- Publicidade -
- Publicidade -
25 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Abertura do verão em Balneário Camboriú teve clima ‘quente’ nos bastidores e até assalto à jornalista

Os furtos ocorridos na abertura da temporada de Balneário Camboriú, no sábado (3), na Praia Central, continuam rendendo nas redes sociais. A Secretaria de Segurança da cidade estima que pelo menos seis aconteceram. Situações assim vêm se tornando comuns em eventos públicos, a exemplo do ocorrido na Parada da Diversidade, em 20 de novembro, também na Avenida Atlântica. 

(Foto PMBC/Melim)

Na abertura também foram registradas outras situações, como o atraso da atração principal, a banda Melim, porque a cantora Gabi não estava bem de saúde. Acompanhe abaixo.

Secretário de Segurança fala sobre furtos ocorridos

Durante o evento da abertura da temporada de verão, foi registrada uma tentativa de furto à uma jornalista de Balneário, que estava subindo no camarote da prefeitura quando sentiu alguém abrindo a sua mochila – ela pediu ajuda e foi socorrida pelo esposo, também jornalista, e até por um vereador, Anderson Santos, que estava no local, além de um policial ‘à paisana’. 

- Publicidade -

O ladrão tentou furtar o celular dela, que foi recuperado por uma diretora da Secretaria de Turismo. O homem foi contido e levado para a delegacia. Houve mais tentativas de furtos denunciadas durante o evento.

Situações do tipo (furtos de celulares em grandes eventos) vêm acontecendo em Balneário, a exemplo do ocorrido também na Parada da Diversidade, em 20 de novembro. 

Esses ‘furtos de oportunidade’ chamam a atenção de bandidos, que se aproveitam da situação, como festas e shows, para conseguir furtar celulares sem que a vítima perceba no ato.

O secretário de Segurança da cidade, Antônio Gabriel Castanheira Junior, conversou com o Página 3 e explicou que foram registrados seis furtos no evento de sábado. 

Ele exemplificou com a situação de Copacabana, no Rio, onde na Virada do Ano mais de mil celulares foram furtados. 

É um crime sazonal, e acontece. Houve seis furtos no show, e 30 mil pessoas estavam lá. A Guarda Municipal estava lá, inclusive com guardas atuando na faixa de areia. É um crime difícil de pegar, porque a pessoa usa da oportunidade – levantam os celulares para fotografar, deixam no bolso, e o ladrão passa e leva. Aconteceram furtos assim também na Parada da Diversidade e percebemos que está acontecendo aos finais de semana, quando há mais aglomeração de pessoas. É algo que está no nosso radar, pois se há um público maior, acontecem esses furtos”, informou.

O secretário pontuou ainda que um dos suspeitos de ter cometido furtos no sábado foi preso na manhã desta segunda-feira (5), cometendo outro furto de celular em Balneário Camboriú. 

- Publicidade -

“Pegamos uma dessas pessoas que havia sido identificada no show. Não conseguimos prender ele no dia, porque acontece de eles trocarem de roupa após furtar e tinha muita gente lá, mas estávamos monitorando e hoje (segunda-feira, 5) pegamos ele cometendo outro furto de celular”, acrescentou.

O que diz a jornalista

A jornalista Diandra Dognini, do Camboriú News, disse que está muito abalada com tudo o que aconteceu. Acompanhe o depoimento:

“Toda a situação me abalou bastante, pois fui até o local para trabalhar, e já na chegada vi o cara puxando meu celular da minha bolsa, tomei a pior decisão que foi me grudar no ladrão e foi onde tudo aconteceu. Pedro, vereador Anderson, Major Ghilardi se grudaram no ladrão, nessa hora eu só berrava que tinha sido roubada, pois como não havia polícia militar e nem guarda municipal no local, a população estava achando que estavam batendo no rapaz, por nada.

Por sorte, a Cler do Turismo conseguiu ver a situação toda de fora, sem entrar na briga, ela viu o momento em que o ladrão tentou jogar meu celular para um comparsa, rapidamente ela empurrou o comparsa e pegou meu celular. Durante a ocorrência fiquei firme, mas agora após toda a confusão e exposição acabei desencadeando crises de ansiedade, pois foi uma confusão muito grande.

Hoje não tenho mais coragem de sair para cobrir eventos públicos pois dessa vez o furto foi consumado, mas já havíamos passado por apuros na praça Tamandaré durante o evento de Natal.

Na ocasião um grupo de 4 a 5 homens se aproximavam do nosso equipamento toda hora, eu mal trabalhei fiquei cuidando do celular do Pedro enquanto ele fazia live, no dia não tinha Guardas Municipais no local e a iluminação estava muito ruim pois estavam querendo fazer suspense pro ‘acender das luzes de Natal’.

E o pior de toda a situação é que fomos até o evento da abertura da temporada à convite da prefeitura para cobrir o show da banda Melim e após sofrer esse furto e passar por toda essa situação, ninguém da administração pública entrou em contato, nem para perguntar se estamos bem ou para demonstrar solidariedade com o ocorrido”.

Atraso de cantora também gerou tensão nos bastidores

A reportagem do Página 3 esteve no evento e conferiu tudo de perto. A prefeitura estava organizada, com credenciamento previamente feito junto à imprensa, mas na hora chegou a notícia de que a banda só daria entrevista para TV. Foi possível perceber que o clima entre o alto escalão da prefeitura estava tenso. 

Gabi passou mal mas conseguiu se apresentar (PMBC/Melim)

As reclamações do ‘estrelismo’ por parte do Melim eram frequentes e repetidas a todo momento por membros do governo municipal. 

Vale lembrar que a contratação da banda custou cerca de R$ 170 mil aos cofres públicos. 

O show marcado para às 21h, começou quase às 22h, e os comentários eram de que ninguém sabia onde estava a cantora Gabi. 

O cantor Nego Joe, que estava no evento como espectador e não fazia parte da programação, chegou a apresentar algumas canções para ‘acalmar’ o público, que ensaiou vaias, já que o Melim estava atrasado.

Porém, quando a cantora chegou, foi possível perceber que ela estava passando mal. Surgiram informações de que ela vomitou nos bastidores e precisou ser auxiliada pela equipe. 

No domingo (4) Gabi se posicionou nas redes sociais dizendo que o dia foi difícil e que havia sido decidido que os irmãos a representariam no palco, mas que ela sentiu que precisava estar presente – e de fato conseguiu entregar uma apresentação completa, que agradou o público presente.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -