- Publicidade -
24.3 C
Balneário Camboriú
Raul Tartarotti
Raul Tartarotti
Engenheiro Biomédico e cronista.
- Publicidade -
- Publicidade -

Os rios já estavam aqui

Uma das hipóteses sobre a origem dos indígenas brasileiros, descrita pelo Instituto Socioambiental (ISA), é de que eles descendem dos povos asiáticos, e atravessaram o estreito de Bering há 62 mil anos. 

Estudos arqueológicos recentes mostraram que a chegada dos primeiros habitantes ao Brasil, na Bahia e Piauí, se deu entre 20 e 40 mil anos.

Eles se estabeleceram nas terras que ofereciam mais fertilidade e passaram a viver em regime de comunidade, onde sempre prevaleceu a produção comunitária. Os diferentes povos tinham liberdade para seguir seus próprios costumes, a começar pela língua, com vários troncos linguísticos, como o Tupi ou Macro-Tupi, Macro-Jê e Aruak.

Mas no ano de 1500, os portugueses desembarcaram na América para tomar posse dessas terras, e desde o início do processo de colonização houve um “desencontro de culturas”, que correspondeu a um extermínio e submissão por parte dos indígenas – tanto por meio dos conflitos com os portugueses, quanto pelas doenças trazidas por estes, como a gripe, a sífilis e a tuberculose.

Depois que se tornaram escravos, passaram a enfrentar diversas lutas em torno da própria sobrevivência. Muitos libertaram seu povo da escravidão, e ativistas corajosos surgiram em diversos momentos. Um dos mais importantes da atualidade é Ailton Alves Lacerda Krenak, ambientalista, filósofo e escritor. Se tornou o 1.º indígena a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Letras, assumindo a de número 5, que pertenceu a José Murilo de Carvalho, morto em agosto de 2023. 

Ele ganhou notoriedade nos últimos anos após a publicação da quadrilogia com Futuro Ancestral, A vida não é útil, Ideias para adiar o fim do mundo e O amanhã não está à venda. É considerado uma das maiores lideranças do movimento indígena brasileiro, com reconhecimento internacional. 

Para o presidente da ABL, Merval Pereira, Krenak é um poeta com “visão de mundo muito apropriada para este momento, de muita preocupação com o meio ambiente, em que os povos originários lutam por seus direitos. 

Merval citou o livro Futuro Ancestral, de Krenak, que trata da preservação dos rios para conservar o futuro: “Os rios já estavam aqui antes de a gente chegar, e esta visão da natureza, do homem junto dela, é que a gente está reforçando com esse grande escritor e intelectual indígena”. 

Tudo isso está embutido na vitória de Krenak na Academia, que trabalha com a cultura indígena e com a valorização da oralidade.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -