- Publicidade -
- Publicidade -
30 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Nutricionista compartilha dicas de como evitar comer (ou beber) demais na ceia de Natal

A nutricionista Letícia Lenzi, de Balneário Camboriú, conhecida nas redes sociais, onde acumula 160 mil seguidores e compartilha dicas de lifestyle e receitas fáceis e saudáveis, conversou com o Página 3, e deu dicas de como não exagerar nas festas de fim de ano – tanto na comida quanto na bebida. 

Afinal, com tantas opções, é comum exagerar na comilança, podendo até se tornar casos mais sérios, como a temida “ressaca alimentar” (sensação de estufamento, chamada cientificamente de dispepsia, que pode causar grandes incômodos, como má digestão, flatulência, azia, queimação, inchaço e náuseas).

A nutricionista Letícia (Arquivo Pessoal)

Letícia salienta que é muito comum que as pessoas fiquem um período durante o dia poupando o alimento com o intuito de comer à noite. 

- Publicidade -

Ela diz que o ideal é manter uma dieta ao longo do dia, fracionar a alimentação de forma correta, para quando chegar à noite não estar com muita fome. 

“Essa é uma estratégia bem simples de ser seguida, e que também faz bastante diferença. Na hora da distribuição do prato, na ceia de Natal, sempre vai ter uma fonte de proteína – o peru, o chester, enfim, e sempre vai ter a opção de salada. Então, você pode começar de repente a fazer um prato de salada, já para você dar aquela forrada no estômago, pode pegar um chester ou peru, e pode colocar um carboidrato, seja ele um arroz, uma massa. O ideal é fazer uma distribuição bem proporcional, com no máximo duas opções de carboidrato”, explica.

Letícia comenta que uma estratégia que dá para fazer é a combinação da salada com as frutas, ou a fruta como sobremesa, para também não extrapolar na quantidade do doce pós-ceia. 

Com relação à parte da bebida alcoólica, ela enaltece que a melhor estratégia é sempre fracionar com água, porque automaticamente você diminui a quantidade de bebida alcoólica que você bebe e ajuda no processo de filtragem. 

“Água com gás também pode ser incluída, que não vai alterar no benefício da água e no poder de hidratação. E outra coisa que dá pra ser feita aqui é colocar frutas dentro da água normal, água com gás, com o intuito de aromatizar. E aí feito isso, você consegue ter uma hidratação boa e, obviamente, não abrir mão do champanhe, enfim, da bebida que você se propôs a beber na ceia. O ideal também é não misturar, não pela questão de mistura, e sim pela questão de não extrapolar na quantidade”, opina.

A importância de comer devagar também foi citada por Letícia, que lembra que assim é possível evitar consumir uma quantidade muito grande de comida ou optar repetir o alimento sem de fato haver necessidade. 

“Se você mastigar de forma devagar, colocando o talher na mesa, respeitando esse momento, automaticamente você vai ter o reconhecimento cerebral ali que demora em torno de 20 minutos para o hipotálamo receber a mensagem da comida e automaticamente você ficar saciado sem ter que pegar comida e depois não aguentar mais, porque nessa de você comer rapidamente, servir novamente, quando o seu cérebro entende a chegada do alimento você já está extremamente estufado”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -