- Publicidade -
- Publicidade -
17.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Poucos moradores na primeira reunião para discutir o novo Plano Municipal de Saneamento Básico

Segundo encontro será hoje (28), no Estaleiro para toda comunidade das praias agrestes

A primeira reunião setorial da revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico de Balneário Camboriú (PMSB), aberta à comunidade para levar suas preocupações, problemas e contribuições, recebeu poucos moradores dos bairros das Nações, Pioneiros, Ariribá e Praia dos Amores. 

Estiveram presentes os presidentes das associações de moradores destes bairros, um ex-presidente e morador do Nações, Edésio Pereira e o vereador Alessandro Kuhne (Teco), além dos responsáveis pelas reuniões que acontecerão em vários bairros.

- Publicidade -

Nesta terça-feira (28), 19h, a reunião será no Centro Comunitário Estaleiro. Toda comunidade das praias agrestes está convidada a comparecer.

A engenheira química e mestre em engenharia ambiental, da Emasa, Tânia Pedrelli destacou alguns assuntos discutidos.

“Um dos assuntos foi sobre uma possível alternativa de um novo manancial de água, devido a capacidade do Rio Camboriú e a tendência de verticalização.
Também questionaram a respeito da situação do Rio Marambaia, e o rio das Ostras e Peroba. Do Pioneiros o presidente da associação de moradores relatou sobre pontos de alagamentos bem pontuais. Ele também reclamou da ausência dos moradores que gostam de reclamar digitalmente”, disse Tânia.

Ausência preocupante

O presidente da Associação de Moradores da Praia dos Amores, o advogado Valdir de Andrade, participou da reunião de ontem, no colégio Médici, Bairro das Nações e manifestou sua preocupação com a ausência dos moradores daquela região. Valdir conhece bem as questões relacionadas ao saneamento básico, especialmente o rio Camboriú. Ele já organizou três mutirões em barcos, para limpeza do rio, que abastece os dois municipíos.

Opinião 

A falta de participação popular na revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico

- Publicidade -

Por Valdir de Andrade

Ontem (27) teve Reunião Setorial do Plano Municipal de Saneamento Básico de Balneário Camboriú, que foi a primeiras das reuniões setoriais para o trabalho de revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) e elaboração do Plano de Municipal de Gestão Integrado de Resíduos Sólidos de Balneário Camboriú. 

PMSB deve contemplar os quatro serviços básicos:

  • Abastecimento de água potável;
  • Esgotamento sanitário;
  • Manejo de resíduos sólidos;
  • Drenagem e manejo das águas pluviais urbanas.
- Publicidade -

Foi o primeiro encontro com a participação popular, da região Norte que compreende os bairros: das Nações, Pioneiros, Ariribá, Praia dos Amores e ocorreu às 19h, no CEM Presidente Médici, na Rua Paraguai.

Como presidente da AMPA, e com representação em outros conselhos de participação popular, participei do encontro dado a importância do tema, que discute a qualidade do  abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem de águas pluviais e coleta de lixo. 

Pela concentração demográfica, e inúmeras manifestações em grupos de rede social, sobre os problemas inerentes ao Rio Marambaia, drenagem pluvial, esgoto sanitário, considerei pífia a participação social no evento. 

Porém os líderes comunitários, como presidente da AMPE (Gonzaga), a Associação de Moradores do Ariribá (Veridiane) e Associação das Nações (Sara), e o Dr. Eduardo Ribeiro (OAB/BC – Lions Barra Sul), e do Legislativo Municipal (vereador Teco, com representantes de seu Gabinete Cel. Cantalicio), que fizeram prudentes contribuições à revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB).

Estamos discutindo o futuro, o abastecimento de água, saneamento básico e coleta de resíduos e seus destino (reciclagem). 

Senti falta do setor produtivo (construção civil/hotelaria) que se gaba do metro quadrado mais caro do Brasil, do prédio mais alto da América (140 andares), e qual o futuro do abastecimento de água/esgoto e o correto tratamento de nosso lixo? Garanto que se fosse para discutir gabarito ou índices construtivos, a casa estaria cheia.        

Uma das formas encontradas para fortalecer os municípios é recorrendo ao  planejamento do processo de elaboração de uma Política Municipal de Saneamento Ambiental, de forma participativa e democrática, que considere os princípios de universalidade, equidade, integridade e controle social. É uma oportunidade também para que o município que não presta diretamente os serviços, ainda que responsável pelos serviços de saneamento, venha a iniciar uma nova forma de diálogo e relação com a empresa concessionária dos Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário, exercendo seu poder concedente.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -