- Publicidade -
26.8 C
Balneário Camboriú
Raul Tartarotti
Raul Tartarotti
Engenheiro Biomédico e cronista.
- Publicidade -
- Publicidade -

Novidades que cruzam os olhos

Os interesses partidários de sua comunidade, envolvem a todos que andam às escuras, e cobrem de força os que gritam e agitam suas bandeiras coloridas, com nomes e símbolos de luta. Nesse transe periódico para alguns, a cegueira é a dor carregada pelos fiéis seguidores, das ideias plantadas em suas mentes.

Como escreveu Georgi Vladimov, em seu livro “Fiel Ruslan”, o crente político foi abatido no bosque. 

Na União Soviética de Kruschev, os crimes do camarada Josef Stalin foram denunciados, e o país libertou 8 milhões de prisioneiros do “gulag”(sistema de campo de concentração com presos políticos). 

Certo dia, o cão Ruslan encontra o campo silencioso e vazio, logo pensa que os prisioneiros fugiram e sente que deva iniciar uma caçada aos fugitivos.  

Mas seu dono, um dos guardas, está resignado e agindo como se tudo estivesse normal. Ruslan não entende esse novo clima, porque ele é um cão fiel às suas crenças, e incapaz de aceitar o novo momento, que todos mudaram ao retirarem a mordaça do prisioneiro. 

Ele se recusa aceitar a mudança, e também que passará a ser irrelevante agora no novo sistema. 

Nesse entusiasmo político, é clara a lição gélida aos seguidores caninos de qualquer líder oportunista. Enquanto os latidos e violentas atitudes não são mais úteis, resta ao cão uma vida de vira-lata. 

O risco de pegar uma carona com estranhos, é o mesmo perigo que corremos quando abandonamos nossas ideias e entregamos a responsabilidade de nossas vidas coletivas a um líder que manda caçar e morder. 

A experiência pode ser muito arriscada, como foi a viagem de avião de uma certa Paula, durante a guerra de 1914 – 18. 

Ela decidiu entrar escondida num avião de guerra aos arredores de Berlim, porque acreditava que não havia risco nenhum.

Porém, o avião não estava abandonado, e rumou para Moscou. Ela só foi descoberta pela tripulação quando estava muito longe de casa. Ainda com seus 13 anos apenas, chegando ao destino, foi recebida como pessoa perdida de guerra, e entregue a uma família de agricultores no interior da Rússia. 

Sem entender a língua e os hábitos diferentes dos seus, não imaginava como deixar aquele país. 

Façanha que conseguiu realizar somente três anos após essa desventura estranha, longa e perigosa, para um inocente que se atira sem pensar às novidades que lhe cruzam os olhos, parecendo ser o caminho para sair voando de onde está, aparentemente em uma condição ruim. 

O nascimento de uma criança traz a esperança que tanto pais e familiares esperavam em seu entorno saudável, feliz e com muita saúde, em uma vida nova com rumo aberto às desventuras de suas escolhas. 

A coragem de chegar à vida aqui fora, nos concedeu a possibilidade em seguir com nossas escolhas, e brotar, crescer, decidir novos rumos que despertaram na sua concepção. 

Mas a melhor escolha é a mãe do juízo, por isso, prepare-se para ser o próximo piloto de sua existência.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -