- Publicidade -
25.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Bombeiros alertam que o mar mudou com o alargamento da praia central de Balneário Camboriú

Trabalho aumentou bastante na areia também: em duas semanas 155 crianças perdidas

No período mais movimentado da praia, entre 20 de dezembro e 3 de janeiro, os guarda-vidas registram mais de 30 arrastamentos, 155 crianças perdidas, ocorrências com água viva e preocupação com as embarcações que na Barra Sul estão muito próximas dos banhistas.

Por isso, a prevenção foi reforçada e eles pedem que os turistas tenham ‘consciência’ e acatem as orientações.

Desde que as obras do alargamento da faixa de areia da praia central iniciaram o Corpo de Bombeiros de Balneário Camboriú vem demonstrando preocupação com a distância dos postos até a água e com a mudança das correntes, o que também foi relatado pelos surfistas (as ondas estão mais rápidas e mais curtas, por exemplo).

Praia mudou, mar ‘colaborou’

O 1º Tenente BM Walter Pereira de Mendonça Neto, do 13º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM) de Balneário Camboriú, conta que ao longo dos dias mais movimentados da temporada deu para perceber que a praia de fato sofreu alterações em suas características originais.

“Antes as ondas vinham quebrando, eram longas, agora encurtaram e estão mais rápidas em alguns pontos; e há correntes de retorno novas que acabam surgindo. Todos esses pontos estão sinalizados pelos guarda-vidas, o ideal é o pessoal ficar perto de postos para assim estarem protegidos”, alerta, citando que o mar ‘ajudou muito’ neste fim de ano porque não estava tão brabo.

- Publicidade -

“Os guarda-vidas trabalharam muito forte na prevenção e assim não tivemos nenhum caso grave, não houve nenhuma morte. Teve um registro de afogamento, mas a pessoa se recuperou e tivemos 33 arrastamentos, também sem gravidade”, detalhou.

Água viva na área

Na última semana, os guarda-vidas também atenderam muitas ocorrências envolvendo queimaduras por água-viva.

A recomendação é não lavar com água doce e procurar imediatamente os guarda-vidas, que sempre possuem vinagre ( o produto ideal para lavar o local afetado) nos postos.

Crianças perdidas

- Publicidade -

“Também atendemos muitas crianças perdidas, por dia passam de 10. O alargamento influenciou diretamente nisso, porque agora há mais espaço. Somente de 20/12 a 03/01 foram 155 crianças perdidas. Os pais podem ir até os postos de guarda-vidas e solicitar pulseirinhas de identificação para as crianças, sempre temos disponíveis”, destacou.

As pulseirinhas de identificação também podem ser retiradas nas tendas do programa Praia Limpa, espalhadas ao longo da orla.

Embarcações próximas

Muitas embarcações na Barra Sul estão ficando bastante próximas dos banhistas e esta é outra preocupação dos guarda-vidas.

“Há boias de marcação que formam uma linha, que é a distância mínima, os barcos e jets não podem trafegar mais próximo que isso. Os condutores de embarcações e jets também precisam tomar muito cuidado com o álcool e precisam de habilitação, para assim termos um mar mais seguro”, salientou.

17 postos ativos

O Tenente Neto lembra que a distância dos postos para o mar influenciou bastante no trabalho dos guarda-vidas, e por isso instalaram os ‘cadeirões’ para ficarem mais próximos dos banhistas. No total, a praia central está com 17 postos espalhados pela orla, entre fixos e os cadeirões.

“Conseguimos nos adequar e assistir a praia toda, fazemos também as rondas com quadriciclos e a pé. O número de guarda-vidas por dia na praia central varia entre 50 e 60. Todas as praias estão assistidas todos os dias, incluindo as agrestes. A praia central ‘ativa’ às 7h30, mas na primeira hora fazemos os serviços preparatórios e os postos avançados (cadeirões) começam a atuar a partir das 8h30. Sempre temos guarda-vidas nas plataformas, são 12h de trabalho/dia. Nas praias agrestes começamos às 8h e seguimos até o pôr-do-sol”, conta.

Consciência & ocorrências

A postura dos banhistas é algo que os bombeiros e guarda-vidas sempre destacam – é a consciência dos moradores e turistas que influencia na segurança.

“A postura dos banhistas varia, há muitas pessoas educadas que acatam a ordem dos guarda-vidas, mas outras que ignoram. O álcool influencia muito, se a pessoa bebe muda também. O banho noturno é uma preocupação também. A recomendação que damos é entrar no mar enquanto há guarda-vida na praia. Por isso, a prevenção é sempre a nossa preocupação. Temos o serviço de monitoramento pelas câmeras, há um bombeiro que está sempre observando os banhistas e se comunica com os guarda-vidas se preciso. Por enquanto, a praia central está 100% monitorada, e para o próximo verão também teremos monitoramento nas praias agrestes [acontecerá uma licitação para compra das câmeras]”, pontua, lembrando que em caso de emergência e que não estejam guarda-vidas na praia [após às 19h30 e antes das 7h30] é possível ligar para o 193 – sempre há bombeiros e guarda-vidas 24h no batalhão do Pontal Norte, com jet ski sempre a postos na água.

Água no umbigo

O Tenente aproveita para pedir que os banhistas tenham responsabilidade e não abusem do mar – de preferência, mantendo a água no máximo até o umbigo e cuidar com a ingestão de álcool.

“Na corrente de retorno não tem onda, então os banhistas acham que é um local sem perigo, mas precisam se atentar nas bandeiras, todos esses pontos são identificados. De preferência, devem procurar um lugar próximo dos postos de guarda-vidas e qualquer dúvida podem perguntar para nós”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -