- Publicidade -
- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Hospital Municipal Ruth Cardoso completa 12 anos, com mais de um milhão de atendimentos

O Hospital Municipal Ruth Cardoso, de Balneário Camboriú, completou 12 anos nesta terça-feira (10) e teve até corte de bolo de aniversário. Apesar da celebração, o hospital vive a problemática de ser bancado quase que integralmente por Balneário Camboriú, com uma ajuda mínima do Governo de SC, mesmo atendendo todas as cidades vizinhas, como Camboriú, Itapema, Porto Belo e Bombinhas, mais os turistas que vêm para o litoral catarinense. Ao total, o Ruth Cardoso realiza mais de 100 mil atendimentos/ano – ultrapassando nesses 12 anos mais de um milhão.

Profissionais comemorando a data…
…com o prefeito Fabrício (Divulgação/PMBC)

Importância do Ruth Cardoso para Balneário e região

O secretário de Saúde de Balneário Camboriú, Omar Tomalih, aponta que hoje o Ruth Cardoso é um instrumento necessário que salva vidas e cura pessoas de toda a região, de Bombinhas a Balneário, assim como também turistas. 

“Nós temos esse propósito dentro do município. Falamos sempre sobre o quanto Ruth influencia na cidade, que é um instrumento que traz grande benefício para a nossa região. O que fizemos na pandemia, de atender toda a população da cidade e região, foi referência. O Ruth é referência em várias áreas”, afirma.

- Publicidade -

A conta é alta

Omar disse que o problema enfrentado pelo hospital, que atua de forma regional, é a estrutura limitada e também o fato de que precisam de ajuda extra. O custeio mensal do Ruth é de cerca de R$ 8 milhões e Balneário arca com mais de R$ 5 milhões desse valor,o restante vem do SUS e do Governo de SC). 

“Recebemos praticamente nada, somente um valor pequeno do SUS e Governo de SC e nada dos municípios vizinhos. Nós ainda pagamos boa parte da conta. O Ruth hoje tem cunho não só de saúde, mas também social. Desde que abriu, em 2011, já nasceram no nosso hospital mais de 30 mil pessoas, sendo que a maioria é de fora, 60% no mínimo. A UTI neonatal é utilizada por 70% de crianças de outras cidades. Buscamos sempre por mais apoio do Governo do Estado, mas não somente financeiro, porque contamos com o suporte de municípios vizinhos, que façam sua parte e assim nos auxiliem a desafogar o Ruth, pois o impacto é também estrutural”, afirmou. 

Ele lembra que o número de moradores em Balneário e região só aumenta e que se já há problemas estruturais hoje, a tendência é que esse quadro se intensifique.

Como o cenário pode melhorar

O secretário salienta que algo que pode ajudar a situação do Ruth Cardoso é a abertura do Hospital de Itapema, prevista para o ano que vem. Omar afirma acreditar que isso pode diminuir o número de pacientes que vêm de Itapema, Porto Belo e Bombinhas, por exemplo. 

“Estamos trabalhando forte na regulação do Ruth no que é alta complexidade e não é referência. Estamos trabalhando para o Hospital Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí, assumir isso. Também abrindo mais Unidades Básicas de Saúde (UBS), já abrimos duas e ano que vem queremos abrir mais duas, nas Praias Agrestes e no Iate Clube. Queremos também ampliar a do Bairro das Nações, uma solicitação frequente da comunidade e que já está em andamento”, explica.

Além das UBS, Balneário deve abrir até março de 2024 a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro da Barra e também o Pronto Atendimento (PA) do Bairro dos Municípios – em anexo ao Ruth Cardoso, onde era o Centro Covid – este último deve abrir até novembro deste ano. 

“Tudo isso ajuda o Ruth. Focamos no fato de que se conseguirmos fortalecer nossa atenção básica devido ao alto gasto e demanda do Ruth, vamos diminuir pacientes que chegam ao Ruth, porque vamos atender na atenção básica. Por exemplo, hipertensos e pacientes crônicos, como quem tem diabete. Se tiver esse controle na atenção básica, diminui quem chega na urgência e emergência”, acrescenta.

- Publicidade -

Ruth Cardoso em números

Desde 2021, o Ruth Cardoso realizou mais de 100 mil atendimentos e mais de 10 mil internações por ano – ou seja, mais de 1,2 milhão de atendimentos. 

Só em 2023, foram feitos mais de 70 mil atendimentos e mais de 8,4 mil internações. 

Em média, por mês, são mais de 8,5 mil atendimentos e mais de 900 internações. 

O Ruth Cardoso é responsável por atender moradores de Balneário Camboriú, mas também de cidades vizinhas como Camboriú, Itapema, Bombinhas, Porto Belo, além de atendimentos a demais municípios da AMFRI e de turistas que visitam a cidade.

Em nove meses, 2,6 mil nascimentos

O hospital se tornou referência na maternidade. Desde a sua abertura em 2011, foram registrados mais de 30 mil nascimentos. Por mês, são feitos de 270 a 300 partos. Somente neste ano, de janeiro a setembro, foram registrados 2,6 mil nascimentos.

Áreas clínicas & Assistência

O hospital possui uma estrutura física de 10.160m² e presta atendimentos nas áreas de Clínica Médica, Cirúrgica e Pediátrica, Pronto Socorro Adulto e Pediátrico, Maternidade, Centro Cirúrgico e Obstétrico, UTI Adulto e Neonatal. 

A assistência prestada integra as Redes do Ministério da Saúde “Rede de Urgência e Emergência” e a “Rede Cegonha”, atuando com especial atenção à humanização do atendimento. 

118 leitos

O HMRC possui 118 leitos divididos em Clínica Médica (31 leitos), Clínica Pediátrica (10 leitos), Clínica Cirúrgica (32 leitos), Maternidade (27 leitos), Unidade de Terapia Intensiva Geral (10 leitos), Unidade de Terapia Intensiva Neonatal ( 6 leitos e 2 Neonatologia).

250 médicos

No total, o Ruth Cardoso possui um corpo clínico de 250 médicos que atuam nas áreas de Anestesiologia, Bucomaxilofacial, Cardiologia Clínica, Cardiopediatria, Cirurgia Geral, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Torácica, Cirurgia Vascular, Clínica Médica, Emergência Adulto, Endoscopia, Ginecologia, Hemoterapia, Infectologia, Medicina Intensiva, Nefrologia, Neonatologia, Neurocirurgia, Neurologia Clínica, Oftalmologia, Ortopedia, Pediatria, Radiologia e Urologia.

Quase mil trabalhadores

O hospital  possui também uma equipe multidisciplinar composta por 700 colaboradores das áreas de enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, serviço social, psicologia, segurança do trabalhador, segurança patrimonial, manutenção, higienização, recepção e administrativo, além de uma agência transfusional e prestadores de serviço na área de análises clínicas e de diagnóstico por imagem; Raio-X, Ultrassonografia e Tomografia. No total, são 950 pessoas trabalhando diretamente no hospital.

Referência em SC na captura de órgãos

O Ruth também se tornou referência estadual na coleta de órgãos. Somente em 2023, foram 11 órgãos e tecidos captados, sendo considerado o quinto hospital de Santa Catarina e o primeiro da Região da Foz do Rio Itajaí em número de captações de acordo com a SC Transplantes. 

O início da coleta de órgãos no hospital foi em 2015, e desde então foram 110 órgãos captados que salvaram vidas em vários lugares do Brasil.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -