- Publicidade -
25 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -
- Publicidade -

Se o leitor quer reclamar que o ladrão é preso e logo solto, xingue os governadores

Causou celeuma em redes sociais um texto publicado hoje no Página 3, com o título “Flagrados com carro furtado não ficaram presos: “Vão para casa estimulados a cometer novos crimes””.

Alguns comentários culparam o judiciário, naquela velha e batida frase -muito anterior ao bolsonarismo- da polícia prende e a justiça solta.

E por qual motivo a polícia solta? Porque os presídios estão lotados, fato que levou uma juíza de Itajaí, no início do mês, a soltar uma série de detentos da Canhanduba, que já cumpriram parte da pena e seriam soltos em breve.

A juíza fez o que precisava ser feito: cabem cerca de 700 presos no presídio e havia cerca de 400 a mais. Na penitenciária, que tem 1.168 vagas, estavam 1.567 presos.

E o que fez o atual governador? Nada.

O que fez o governador anterior? Nada.

A Canhanduba foi inaugurada em 2012, pelo Raimundo Colombo, após uma década e meia de promessas e mais de quatro anos de obras.

Nesse tempo, as cidades do litoral centro norte explodiram em população, mas as ampliações carcerárias ficaram na conversa fiada de político.

Se o leitor quer reclamar que o ladrão é preso e logo solto, xingue os governadores.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -