- Publicidade -
32.6 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Coleção arqueológica com novo visual educa e atrai turistas em Balneário Camboriú

Investimento com recursos da LIC e ICCO renovam a riqueza do sambaqui da Praia de Laranjeiras.

O Padre João Alfredo Rohr iniciou as escavações no ano de 1977 e retomou em 1978 com novas descobertas, o que movimentou a Praia de Laranjeiras como centro das atenções. Parte do material resgatado passou a fazer parte do acervo do Museu Municipal, anos depois transferido para o Complexo Ambiental da então Citur/Rodofeira, equipamento na época recém-inaugurado e que alterou as perspectivas de receptivo turístico de Balneário Camboriú.

O que havia em Laranjeiras era uma aldeia indígena com mais de 3 mil anos, duas importantes jazidas arqueológicas. De um lado da praia, um vasto sambaqui e, do outro, extenso sítio de sepultamento. Para o Museu de Antropologia e Ciências Naturais, que está localizado no Complexo Ambiental Cyro Gevaerd, foram direcionados 18 sepultamentos, fogões, objetos líticos e cerâmicas, além de um bloco-testemunho, corte de terra pertencente ao Sítio Arqueológico. A outra parte dos achados arqueológicos seguiu para o Colégio Catarinense, em Florianópolis, reduto de Padre Rohr.

Quem visita o Complexo Ambiental, o nosso Zoo, pode conferir todo ambiente de exposição do acervo repaginado, por conta de um investimento de R$ 20.000,00 mil, recurso oriundo da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) de Balneário Camboriú, edital de 2021. A verba do Projeto “Da Escavação ao Museu” foi toda direcionada à comunicação visual do museu, inclusive com sua nova marca, enquanto a direção do Instituto Catarinense de Conservação da Fauna e Flora (ICCO), que administra o parque, investiu nos mobiliários, vitrines e demais serviços de infraestrutura, como o espaço inclusivo criado como contrapartida ao projeto aprovado pela LIC.

Uma das novidades é o Sítio Escola, uma proposta de educação patrimonial, onde os alunos que participam de ações mediadas da exposição “Da Escavação ao Museu” poderão experimentar como é um sítio arqueológico. Com objetos do cotidiano de um arqueólogo (peneira, pincel, pá) os alunos podem descobrir como é achar um fragmento de cerâmica, osso ou um artefato. O intuito do sítio escola é ensinar as temporalidades de um sítio arqueológico e fazer com que os alunos despertem para o patrimônio cultural.

Live

- Publicidade -

A exposição “Da Escavação ao Museu”, chega dando um visual novo a coleção arqueológica do Complexo Ambiental Cyro Gevaerd. Para falar um pouco sobre esse processo de concepção e pesquisa acontece uma live no dia 29 às 10hs30 no canal no Youtube com as participações do designer Vinícius Nunes Rocha e Souza, a museóloga Angela Peyerl e o historiador Nildo Teixeira. Acesse Zoológico de Balneário Camboriú no Youtube ou @zoologicobc no Instagram e assista.

O projeto foi um patrocínio oriundo da Lei de Incentivo à Cultura (LIC), edital de 2021.

Serviço

- Publicidade -

O que: Museu de Antropologia e Ciências Naturais

Onde: Complexo Ambiental Cyro Gevaerd (Zoo)

Horário de visitação: Todos os dias das 8:30 às 18:00 horas

De segunda a segunda-feira Ingresso: R$ 30,00 adulto, R$15,00 criança (de 6 a 12 anos), Idosos R$15,00 e menores de 5 anos acompanhados de responsáveis não pagam.

Endereço: BR-101 Km 137 Balneário Camboriú- SC

(Texto: Bola Teixeira).

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -