- Publicidade -
- Publicidade -
25.6 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Verão terá calor acima da média no país e muita chuva no Sudeste

(FOLHAPRESS) – As regiões Sudeste e Centro-Oeste e parte do Sul do país deverão ter chuva acima da média neste verão -a estação começa à 0h27 (de Brasília) desta sexta-feira (22) e vai até 20 de março de 2024.

A temperatura também tende ser mais alta em praticamente em todo o Brasil -no Norte, por exemplo, pode ficar cerca de 1ºC além da média histórica.

O prognóstico faz parte de boletim conjunto publicado pelo Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) e pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

- Publicidade -

Na semana passada, o Inpe já havia emitido um aviso de que a nova estação deverá ser mais quente e seca no Brasil por causa do fenômeno climático El Niño.

Segundo o documento, na região Sudeste, a previsão para os próximos três meses indica condições favoráveis para chuva acima da climatologia (média histórica), principalmente em Minas Gerais, onde ela pode ser mais frequente.

O Inmet lembra que no verão os dias são mais longos do que as noites, com condição favorável para chuva forte, queda de granizo, vento de intensidade moderada a forte e descargas elétricas.

A partir de fevereiro, a tendência é de permanência do calor intenso e redução do volume de chuva no estado de São Paulo, conforme previsão da Defesa Civil paulista.

“Contudo, é importante destacar que, embora não chova acima da média, haverá dias com chuva, ocasionadas, principalmente, por zonas de instabilidade geradas pelas altas temperaturas”, diz o órgão estadual.

No Sul, há probabilidade de chuva acima da média no sul gaúcho, segundo o boletim assinado pelos dois institutos federais.

“Nas demais áreas, são previstas chuvas irregulares, com totais podendo atingir valores próximos ou ligeiramente abaixo da climatologia”, afirma.

- Publicidade -

“Os volumes de chuva previstos para a região devem manter os níveis de água no solo elevados, mas com menor probabilidade de gerar excedente hídrico em algumas localidades do Sul nos próximos meses.”

No Norte, por outro lado, o documento indica que há predomínio de chuva abaixo da média em grande parte da região, por atuação do El Niño.

As condições favoráveis para chuva próxima ou acima da média no trimestre estão nos estados do Acre, Roraima e Amapá, e no sudoeste do Amazonas.

Com base em dados do APEC Climate Center (APCC), centro de pesquisa sediado na Coreia do Sul, o documento diz que há probabilidade entre 80% e 90% de que as condições do El Niño permaneçam até o trimestre março/abril/maio de 2024.

No trimestre seguinte, a chance diminui para 60%, indicando um ligeiro enfraquecimento do fenômeno climático que aquece as águas do oceano Pacífico.

O El Niño também poderá ser decisivo para chuva abaixo do normal para o verão no Nordeste, principalmente no centro-norte da região.

“Vale ressaltar que o padrão de águas mais aquecidas no Atlântico sul pode favorecer a ocorrência de chuva mais volumosa no centro-sul da região [Nordeste]”, diz o texto.

A temperatura deverá ficar acima da média, principalmente no Maranhão e no Piauí.

No Centro-Oeste a tendência para o verão é de chuva próxima ou acima da média histórica em praticamente toda a região, exceto no oeste de Mato Grosso. A estação também deve ser mais quente que o normal.

“No Brasil, o verão é de extrema importância para o setor da agropecuária, geração de energia por meio de hidrelétricas, reposição hídrica e manutenção dos reservatórios de abastecimento de água em níveis satisfatórios”, lembra o Inmet.

NATAL COM CHUVA

De acordo com os meteorologistas da Defesa Civil paulista, o verão começa com possibilidade de pancadas de chuva de moderada a forte, e temperatura elevada em todo o estado de São Paulo. A instabilidade chega nesta sexta e deve se estender durante todo o período do Natal.

O CGE (Centro de Gerenciamento de Emergência), da Defesa Civil, afirma que o escoamento de umidade e a elevação das temperaturas deve contribuir para a formação de zonas de instabilidade atmosférica sobre o estado, gerando pancadas de chuva em todo território paulista, principalmente na faixa leste e norte, incluindo a capital e a região metropolitana de São Paulo.

Por causa das altas temperaturas, afirma a nota da Defesa Civil, essa chuva será acompanhada de fortes rajadas de vento, descargas elétricas e até mesmo a possibilidade de queda de granizo em algumas regiões.

“Os meteorologistas preveem um fim de semana natalino chuvoso, principalmente no final das tardes, podendo, inclusive, gerar transtornos como pontos de alagamento e enxurradas”, alerta o órgão estadual em nota.

A temperatura máxima deverá oscilar entre 28°C e 32°C até o Natal, na segunda-feira (25).

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -