoimento das duas:

‘Foi amor à primeira vista’ 

Dra.Céres, pioneira (Foto Teodora Felski)

“Foi em 1992, jovem, recém formada, que me mudei para Joinville para tentar uma vaga na residência médica. 

Depois de um ano de estágio, iniciei na residência de clinica médica no Hospital Municipal São José, e, no segundo ano, passei pelo estágio da nefrologia na Fundação Prorim. Foi amor à primeira vista. 

Eu, que queria ser ortopedista, acabei optando pela nefrologia e me tornei a primeira residente de nefrologia do estado (e da Fundação). Quando me formei, fui transferida para a unidade de Mafra, no planalto  norte, uma unidade linda e grande. Lá fiquei por seis meses, mas a saudade de casa foi mais forte. Pedi demissão e comecei, junto ao Dr. Xuxo, uma nova batalha: trazer para Balneário Camboriú  o padrão de atendimento da Fundação.

Foram anos de luta. Passamos muito tempo trabalhando no prejuízo, dialisando apenas oito pacientes (arcando com os custos deste tratamento já que não tínhamos o credenciamento do SUS), idas e vindas a Florianópolis, a Brasília… visitas a deputados, vereadores, etc… até a população de pacientes se mobilizou para pressionar as autoridades. 

Hoje a unidade atende a mais de 240 pacientes em diálise, necessita expandir o espaço devido a crescente demanda de pacientes. 

Se valeu a pena? Em 2018 eu deixei a Fundação para assumir a direção técnica do Hospital Municipal Ruth Cardoso, mas meu coração permanece lá, e cada vez que passo por lá sinto um aperto no peito, um nó na garganta. 

Um orgulho imenso de ter feito parte desta história”.


Vanilde Baldasari, mãe de Sandra Baldasari (paciente)

Vanilde destaca atendimento da Pró Rim (Arquivo Pessoal)
A filha Sandra e a médica Isadora (Arquivo Pessoal)

“Quem está mesmo de parabéns somos nós, os pacientes”

“Em 1999 minha filha ficou doente, ela estava mais no hospital do que em casa, ninguém sabia o que era (…) até que um dia ela foi internada no Hospital Santa Inês e o Dr. Guilhermino indicou uma médica maravilhosa (…) e assim conhecemos a dra.Céres. Logo ela ligou para Florianópolis, falou com um médico que foi seu professor na faculdade, ele enviou por fax um exame da minha filha e a dra.Céres descobriu que minha filha era renal crônica…ali começou nossa saga… então conheci a Pró Rim, me engajei junto com a família Pró Rim, corremos a vários lugares, Câmara de Vereadores, Florianópolis (…). O Dr. Aluisio, Dra. Céres e toda família da instituição são pessoas maravilhosas (…) até que conseguimos trazer para cá, mas foi uma batalha muito grande (…). 

Vejo que as pessoas têm medo de falar em hemodiálise, em problema renal, hoje sou consciente como já era na época…e foi por isso que corri atrás. Hoje temos ali uma família Pró Rim, atendimento carinhoso desde a portaria até lá dentro…os profissionais trabalham com amor. Quero agradecer por esta Fundação estar aqui em nossa cidade, até hoje minha filha usa a Pró Rim…quando eu falo da Pró Rim sinto vontade de chorar, porque sei que posso contar, sempre, sempre com eles. A minha filha foi atendida pela dra. Ceres, continua sendo atendida pela irmã dela, dra. Isadora Felski da Silva, as duas são médicas da minha filha, ela só melhorou, melhorou. 

Então quero desejar parabéns para todos os profissionais da Pró Rim e dizer que quem está mesmo de parabéns somos nós, os pacientes da Pro Rim”.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -