- Publicidade -
- Publicidade -
13.9 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Polícia Civil encerra inquérito relacionado a homicídio ocorrido em 2020, em Balneário

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú, encerrou o inquérito que apurava dois crimes cometidos contra Anderson dos Santos Coelho, conhecido como ‘Floripa’, que tinha 30 anos, e era integrante de uma organização criminosa. Sete pessoas se envolveram no caso.

Relembre

Anderson foi baleado 13 vezes no sábado de Carnaval (22 de fevereiro de 2020), em frente a uma conveniência localizada na Avenida do Estado, no Bairro das Nações. Na ocasião, dois homens haviam sido apontados como os responsáveis pelos tiros. Ambos fugiram em um veículo com a ajuda de um terceiro suspeito e, em seguida, foram para a Praça Tamandaré festejar o Carnaval.

Floripa não faleceu neste primeiro atentado e foi encaminhado para o Hospital Municipal Ruth Cardoso. A ousadia dos criminosos surpreendeu: eles chegaram a invadir a UTI do Ruth Cardoso, em 2 de março de 2020, quando conseguiram matar o homem de 30 anos. Dois outros envolvidos participaram da ação.

- Publicidade -

Investigações

Ao longo das investigações, policiais conseguiram diversas informações, possibilitando a identificação dos envolvidos nos crimes [tentativa e consumação de homicídio qualificado].

Sábado de Carnaval

Em relação à tentativa de homicídio qualificado [no sábado de Carnaval], foram indiciados e presos F.M.S.S. e L.G.G. como executores. Já D.N.C. foi o mandante do crime. Há mais um homem envolvido (ainda desconhecido), que seria moreno, de aproximadamente 20 anos. Ele ainda não foi identificado, mas as investigações continuarão para tentar prendê-lo. Caso alguém tenha mais informações sobre ele, pode entrar em contato com a DIC de Balneário Camboriú.

Invasão ao Ruth Cardoso

Na consumação do homicídio qualificado, foram indiciados e presos P.C.S. e W.S.O. como os executores do crime, com D.N.C. sendo novamente indiciado e preso por dar a ordem do crime. D.N.C. responderá pela tentativa e pela consumação do crime.

Sete envolvidos

A Polícia Civil aponta que, dos sete envolvidos, cinco foram identificados, indiciados e presos, um encontra-se com identificação desconhecida (o homem moreno) e um foi morto em confronto com a Polícia Militar em maio de 2020. Este último teria sido o responsável por emprestar uma das pistolas utilizada na tentativa de homicídio.

Colabore com a Polícia Civil fazendo denúncias pelo telefone 181 ou através do Whatsapp, pelo número (47) 3398.6500. O sigilo é absoluto.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -