- Publicidade -
- Publicidade -
25 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Comunidade pede continuidade do atendimento de saúde em Taquaras: UBS de Estaleirinho estava sendo planejada

Nesta semana, o Página 3 foi procurado por moradores da Praia de Taquaras que pedem que a unidade de atendimento de saúde do bairro, que funciona junto ao Centro Educacional Municipal (CEM) de Taquaras, não feche as portas. 

Um abaixo-assinado reunindo mais de 260 assinaturas foi e entregue na Câmara de Vereadores na noite de quarta-feira (24). 

O abaixo-assinado (Divulgação/PMBC)

O receio da comunidade veio diante do planejamento da abertura de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) no Bairro Estaleirinho, que atenderia toda a região das praias. Uma reunião para tratar do assunto acontecerá segunda-feira (29), às 19h, no CEM Taquaras.

- Publicidade -

Os moradores, que preferiram não se identificar, são contra o pedido de retirada ou deslocamento da unidade de atendimento de saúde do Bairro de Taquaras para bairros vizinhos e pontuam que a comunidade nunca foi sequer consultada sobre o assunto. 

O presidente da Associação de Moradores, Jair Euflorzino, é citado no documento, onde foi destacado que houve apenas comunicação sobre o fechamento da unidade e abertura da UBS do Bairro Estaleirinho ‘por áudio em grupos aleatórios de WhatsApp’ – enviados em 15 de abril. Por isso, surgiu a decisão do abaixo-assinado, que reuniu 263 assinaturas.

A comunidade ressalta que não é contra a abertura de uma possível ‘unidade coletiva de saúde’ no Bairro Estaleirinho, porém é contra a desativação da unidade de Taquaras. A UBS Estaleirinho seria na base de segurança da Guarda Municipal – o que os moradores também não concordam, pois veem que a estrutura é importante principalmente no verão, pois ‘inibe a marginalidade principalmente aos finais de ano, que viabiliza fuga via BR’. 

“Estamos indignados com tamanho descaso de representantes “do Bairro” apoiarem uma ideia insana referente a tal fechamento, de tamanha necessidade. Principalmente quando relacionado no auxílio a saúde dos nossos idosos, crianças, e demais usuários da rede SUS, sendo esta uma luta de mais de anos a qual foi conquistada com esforço comunitário e assim adquirido um espaço em consenso entre educação x saúde que supre nossas necessidades de atendimento de saúde no bairro. Atualmente atendidas, todas as quartas-feiras e duas sextas-feiras do mês, com atendimento médico, e às quintas atendimento de dentista”, completam os moradores, que solicitam que o poder público respeite a ‘árdua luta’ e mantenha a unidade de atendimento de Taquaras.

O que diz o presidente da Associação de Moradores

O Página 3 procurou o presidente da Associação de Moradores de Taquaras, Jair Euflorzino, que disse que as notícias que chegaram para os moradores sobre a UBS do Estaleirinho foram ‘distorcidas’. 

“O papel da associação é cobrar, não temos poder de mover uma pedra, e sim de cobrar, levar as reclamações para as autoridades, para fazer acontecer. O bairro Taquaras cresceu muito e um médico só não é mais o suficiente para atender toda a região. Fomos atrás de melhorias, cobramos o Omar Tomalih, que na época estava como secretário de Saúde, e ele falou para reunir as associações do Estaleiro e Estaleirinho junto com Taquaras, e foi definida que seria criada uma UBS na região das praias”, comenta.

Jair pontua que inicialmente a ideia era que a UBS fosse no Estaleiro, que fica no meio de Taquaras e Estaleirinho, mas que uma casa que encontraram não possuía o Habite-se, por isso a prefeitura não pôde alugar. Porém, como no Estaleirinho há a base de segurança, que não estava sendo utilizada (somente para os guardas utilizarem como alojamento, segundo Jair), veio a ideia da UBS ser aberta ali.

A base do Estaleirinho, onde poderia ser instalada a UBS (Divulgação/PMBC)

“Essa base foi feita com apoio de empresários, estava desativada, é um espaço maravilhoso, bonito, de primeira e que estava desativado. A Saúde viu que era um bom espaço e aí começou as críticas, quando divulgamos para a comunidade”, acrescenta.

Segundo o presidente, os organizadores do abaixo-assinado teriam mentido no momento de abordagem aos moradores, onde teria sido dito que iria ser retirado o médico de Taquaras. Jair afirma que em momento algum foi falado sobre isso. 

Por esse motivo, foi marcada uma reunião para a próxima segunda-feira, às 19h, no CEM Taquaras. 

“E queremos que todos os moradores compareçam para tirar dúvidas. Muitos nem sabem o que assinaram. A comunidade vai definir o que quer, não tem nada definido ainda. Não temos poder de tirar ou colocar médico, fomos buscar melhoria e a melhoria está aí. Hoje o médico de Taquaras atende duas vezes por mês sexta e toda semana na quarta. Se você fica doente outro dia não pode ser atendido. Hoje o mais perto é a Barra, a UBS ou o PA”, informa.

- Publicidade -

A promessa para a UBS Estaleirinho é de que haja de segunda a sexta atendimento médico, odontológico e ainda fisioterapia e coleta de exame. 

“Não falaram no abaixo-assinado que vai ter carro exclusivo para levar quem não tem condições de ir até a UBS Estaleirinho. Passará de hora em hora levando até o posto, a prefeitura disse que vai oferecer isso. Estou presidente da associação para atender a comunidade. Queremos ouvir os moradores. Não iríamos jamais apoiar algo que não fosse bom para os moradores, tanto que conseguimos asfalto para toda a região sul, estamos implantando 11 câmeras nas ruas principais do bairro, dentre outras tantas melhorias”, completa.

Vereador também está acompanhando

O vereador Eduardo Zanatta está acompanhando de perto a situação junto dos moradores de Taquaras, ele comenta que ficou surpreso quando soube sobre a possibilidade de fechar o posto de saúde que há em Taquaras. 

“Recebi o abaixo-assinado e 263 assinaturas é algo expressivo, contra a possível desativação. Falam que foi uma conquista da comunidade ter o posto de atendimento de saúde anexo a escola. Através da Comissão de Saúde, a qual eu presido, vamos pedir que a Secretária de Saúde, Caroline Prazeres, vá à Câmara e explique isso. Eu também vou acompanhar a reunião de segunda-feira. Pedimos que haja diálogo, para assim evitar que prejudique os moradores que precisam de atendimento no bairro”, afirma.

Zanatta diz que apesar de as praias serem próximas, não são fáceis de acessar, porque são divididas por morros e se a pessoa não tem carro ou tem dificuldade de mobilidade, fica difícil ir de uma praia para a outra. 

“Ficou claro que existem divergências de opiniões e a comunidade está preocupada em ser prejudicada. É considerável o número de pessoas contrárias. Vejo que é positivo abrir a UBS Estaleirinho, mas que não fechem Taquaras”, diz.

O vereador explica que hoje Balneário Camboriú tem 20 equipes que atuam na Estratégia de Saúde da Família, mas que o teto previsto é de que podem ter mais de 60 equipes.

“Ou seja, hoje os profissionais estão sobrecarregados. Tem que ampliar equipes, o que já está previsto pelo Governo Federal e se ampliarmos, receberemos mais verba conforme o aumento das equipes. A prefeitura tem que contratar mais profissionais e se fizerem isso vamos ter apoio do Governo Federal, não só para Taquaras, mas para a nossa cidade no geral. Temos que reforçar o atendimento da saúde em Balneário Camboriú”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -