- Publicidade -
- Publicidade -
16.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Licença para macrodrenagem da Praia Central foi liberada e vereadora Juliana quer mais informações sobre a obra

A Licença Ambiental de Instalação (LAI) da macrodrenagem Norte e da reurbanização da orla da Praia Central, emitida pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), foi entregue nesta semana para a prefeitura de Balneário Camboriú. 

O prefeito Fabrício Oliveira informa que com a licença de instalação em mãos, será possível licitar o projeto de macrodrenagem da parte Norte da Praia Central, que começa na altura da Rua 2.000 e vai até o Rio Marambaia, no Pontal Norte, num trecho de 2,4 km. 

“É uma obra importantíssima de drenagem que irá proteger a praia de qualquer erosão provocada por volumes altos de chuva. Esta licença ambiental permite, também, licitar a reurbanização da orla da Praia Central”, explica.

Sobre a reurbanização da Praia Central, que terá jardim linear, canteiros de árvores e jardins drenantes, espaço para micromobilidade, pista de corrida, via de serviços, decks de acessos e equipamentos, mudas de vegetação nativa, arbustos, palmeiras e massas arbustivas, área de lazer com playgrounds, dog parks, canchas de bocha, academias assistidas e unidades de alongamento, dois pontos de apoio à prática de surf, quiosques e três ranchos de pesca, a prefeitura informou que também há novidades na obra – estão iniciando a execução do meio fio e canaleta monobloco até 4.600, instalação canaleta monobloco até 4.600, terraplanagem e concretagem nas vias de corrida e micromobilidade, concretagem do calçadão, instalação de equipamentos de academia, rompimento muro de contenção antigo, instalação de tampas e caixas elétrica e plantio restinga.

- Publicidade -

Porém, isso se dá apenas no primeiro trecho, que compreende a extensão da orla entre as Ruas 4400 e 4600. 

Ao todo são 18 trechos e sobre os demais não há novidades. Somente o primeiro, executado pela construtora FG, há 230,45 metros de extensão e área de superfície correspondente a 8.965,35m². O valor da compensação urbanística para a realização da obra neste trecho ultrapassa a casa dos R$ 13,6 milhões.

Vereadora quer mais informações

Vereadora Juliana visitou a obra em andamento. Mas quer informações sobre os outros trechos (Divulgação)

A vereadora Juliana Pavan protocolou pedido para que a prefeitura apresente informações dos demais trechos da obra. Ela foi informada que a prefeitura quer alterar o projeto aprovado e que isso custaria R$ 400 mil. 

“Ou seja, não existe cronograma, planejamento orçamentário ou licitação, faltam mais 6km e há a preocupação de ter mais transparência para essa grande obra. Não podemos permitir que aconteça atraso, desleixo e falta de planejamento – o que é padrão da atual administração, deixaram muito claro o atraso de grandes obras, como Avenida Martin Luther, Avenida Ecopark e o NEI Ariribá”, diz.

No pedido de informação feito há duas semanas, Juliana questiona o cronograma, planejamento orçamentário e previsão de término. 

“A atual obra de 230m deve ser entregue em 20 de julho, no aniversário da cidade, mas e a orla inteira? Ainda assim, aproveito para parabenizar a condução da FG, do Instituto + BC. Porém, precisamos ter segurança que a licitação dos trechos saia neste ano para finalizar com rapidez, isso inclui a obra de macrodrenagem, que deveria ter sido feita antes do alargamento. Precisamos dar agilidade nisso tudo, independente do governo que vem, mas para que as coisas andem”, completa Juliana


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -