- Publicidade -
- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Mudanças no texto da reforma tributária, Threads é lançado pela Meta e o que importa no mercado

TRIBUTÁRIA DEVE SER VOTADA NESTA QUINTA

Com alíquota zero para itens da cesta básica, uma trava contra o aumento da carga tributária e transições na mudança para o novo sistema, o texto da PEC da reforma tributária foi apresentado na noite desta quarta. A votação deve ser nesta quinta.

Na versão anterior do texto, os produtos da atual cesta básica teriam desconto de 50% na tributação, gerando temores de aumento de carga —o que foi negado pelo governo e pelo Banco Mundial.

- Publicidade -

Uma das condições ara a votação do texto veio depois de o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), recuar da posição contrária ao Conselho Federativo.

ENTENDA

O órgão ficará responsável pelo recolhimento e repasse a estados e municípios do IBS (Imposto sobre Bens e Serviços) –o imposto de valor agregado que irá substituir o ICMS estadual e o ISS municipal.

Como a cobrança hoje é feita onde os produtos e serviços são produzidos e a reforma prevê que ela seja feita nos locais de consumo, a crítica maior foi dos estados onde há maior presença de fábricas ou que são mais ligados ao agro.

Agora, os governadores admitem a manutenção do Conselho Federativo, desde que haja uma mudança nas regras de composição do órgão.

A ideia deles é evitar que interesses de regiões com maior número de estados prevaleçam sobre as demais.

O relator da proposta, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), discute a possibilidade de dar um peso maior de voto a estados do Sul e do Sudeste no Conselho.

- Publicidade -

Uma das ideias em discussão é atrelar o poder de voto de cada ente a um critério populacional.

Os detalhes não apareceram no texto apresentado na quarta, mas devem vir em nova versão nesta quinta.

Mais sobre reforma tributária:

– Reforma resolve 95% das brigas judiciais sobre tributos de consumo, calcula Insper.

– Texto prejudica o agro e votação às pressas é desnecessária, diz governador do Mato Grosso.

THREADS ESTÁ NO AR

A Meta antecipou o lançamento do Threads, rede criada para competir com o Twitter, e usuários já têm acesso ao app nas lojas de aplicativo da Apple e do Android desde a noite desta quarta-feira (5).

Como funciona: é bem parecido com a rede do passarinho. Você pode publicar conteúdo, responder a mensagens publicamente e repostar ou citar mensagens de outros usuários.

As publicações podem ter textos com até 500 caracteres, fotos e vídeos de até 5 minutos. Assim que você publica, seu…Thread? Fio? Mensagem?… Já aparece na timeline.

O acesso à plataforma é feito a partir da conta do Instagram do usuário, que pode optar por seguir todos seus contatos e importar foto e bio à nova plataforma.

O conteúdo publicado pode ser compartilhado no story ou como post do Instagram.

Quem acessa a plataforma vê as publicações de quem já segue na rede de fotos, mas também mensagens de outras pessoas que “viralizaram” no pouco tempo que a rede está no ar.

DE FORA

Usuários de países da União Europeia não têm acesso ao Threads.

Na terça, a Comissão de Proteção de Dados da Irlanda -órgão que regula o tema na UE- afirmou que o Instagram não faria o lançamento dentro do bloco por inadequação à lei de privacidade do bloco.

REDE SOCIAL ABERTA

A Meta disse que planeja tornar o Threads interoperável com outras redes sociais abertas, como o Mastodon.

A ideia é que usuários de plataformas diferentes possam interagir, semelhante ao formato do email (usuários de um provedor podem escrever para de outro).

Isso, porém, gera questionamentos sobre moderação de conteúdo. Haveria o risco de que publicações que não passariam pelo crivo da Meta possam aparecer no Threads a partir de outras redes sociais abertas? Ainda não há uma resposta para isso.

