- Publicidade -
- Publicidade -
30 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Balneário Camboriú adota equipamento que detecta álcool no motorista sem precisar assoprar

O etilômetro passivo denuncia o consumo pelo hálito

Neste final de semana, os agentes de trânsito de Balneário Camboriú adotarão, pela primeira vez, o etilômetro passivo, um equipamento para utilizar nas abordagens, que detecta o consumo de bebida alcoólica pelo hálito, sem precisar assoprar (como é realizado o etilômetro/bafômetro ‘comum’).

O novo equipamento chegou ao BC Trânsito nesta semana.

O diretor da BC Trânsito, Ricieri Ribas, explica que Balneário recebeu quatro etilômetros por aproximação. O agente pode conversar com o motorista e será possível saber se houve uso de álcool. 

- Publicidade -

“Adquirimos quatro aparelhos desse que informa se houve uso de álcool, enquanto o equipamento padrão aponta os miligramas de álcool. Se a pessoa bebeu, é infração de trânsito, e a miligrama aponta se houve crime de trânsito (a multa para dirigir alcoolizado é de R$ 2.934,70 e suspensão do direito a dirigir por até 12 meses)”, diz.

Porém, vale lembrar que se a pessoa está nitidamente alcoolizada (com alteração psicomotora), o agente de segurança já pode encaminhar o motorista para a delegacia. “O etilômetro por aproximação visa dar celeridade ao processo (na fiscalização), para não ter retenção de fila nas blitzes integradas (entre GM, PM e Agentes de Trânsito). Serve também como lanterna e sinalizador viário. Os quatro que adquirimos são suficientes para o município, não são usados todos ao mesmo tempo, ficam à disposição, mas sempre tem reserva caso haja problema no equipamento”, acrescenta.

Ricieri disse que a intenção é conscientizar para que as pessoas entendam que se vão consumir álcool, não dirijam. 

“É crime de trânsito. Não tem como dizer que não tem possibilidade de deslocamento se for para festa e beber, hoje tem motorista por app, tem táxi, dá para ter o motorista da rodada (um fica sem beber para os outros se divertirem). Muitas pessoas dependem da CNH para trabalhar e por uma cerveja ao volante pode acabar perdendo ela (a CNH)”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -