- Publicidade -
- Publicidade -
27.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Inclusão Social prepara operação integrada focada nas pessoas em situação de rua

Nesta semana, três foragidos da Justiça, sendo dois homens e uma mulher, foram encontrados vivendo nas ruas de Balneário Camboriú. Os três foram presos pela Guarda Municipal da cidade.

(Secretaria de Inclusão Social/PMBC)

As prisões refletem algo que a prefeitura já tenta combater há bastante tempo: a importância da comunidade não dar esmola, pois boa parte de quem está hoje em situação de rua é porque quer e o dinheiro que ganham é para drogas. Considerando isso, as secretarias de Inclusão Social, Meio Ambiente, Segurança, Saúde, Fiscalização de Posturas e Polícia Militar vão realizar uma operação integrada em breve.

População precisa colaborar

A secretária de Inclusão Social de Balneário Camboriú, Christina Barichello, conta que além das prisões que aconteceram no domingo e segunda (25 e 26) (relembre aqui), há ainda traficantes que estariam se passando por moradores de rua, para assim ‘disfarçarem’ e conseguirem vender drogas com mais ‘facilidade’. 

- Publicidade -

“Enquanto a população não entender que Balneário Camboriú trabalha para ajudar pessoas em situação de rua, com abrigo, comida, internando em clínicas terapêuticas ou encaminhando para suas cidades, e seguir dando esmola, essa situação não vai mudar. Eles [os mendigos] ganham mais de R$ 300 por dia com esmola, que vai tudo para droga! Se revertessem para melhorar de vida era uma coisa, mas é tudo para droga”, analisa.

Mais de 90 internações

Christina disse que Balneário possui hoje de 90 a 100 vagas em clínicas terapêuticas e que cada tratamento custa cerca de R$ 2,8 mil/mês. 

“Nós utilizamos praticamente todas as vagas. São 90 pessoas que estão internadas, às vezes até mais. Quando excede, conseguimos em clínicas ligadas a igrejas da região, pois vemos que se a pessoa aceita ajuda, temos que dar um jeito de internar. É uma ilusão da população achar que quem vai pedir esmola precisa de ajuda, tanto que há um novo golpe dos mendigos que pedem leite, vendem esse leite e trocam por droga. Estão comprando e pedindo também bombril para fumar crack”, acrescenta.

Cidades da região não podem enviar pessoas para Balneário

A Secretaria de Inclusão Social também está elaborando um documento para enviar para as cidades da região, porque muitas pessoas em situação de rua estariam chegando no município falando que vêm de outras cidades. 

“Há a suspeita de que as Assistências Sociais já mandam vir para em Balneário, porque nós ajudamos; mas não é justo Balneário pagar para atender outras cidades. Existe esse indício”, afirma.

Nova operação deve acontecer em breve

Frequentemente a Inclusão Social, através do departamento de Abordagem Social, realiza operações com a Guarda Municipal, já que precisam do apoio da segurança em casos de prisões ou de andarilhos que possam ser violentos. “Estamos tentando fazer um cerco maior com o apoio da GM, e em breve começaremos operações também integrando ainda a PM, secretaria de Saúde, Meio Ambiente e Fiscalização de Posturas, como se fosse uma corrente, pois está tudo integrado – as pessoas em situação de rua cometem furtos ou catam recicláveis e trocam por droga, então temos que fiscalizar as recicladoras, há ainda hospedarias ilegais que são abertas… nós também imploramos aos restaurantes que não deem comida, mas seguem dando. É bem complicada a situação e exige esse serviço integrado”, explica.

Mais de 100 moradores de rua

Christina citou que a sensação que possuem é de que é um ‘trabalho sem fim’, pois se conseguem ajudar 100 pessoas, chegam 200. 

- Publicidade -

“Hoje há cerca de 125 moradores de rua na cidade, mas todos os dias podem estar chegando mais. Se a população quer mesmo ajudar, deve encaminhar para a Abordagem Social, pois há ali pessoas que precisam de ajuda porque são viciadas em droga e/ou álcool e também bandidos, tanto que três foram presos. É diferente de grandes centros onde há famílias que foram despejadas e acabaram na rua, em Balneário isso não existe! Mas não adianta a prefeitura apresentar esse serviço de excelência se a população não fizer a sua parte… fica um enxuga gelo”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -