- Publicidade -
- Publicidade -
21.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

“Mais do que merecido”: Ranchos de Pesca de Tainha da Praia de Taquaras são Patrimônio Cultural Material

Foi aprovado nesta semana o Projeto de Lei Ordinária N.º 22/2024, que declara que os Ranchos de Pesca de Tainha (“Rancho do Neu” e “Rancho do Eládio”), da Praia de Taquaras, ficam tombados como Patrimônio Cultural Material de Balneário Camboriú. Os pescadores veem que o projeto é ‘mais do que merecido’.

Jair Euflorzino, presidente da Associação de Moradores de Taquaras e filho de Eládio, pescador responsável por um dos ranchos de Taquaras, salienta que é ‘mais do que merecido’ o projeto aprovado, e que, na verdade, ‘é uma vergonha’ para o município porque todo o valor cultural que a cidade tem sempre foi aliada à pesca. 

“Tem que ser mantida essa cultura. O prefeito Fabrício Oliveira, sem puxação de saco, foi o que mais deu valor para a nossa cultura, que deu um apoio legal, como as festas que realizamos nas regiões das praias, que tem apoio estrutural e com atrações, e também a questão agora do rancho de pesca. É mais do que merecido esse projeto, vamos poder agasalhar nossas canoas, sabendo que é patrimônio cultural”, diz.

Porém, Jair aponta que, por um lado, há uma preocupação, que o patrimônio (Rancho) vire domínio da prefeitura. 

“A gente quer que o pescador tenha direito de ter seu rancho, o medo da prefeitura é que o rancho vire moradia ou restaurante, mas eu coloquei para o prefeito – a ideia é simples: façam um contrato. Nós assinamos a responsabilidade de que o rancho é para guardar a canoa, mas que tenhamos pelo menos o direito de ter banheiro – em Taquaras levamos dois anos, até no Patrimônio da União fomos, e conseguimos fazer. Está melhorando aos poucos, estamos nos sentindo mais apoiados”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -