- Publicidade -
- Publicidade -
20 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Centro de Controle Operacional fez mais de três mil atendimentos na Praia Central de Balneário Camboriú

O Centro de Controle Operacional (CCO) funcionou pelo terceiro ano consecutivo na Praia Central de Balneário Camboriú. Em um só local foram centralizados atendimentos das secretarias de Segurança, Turismo, Inclusão Social, Saúde e Fiscalização de Posturas durante a temporada. 

Desde a sua primeira edição, o espaço recebeu aprovação do público, tanto de moradores quanto de turistas.

Saúde: mais de 2.500 atendimentos

(Divulgação/PMBC)

O secretário de Saúde de Balneário Camboriú, Omar Tomalih, salienta que o CCO tem como objetivo trazer o serviço público a quem está na praia, mas também manter a ordem pública – unindo Saúde, Segurança, Turismo, Inclusão Social (incluindo a Abordagem Social) e Fiscalização de Posturas. 

“No caso da Saúde, todas as especializadas participaram. Tivemos teste-rápido através do CTA/CISS, fisioterapia, massagem, teste de glicose e pressão. Foram muitos atendimentos – mais de 2.500. Houve alguns encaminhados para a UPA do Bairro das Nações quando precisavam de atendimento mais específico, e os que conseguimos resolver ali, resolvíamos”, conta.

- Publicidade -

Segundo Omar, a Saúde levou para o CCO, na praia, equipe completa com médico, enfermeiro, técnico de enfermagem e fisioterapeutas. Na Virada do Ano, os principais atendimentos foram envolvendo problemas com álcool (pessoas que exageraram na bebida), assim como no Carnaval – algo comum nessas festas. 

“Durante todo o verão, pelo grande fluxo de pessoas, altas temperaturas, e às vezes má condição de preservação dos alimentos que levavam para a praia, houve casos de diarreia, fora as doenças respiratórias, como gripe e resfriados. Houve também no Réveillon casos de cortes, em função de vidro que quebrou e as pessoas se machucaram, mas não houve nenhum caso grave que precisou ser atendido ali”, pontua.

O secretário opinou ainda que o CCO veio para atender não apenas os turistas, mas os moradores de Balneário Camboriú que circulam na praia, o que diminuiu a procura por outras portas, como UPA Nações, PA da Barra e Hospital Ruth Cardoso. 

“É um instrumento temporário que vem para nos auxiliar quando há um aumento no fluxo de pessoas circulando pela cidade, como acontece na alta temporada de verão”, completa.

Inclusão Social também realizou muitos atendimentos

Espaço Kids, a novidade deste verão (Divulgação/PMBC)

A secretária de Inclusão Social de Balneário Camboriú, Christina Barichello, opina que o CCO é ‘extremamente importante’ para os turistas sentirem que também contam com ‘proteção e suporte emocional’ em um momento onde estão longe de casa. 

“Imagina vir para uma praia fazer turismo e, se tiver uma crise, sofrer uma violência, poder desfrutar de um atendimento gratuito, de fácil acesso, ali na praia. E isso também para o morador, que às vezes na correria do ano não consegue conhecer os programas que temos, como o Abraço – À Vida, À Mulher, Ao Idoso… e todas as oficinas que temos, gratuitas, na Casa da Família”, aponta.

No local, também aconteceram  aulas de dança, ginástica e alongamento, além de encontros de idosos, momentos de música, etc.

Christina explica que neste verão também montaram no CCO um espaço kids para acolher as crianças que se perdiam dos pais, para que se sentissem menos estressadas na espera pelo encontro com os pais e/ou responsáveis. 

“Ao total, a Inclusão Social atendeu no CCO aproximadamente 612 pessoas, somente pelo Abraço, e a maioria foram turistas. Vejo que o CCO é um centro de convivência que acolhe as pessoas durante o verão e que é um projeto que deu certo e veio para ficar”, completa.

Segurança também esteve no CCO

(Divulgação/GMBC)

Segundo a Comandante da Guarda Municipal de Balneário Camboriú, Taís Baruffi, o CCO operou 24h por dia até 4 de março e contou com a atuação integrada da Guarda Municipal, Polícia Militar, Agentes de Trânsito, Secretarias Municipais, bem como com o Conselho Tutelar.

“Proporcionando maior agilidade no atendimento aos moradores e veranistas. Durante seu funcionamento, a Guarda Municipal atuou com o policiamento remoto através da utilização de drones, que eram utilizados e monitorados de dentro da sala de inteligência do Centro de Comando, garantindo agilidade, mobilidade e visão panorâmica, auxiliando nas operações, acompanhamentos e no policiamento ostensivo. Desta forma, o Centro de Comando Operacional foi um reforço importante na intensificação da segurança de Balneário Camboriú, durante a alta temporada da cidade”, disse.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -