- Publicidade -
25.6 C
Balneário Camboriú
Raul Tartarotti
Raul Tartarotti
Engenheiro Biomédico e cronista.
- Publicidade -
- Publicidade -

No fundo do espelho de seu quarto

A ética produz alegria, respeito e felicidade. O conceito passa por dignificar uma parte da filosofia responsável pela investigação dos princípios que motivam, distorcem, disciplinam e orientam o comportamento humano.

Eu deveria sair na rua distribuindo sorrisos e elogios, ao invés de resmungos a tudo que me vier aos olhos, para aliviar meus problemas diários, utilizando como desculpa o que vi pela frente. 

Tudo isso sem que me desse conta da ausência de ética e respeito ao próximo, nesses instantes de surto desproporcional. 

Por isso é lamentável observar um ataque pessoal partindo de um indivíduo com cargas emocionais de natureza muito próximas de suas carências, ou questões complexas, que escolheu alguém aleatoriamente como alvo para desafogar seu peito carregado.

Opções assim, são similares a muitas doenças médicas, como câncer de pulmão ou diabetes tipo II, que muitas vezes são produtos de nossas escolhas durante anos de maus tratos em nossos.

Muito cigarro, descanso à sombra fresca em demasia, e docinhos apetitosos diariamente na sobremesa diária, promovem um prazer divino, mas são artimanhas de lúcifer para nos consumir.

Porém, nossos transtornos cognitivos, característicos de uma doença mental que nos atinge, é um termo amplo, que necessita dados psicológicos que mostrem a existência de doenças mais graves para desenhar caminhos ao diagnóstico correto. De forma alguma a expressão “doença mental” é utilizada para caracterizar a todos como indivíduos “loucos”. 

Mas a psicopatia, onde os indivíduos são carentes de empatia e culpa de suas ações, tem raízes mais densas no caráter doentio, e mentes atormentadas com esse diagnóstico, dolorido aos outros. Não imaginamos que haja necessidade de instalarmos um “freio de repreensão”, pressionando a língua nessas pessoas falantes e maldosas para cessar o problema. 

Essa técnica foi utilizada para calar a boca de pessoas fofoqueiras na idade média. 

O falar livremente hoje é saudável, e essa é técnica da psicoterapia, que corre junto de muitas soluções médicas na cura das dores emocionais, incluindo a medicamentosa, que salva a pátria de muitas relações humanas a espera de bons momentos sem aflições. 

Existem os vazios que tecem a teia de nossas vidas, escondidos em armários ou gavetas à mostra num cenário quase ininteligível, e frequentemente à vista do cego que não quer ver.

Apalpar nossos dramas com imagens quase hipnóticas, nos possibilita enxergar um caminho para solucionar nossos entraves humanos. Se o curioso olhar mais longe, vale o esforço na busca de si mesmo, no fundo do espelho de seu quarto.

No fundo do espelho de seu quarto.

A ética produz alegria, respeito e felicidade. O conceito passa por dignificar uma parte da filosofia responsável pela investigação dos princípios que motivam, distorcem, disciplinam e orientam o comportamento humano.

Eu deveria sair na rua distribuindo sorrisos e elogios, ao invés de resmungos a tudo que me vier aos olhos, para aliviar meus problemas diários, utilizando como desculpa o que vi pela frente. 

Tudo isso sem que me desse conta da ausência de ética e respeito ao próximo, nesses instantes de surto desproporcional. 

Por isso é lamentável observar um ataque pessoal partindo de um indivíduo com cargas emocionais de natureza muito próximas de suas carências, ou questões complexas, que escolheu alguém aleatoriamente como alvo para desafogar seu peito carregado.

Opções assim, são similares a muitas doenças médicas, como câncer de pulmão ou diabetes tipo II, que muitas vezes são produtos de nossas escolhas durante anos de maus tratos em nossos.

 Muito cigarro, descanso á sombra fresca em demasia, e docinhos apetitosos diariamente na sobremesa diária, promovem um prazer divino, mas são artimanhas de lúcifer para nos consumir.

Porém, nossos transtornos cognitivos, característicos de uma doença mental que nos atinge, é um termo amplo, que necessita dados psicológicos que mostrem a existência de doenças mais graves para desenhar caminhos ao diagnóstico correto. De forma alguma a expressão “doença mental” é utilizada para caracterizar a todos como indivíduos “loucos”. 

Mas a psicopatia, onde os indivíduos são carentes de empatia e culpa de suas ações, tem raízes mais densas no caráter doentio, e mentes atormentadas com esse diagnóstico, dolorido aos outros. Não imaginamos que haja necessidade de instalarmos um “freio de repreensão”, pressionando a língua nessas pessoas falantes e maldosas para cessar o problema. 

Essa técnica foi utilizada para calar a boca de pessoas fofoqueiras na idade média. 

O falar livremente hoje é saudável, e essa é técnica da psicoterapia, que corre junto de muitas soluções médicas na cura das dores emocionais, incluindo a medicamentosa, que salva a pátria de muitas relações humanas a espera de bons momentos sem aflições. 

Existem os vazios que tecem a teia de nossas vidas, escondidos em armários ou gavetas à mostra num cenário quase ininteligível, e frequentemente á vista do cego que não quer ver.

Apalpar nossos dramas com imagens quase hipnóticas, nos possibilita enxergar um caminho para solucionar nossos entraves humanos. Se o curioso olhar mais longe, vale o esforço na busca de si mesmo, no fundo do espelho de seu quarto.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -