- Publicidade -
- Publicidade -
21.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Governo faz dispensa em massa na PRF e caem 26 superintendentes regionais

O governo Lula dispensou nesta quinta-feira, 19, de uma só vez 26 superintendentes regionais da Polícia Rodoviária Federal. A medida, assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Rui Costa, foi publicada no Diário Oficial. Apenas a Superintendência da PRF no Piauí não foi alcançada pela debandada.

De acordo com a PRF, ainda não há previsão de indicação dos nomes que vão assumir as superintendências estaduais na corporação em substituição aos exonerados. Por enquanto, a PRF nos Estados segue sob gestão de superintendentes substitutos.

A saída de ocupantes de cargos de confiança é um ato rotineiro quando há mudança de governo. A publicação no D.O. não expõe motivos para as dispensas, nem coloca sob suspeita a conduta dos chefes regionais da corporação. A preocupação do Palácio do Planalto reside no alinhamento de antigos gestores da PRF ao governo Jair Bolsonaro.

- Publicidade -

Nos bastidores da PRF, ganha intensidade a especulação sobre os quadros que deverão ser escolhidos para conduzir a instituição nos Estados e no DF. Existe preocupação com relação à eventual escalação de nomes ligados ao ex-diretor-geral da corporação, Silvinei Vasques, que se aposentou em fins de dezembro sob fogo cerrado do Ministério Público Federal, acusado de ter usado o poder e a influência do cargo para fazer campanha do então presidente Jair Bolsonaro nas eleições.

Durante boa parte do governo anterior, a PRF foi alvo de questionamentos e polêmicas, inclusive em meio às eleições, quando setores da corporação foram cobrados por suposta leniência na ação para destravar bloqueios de rodovias.

Na gestão Bolsonaro, a PRF e também a Polícia Federal – ambas instituições sob o guarda chuva do Ministério da Justiça – foram constantemente colocadas sob suspeita de aparelhamento e interferência do então presidente.

Um momento especialmente sensível para a corporação foram as eleições. No segundo turno, a PRF realizou operações em todo o País sob alegação de barrar o transporte irregular de eleitores, mesmo contrariando decisão do Tribunal Superior Eleitoral.

Depois da vitória de Lula, a corporação viveu forte pressão do Supremo Tribunal Federal e do Ministério Público, que impuseram medidas rigorosas contra o caos nas principais rodovias do País, travadas por bloqueios de grupos bolsonaristas.

Ambos os casos colocaram o então chefe da PRF, Silvinei Vasques, na mira do Ministério Público e da própria PF – ele é investigado por prevaricação e é alvo de uma ação de improbidade administrativa. Outros episódios marcaram a PRF em 2022. Como em Sergipe, no caso Genivaldo de Jesus Santos, asfixiado e morto em um camburão transformado em câmara de gás.

VEJA A LISTA DOS SUPERINTENDENTES DISPENSADOS:

- Publicidade -

– Luiz Alexandre Gomes da Silva da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso do Sul

– Antonio Fernando de Miranda da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em São Paulo

– Virgilio De Paula Tourinho da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal na Bahia

– Antonio Paim De Abreu Junior da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Paraná

– Bruno Schneider Raslan da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Minas Gerais

– Andre Saul Do Nascimento da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Santa Catarina

– Robson De Oliveira Souza da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Rio Grande do Sul

– Alexandre Carlos De Souza e Silva da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Rio de Janeiro

– Ivan Anderson Barbosa Chagas da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Alagoas

– Diego Joaquim De Moura Patriota da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Pará

– Giovanni Bosco Farias Di Mambro da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal na Paraíba

– Aldo Balieiro Machado da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Amapá

– Getulio Mario Gomes De Azevedo da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Acre

– Francisco Elcio Lima Lucena da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso

– Felipo Jesus Medeiros da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Roraima

– Diego De Farias Silva da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Amazonas

– Luiz Fernando Naves Sanches De Siqueira da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Goiás

– Almir Eustaquio Da Silva da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Tocantins

– Jason Gomes Terencio da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Sergipe

– Luiz Idalino Camara Pinheiro da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Rio Grande do Norte

– Rommel Pessoa Dantas da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Rondônia

– Jandir Andre Lubenow da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Maranhão

– Jean Ricardo Alves Duque da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Espírito Santo

– Leonardo Alves De Oliveira Rodrigues da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Distrito Federal

– Antonio Vital De Moraes Junior da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco

– Gilson Alves De Oliveira da função de Superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Ceará

(Por Pepita Ortega e Fausto Macedo/AE)

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -