- Publicidade -
- Publicidade -
26.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Saúde da mulher será discutida em evento na Câmara de Balneário Camboriú, nesta sexta

O evento ‘Saúde da mulher: desafios e perspectivas’ acontece nesta sexta-feira (10) a partir das 19h, no plenário da Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú. Organizado pelo PDT local, é aberto ao público e contará com a participação da advogada Débora Spagnol, especializada em Direito da Saúde.

A empresária Ciça Müller, presidente da Ação da Mulher Trabalhista do PDT da cidade e de SC, salienta que o Dia Internacional da Mulher é lembrado em todo o mundo, mas que vê que ainda ‘falta muito’ para poder de fato ser celebrada esta data. 

“Um dos temas que necessitamos avançar é em relação ao Direito da Saúde da mulher, por isso convidamos a dra. Débora Spagnol, ela que é membro da Comissão das Advogadas da OAB-BC e membro do Conselho Municipal de Saúde, pois é especializada em Direito da Saúde. Ela virá conversar conosco na Câmara, neste evento que preparamos e é aberto a todos, para esclarecer quais são os nossos desafios e perspectivas reais que encontramos no SUS”, conta.

- Publicidade -

Podem participar homens e mulheres

A presidente destacou que a noite deverá ser de reflexão, debate e construção de ideias para novas políticas públicas em Balneário. 

“O convite é amplo, inclui mulheres e homens, para discutirmos o direito da mulher, tanto da idosa quanto das jovens, mulheres na menopausa e mulheres trans, para apontar quais são os direitos e como ter acesso a hormonioterapia, acompanhamento psicoterápico e cirurgias. Queremos entender como está sendo o atendimento na rede pública para todas e como podemos avançar”, acrescenta.

Alguns temas que serão discutidos são: direito ao parto humanizado, respeito às escolhas da mulher antes, durante e após o parte, direito a acompanhante e doula durante todo o tempo, planejamento reprodutivo: DIU e laqueadura pelo SUS, interrupção da gravidez (quais são os casos permitidos por lei e como fazer valer esse direito), o papel do profissional da saúde na luta contra a violência física e sexual contra a mulher (e também como prevenir agressões sexuais dentro do ambiente hospitalar), e ainda a garantia de atenção especial a doenças que mais atingem as mulheres: câncer de colo de útero e de mama, doenças cardiovasculares, depressão, trombose, cistite e osteoporose.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -