- Publicidade -
18 C
Balneário Camboriú

JP3 Entrevista: Armandinho fala sobre saudade da Praia Brava, meio ambiente e novos projetos

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

O cantor Armandinho, que atualmente está morando em Garopaba, esteve nesta semana (2) na Praia Brava de Itajaí, sua eterna casa, para lançar sua coleção de camisetas com a marca local Santacosta.

O cantor em Garopaba, onde mora atualmente (Foto Arquivo Pessoal)

Armandinho é conhecido nacionalmente e é um ídolo em Balneário e região, onde compôs grandes sucessos como Analua, Eu Sou do Mar, Rosa Norte e Sol Loiro, que estampam as peças. 

A reportagem do Página 3 esteve no evento para conversar com ele sobre as novidades – incluindo um álbum, que deve ser lançado após a pandemia (com direito a spoiler do nome de uma das novas músicas). Confira. 

JP3: Você sempre se posicionou, principalmente nas questões ambientais, e estamos vivendo um momento em que as pessoas cobram muito que os artistas se posicionem. Você acha que isso deve partir de cada artista? 

- Publicidade -

Armandinho: Deveria partir dos políticos, de todas as pessoas envolvidas. Deveria partir deles, mas aí você fica pensando ‘mas eles, antes de serem quem são, eram povo como a gente’.

Para mudar o mundo tem que começar por nós!

Eu vou te dar um exemplo: eu já poderia ter comprado um atestado médico e ter ido me vacinar, como eu tenho visto um monte de gente que está fazendo. Só que, bicho, para mudar o mundo tem que começar por nós! Eu espero, eu vou esperar… são quatro meses para a minha idade ainda (ele tem 51 anos), e eu vou esperar. E eu acho que é isso que tem que acontecer. As boas ações, ideias, a vibe boa, tem que partir de quem está lá! Infelizmente não é isso que acontece e a gente vê as pessoas simplesmente destruindo por ganância, vaidade, competição, e destruindo algo que é nosso, que é do povo.

Eu como vi a Praia Brava há 20 anos, só quem viu, viu, sabe?

Essa beleza das praias de SC… eu como vi a Praia Brava há 20 anos, só quem viu, viu, sabe? Infelizmente as coisas mudam e a gente tem que lutar, falar… a gente que tem mais poder, mas em hipótese alguma eu quero saber de me envolver com política. Eu acho que nem é por mim, se eu tivesse outro público, uma outra cabeça, eu poderia… mas o meu público não merece uma divisão de gente se xingando em comentários. O meu público é um público de amor. É como se fossem os meus filhos, meus amigos. Novos tempos, a gente tem que se adaptar. 

Com as filhas Marcela e Antonia (Foto Arquivo Pessoal)
- Publicidade -

JP3: Você falou diversas vezes ao longo desse mais de um ano o quanto a pandemia o afetou… como você está agora? 

Armandinho: Eu tenho problemas emocionais desde criança, eu tomo remédio. Acho que o show para mim, eu me dei conta que era uma droga, mas uma droga boa. Era uma dose de autoestima e as pessoas quando estão com a autoestima baixa e tu tem uma plateia inteira que canta contigo, que te ama… aquilo joga a tua autoestima!

E de uma hora para a outra, de soco, te tiram fora aquilo que tu vem 25 anos fazendo

E de uma hora para a outra, de soco, te tiram fora aquilo que tu vem 25 anos fazendo. A Carla (a esposa) sabe o que eu passei, às vezes quando eu estou em rede social e xingo demais, ou falo algo sem nexo, é porque estou em momento de crise, de surto.

O meu público é um público de amor. É como se fossem os meus filhos, meus amigos

O meu público já me conhece, entendeu? Mas ficar sem o meu show, sem a minha vida, sem essa troca de amor, me fez muito mal. Espero agora em breve, acho que de repente, acredito em março… a gente possa voltar. Esse verão eu acho que ainda não deve acontecer.

Acho que de repente, acredito em março… a gente possa voltar

JP3: E o que o público pode esperar de trabalho novo?

Armandinho (no centro, de preto) com a equipe em gravação em fevereiro de 2021 – quando lançou a música “Mas eu gosto dela”. (Foto Arquivo Pessoal)

Armandinho: Trabalho novo? Um álbum novo! Todo! Cheio. Que eu estou desde 2019 com ele pronto. Gravei em Los Angeles e está prontinho, parado ali. Eu só não lancei porque eu não queria lançar o álbum sem poder excursionar o álbum, fazer a turnê. Tudo bem, é legal colocar ali nas plataformas (digitais, como Spotify, Deezer, etc.), mas e o tour? Tem que ter o tour para ser completo, para eu poder explicar o sentido daquelas canções que estão ali, entendeu? Estou só esperando isso, e virá um disco lindo, cheio de canções novas.

Estou louco para lançar. Tem uma música que se chama ‘Sabe’ que é muito boa

JP3: Pode dar algum spoiler desse novo álbum? 

Armandinho: Está maravilhoso! Estou louco para lançar. Tem uma música que se chama ‘Sabe’ que é muito boa. 

JP3: E mais uma vez você está lançando uma coleção com a Santacosta… você tem uma relação de muitos anos com a marca, certo?

Com a esposa Carla no lançamento da coleção (Foto Divulgação/SantaCosta)

Armandinho: Eu e a Santacosta, a gente não é casado, mas a gente se curte, entendeu? (risos). Ou talvez a gente seja casado, eu não faço parte do dia a dia da Santacosta, mas de ano em ano a gente faz essa collab, esse lançamento de camisetas com as minhas músicas, e hoje é muito especial porque a gente resolveu fazer só as músicas de mais sucesso e não em rádio, e sim da coleção da Santacosta.

Acho que junta tudo, essa mistura artista e moda… é uma mistura muito linda!

Eu vim aqui lançar e junta muito a saudade que eu estou da Brava, porque foram tantos anos aqui. Eu estou vivendo em um lugar que é lindo também, mas é que aqui é aqui, entendeu? Aqui que aconteceram as coisas todas! Aqui que eu fui pai, aqui que eu formei a minha família, que eu aprendi a surfar. Então voltar pra cá, junto com essa coleção maravilhosa, tem um sabor muito especial e enche o meu coração e o meu peito de alegria.

‘Sol loiro’ agora é sucesso na camiseta também (Foto Divulgação/SantaCosta)

JP3: E a Santacosta é daqui, da Brava… inclusive você usava as camisetas ‘Brava’ durante muito tempo… 

Armandinho: Sim! A Brava, aquela primeira, eu usei muito (risos). Acho que a Santacosta me ajudou e eu também ajudei muito a Santacosta. As camisetas agregaram muito na minha carreira, eu não sabia a força e o poder que tinha uma coleção de camisetas belas, o quanto ajuda na carreira de um artista. Eu sou muito grato à marca, assim como eu sei que eles são a mim. Acho que junta tudo, essa mistura artista e moda… é uma mistura muito linda! Também muito incentivada pela minha esposa, a Carla, que vive isso no seu dia a dia (Carla é modelo).

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Artigo anteriorSocial da Semana
Próximo artigoEmbaúba
- Publicidade -