IA JÁ É USADA EM ARMAS

A IA (inteligência artificial) já está presente em armamentos militares e em guerras, mas ainda não é possível saber se o seu uso diminui o número de causalidades indesejadas ou se aumenta, afirma o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

A hipótese é defendida pelo think tank NSCAI (comissão de segurança nacional com foco em IA), ligado ao governo norte-americano, ao argumentar que armas autônomas são mais precisas.

O CCIV, porém, afirma que não há quantidade suficiente de dados para fazer tal afirmação.

ONDE ESTÁ A IA NAS GUERRAS

Além das armas autônomas, que reconhecem determinadas pessoas e objetos a partir de softwares e agem sem intervenção humana, outros usos da tecnologia para o aparato militar são ataques cibernéticos e espionagem –por meio de satélites equipados com IA.

MAIS SOBRE A TECNOLOGIA

A peça publicitária da Volkswagen para comemorar os 70 anos da montadora no Brasil, além de anunciar a nova versão da Kombi, gerou comoção nas redes sociais por incluir, por meio da IA, a filha Maria Rita em um dueto com a mãe Elis Regina, morta em 1982.

Mas a campanha também esquentou o debate sobre os dilemas em usar a IA para “renascer” com pessoas em vídeos, como mostra a agência BBC News Brasil.

COMO FOI FEITO?

A técnica usada foi a do deepfake, que usa a IA para alterar o rosto e a voz de uma pessoa em vídeo, de forma extremamente realista.

– Nesse caso, uma atriz se passou pela cantora e teve seu rosto alterado pela tecnologia, que foi treinada especificamente para reconhecimento facial de Elis Regina.

O SONHO GRANDE DA VIETNAMITA VINFAST

O engenheiro brasileiro de 35 anos Luis Gustavo Lemes Pereira está na linha de frente de uma das apostas mais ousadas do setor automotivo: tornar uma montadora fundada no Vietnã há seis anos em uma rival da Tesla na produção de veículos elétricos nos EUA.

De acordo com o Financial Times, a VinFast começou a focar nos carros sem emissão só no ano passado, depois de ficar três anos produzindo modelos a gasolina.

Mesmo assim, a montadora apoiada pelo governo vietnamita diz ser capaz de produzir 250 mil veículos por ano e apresentou planos para um IPO de US$ 23 bilhões na Bolsa de Nova York.

SIM, MAS…

A imagem da VinFast sofreu arranhões assim que uma primeira remessa de 999 carros chegou aos EUA, em dezembro passado.

Em maio, os primeiros carros enviados foram recolhidos depois que a agência reguladora do setor no país alertou que um erro de software no visor do painel impedia a exibição de informações críticas de segurança e “podia aumentar o risco de acidente”.

A revista especializada Car & Driver disse que o carro-chefe da VinFast, modelo VF 8, “prova que construir carros é difícil”.

Os planos da oferta em Bolsa também tiveram que ser revistos, no que a companhia culpou as condições do mercado.

Agora, a montadora irá ser listada na Bolsa em uma SPAC (empresa de cheque em branco, entenda aqui), com um aporte de US$ 2,5 bilhões de seu fundador.

O QUE MAIS VOCÊ PRECISA SABER

MERCADO

Governo quer passar para a iniciativa privada a duplicação da ‘Rodovia da Morte’. Processo de concessão da estrada, que é um trecho da BR-381, foi aprovado pelo Tribunal de Contas da União.

JUSTIÇA

Tribunal suspende venda da Eldorado para Paper Excellence e congela negócio de R$ 15 bi. Decisão é provisória e foi tomada pelo juiz federal Rogerio Favreto.

MERCADO

Bancos tentam reverter derrota em mercado bilionário do vale-refeição. Controlados por grandes instituições, tíquetes movimentam R$ 150 bilhões; lei barra compra e venda.

JUSTIÇA

Justiça condena McDonald’s a pagar R$ 2 milhões por trabalho de menores em funções perigosas. OUTRO LADO: Rede de fast food entrará com recurso e reitera seu compromisso com a legislação trabalhista vigente.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -