- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú

Balneário Camboriú pede maior efetivo, equipamentos e mais atenção do Estado na segurança pública

Prefeito Fabrício disse que o problema é regional e requer urgência

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

No encontro de prefeitos da Amfri com o presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública de Santa Catarina, Cel. Charles Alexandre Vieira, nesta quinta-feira (2), na sede da Associação em Itajaí, o prefeito Fabrício Oliveira pediu mais investimentos e apresentou uma ‘fatura’ do que Balneário Camboriú vem investindo em segurança pública.

Depois de pedir um efetivo maior, mais equipamentos e argumentar que basicamente essa é uma necessidade de toda a região, porque o Estado não está correspondendo, o prefeito disse que trata-se de um problema regional que precisa de atenção urgente.

“Em 2001, Balneário Camboriú tinha mais de 200 homens da Polícia Militar, 20 anos depois temos 130, 140, e quero ressaltar aqui o trabalho da Polícia Militar, Civil, Bombeiros, IGP e da Guarda Municipal, que não medem esforços e se dedicam num trabalho que muitas vezes é de enxugar gelo, por isso mais investimentos são urgentes”, afirmou.

Investimentos

Depois Fabrício apresentou os investimentos que o município vem fazendo em segurança pública e os respectivos custos.

- Publicidade -

Entre eles, destacou o maior efetivo de guardas municipais, a construção da base da Polícia Militar na Barra (R$ 309 mil), a construção da sede do 12° batalhão de Polícia Militar (mais de R$ 11 milhões), a construção da 13° Região na rua Noruega, a doação às margens do rio Camboriú de terreno para construção do quartel da Polícia Militar Ambiental e a aquisição de um lancha para Polícia Militar Ambiental (mais de R$ 2 milhões). A relação de investimentos seguiu com a doação de terreno para construção do 13° Batalhão de Bombeiros Militar, outro para a Base Náutica do 13° batalhão de Bombeiros Militares no Portal Norte, mais um para construção de uma base do 13° Batalhão de Bombeiros Militares no bairro São Judas, a doação de terreno para o Instituto Geral de Perícia, o convênio com a Rádio Patrulha, iniciado no final de 2019, o valor até o momento de R$ 415 mil investidos, o convênio de trânsito, de 2017 até agora, totalizando R$ 10 milhões entre a Polícia Militar e a Polícia Civil, e o convênio para estagiários nas duas polícias, de 2017 até aqui, totalizando mais de R$ 6 milhões.

Cenário preocupante

O presidente da Amfri, Emerson Stein, prefeito de Porto Belo, disse que é preocupante o déficit de policiais militares na região.“

A defasagem de policiais militares nos preocupa muito. Nossa região precisa de um olhar diferenciado do Estado. Tivemos retorno de que, com a nova formação de policiais militares no fim do ano, nós teremos maior número de efetivos na região, além de todo o investimento que será feito em tecnologia”, destacando ainda que a reunião foi uma solicitação do Colegiado de Segurança Pública da AMFRI, com apoio dos prefeitos em Assembleia Geral.

- Publicidade -

O Cel.Vieira informou aos presentes que a demanda da quantidade de efetivos será levada ao colegiado e até o final do ano a região terá recomposição de efetivo.

“A intenção é melhorar o número da região da AMFRI com Bombeiros, Policiais Militares, Civis e Peritos. O investimento maciço na área de tecnologia é para potencializar o sistema de câmeras no Estado inteiro, com leitura de placas e reconhecimento facial. Queremos colocar o mais rápido possível em prática, para melhorar ainda mais a segurança em Santa Catarina”, finaliza.

Números

O escrivão da Polícia Civil e gerente de Estatística da Diretoria de Inteligência e Informação da Secretaria de Estado da Segurança Pública, Davi Novelo aproveitou o encontro para apresentar os índices de criminalidade da região da AMFRI.

Em relação ao ano de 2020 para o primeiro semestre de 2021, os indicadores de roubo, roubo e furto de veículos, homicídios e feminicídios na região, tiveram queda de 15,4%, 13,5%, 13% e 80%, respectivamente. Já os indicadores de furtos e estelionato, tiveram aumento de 1,9% e de 62%, respectivamente.

Tendo em vista o aumento considerável dos crimes de estelionato, o Governo do Estado lançou campanha de prevenção em relação os golpes “Desconfie sempre, não caia em golpes”. Nela, são mostradas as maneiras usadas pelos criminosos para enganar as vítimas. Junto ao material, a população tem acesso à cartilha informativa da Polícia Civil, contendo os principais golpes realizados no estado, dicas de como se prevenir de cada um deles e orientações de como agir caso a pessoa já tenha sido vítima.

Fontes: Assessoria Comunicação/PMBC e AMFRI

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -