- Publicidade -
21.7 C
Balneário Camboriú

Condomínios também se preparam para a primavera: jardins internos de edifícios chamam a atenção

Balneário Camboriú é conhecida nacionalmente por ser verticalizada, mas nem por isso os edifícios deixam de ter jardim. Há empresas especializadas em planejamento de jardins, e que agora na estação mais florida do ano, a primavera, que começou quarta-feira (22), estão tendo bastante procura. 

Recente pesquisa publicada pela Brain Inteligência Estratégica apontou as principais tendências do comportamento dos consumidores frente ao mercado imobiliário. Entre as questões abordadas, destaca-se a sustentabilidade: 80% dos entrevistados que buscam um empreendimento para morar têm a questão do meio ambiente entre as prioridades. Para eles, é indispensável o imóvel ter sacada e áreas verdes no quintal ou no entorno. 

O estudo se torna ainda mais relevante neste momento em que o Brasil volta a discutir a necessidade e novos meios de economia de energia elétrica para evitar uma crise hídrica [principalmente em Balneário e Camboriú, que se nada fizerem viverão uma crise já em 2025] e o desmatamento da Amazônia. Investir em empreendimentos verdes demonstra a preocupação com o mundo – de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o setor de construção de imóveis sustentáveis deve gerar mais de 6,5 milhões de empregos até 2030. O país já está entre os cinco países que investem em construções verdes no mundo.

Empresa especializada em paisagismo dá dicas 

Crisleidy Munhoz Cidade

Engenheira agrônoma e paisagista da Haus Garten Paisagismo, empresa que fica na Rua 3.110, no centro de Balneário

“Oferecemos todo o serviço que envolve paisagismo, desde o projeto, a implantação e a manutenção do jardim; oferecemos ainda vasos, mobiliários externos, vasinhos decorativos… tudo que envolve plantas e jardim. 

Temos opções para todos os gostos porque a gama que temos de plantas ornamentais é enorme, desde plantas com custo baixo como as mais exóticas, com tempo de crescimento maior e que tem um custo mais elevado, mas é possível sim ter plantas em casa ou apartamento com um custo bem baixo. Orientamos o cliente que ele não precisa ter um espaço grande para ter planta, pode ter um vasinho na mesinha de apoio do lado do sofá, pendurada na parede. 

A demanda por jardins em Balneário e região é bastante alta, vejo que as pessoas têm muito gosto por plantas, mesmo que seja na sacada ou em vasos. 

É natural que, com a chegada da primavera e os preparativos para as festas de final de ano a demanda aumente ainda mais, geralmente consideramos setembro início do Natal, porque realmente aumenta a demanda por projetos e implantações de jardim. 

No litoral usamos mais as plantas tropicais, como as filodendros, mas tudo depende de onde elas vão ficar. 

Há uma tendência nos últimos anos de trabalharmos com diferentes tonalidades de verdes nas folhas e algumas que florescem agora na primavera, como zircônias, alpinhas, ficam com um verde muito exuberante ao longo do ano. Buscamos utilizar plantas perenes, que vivem para sempre, e florescem em uma época do ano. 

Não é mais comum usarmos flores de estação, que precisam ser replantadas, já que são sazonais. 

É uma tendência nas construtoras a busca pelo verde em seus empreendimentos também, sejam em paredes, nos jardins verticais, ou em vasos, com mistura de vegetação e cores, de forma mais orgânica, exatamente como as plantas são na natureza, sem ser uma coisa ‘regradinha’, e sim misturadas, e é o que estamos trazendo para os projetos. 

As construtoras já pensam em verde em todos os andares, com as floreiras, e o público também está buscando esse convívio mais próximo com as plantas. 

uando utilizamos flores nos jardins sempre optamos por colocar espécies diferentes, que vão florescer no inverno e na primavera, para que sempre tenha flor, nos jardins mais clássicos.

Os jardins modernos optam mais por plantas verdes, respeitando o estilo da construção e do cliente. 

Temos várias opções de plantas que podem ficar na sacada ou perto de janela, com claridade, a família dos lírios, como o da paz, é ótima para purificar o ar e floresce; os antúrios, a Falsa-íris Neomarica também é uma planta que tendo claridade fica bonita, as orquídeas também, além das menores, como as violetas, e folhagens que também ficam lindas. Opções não faltam, e é legal pesquisar com uma empresa que tenha conhecimento, ou em uma floricultura, para saber qual flor colocar em cada ambiente e cuidar, conhecer a plantinha que você tem, e dar o melhor para ela”.


Construtoras priorizam todos os detalhes, inclusive os jardins 

“Entendemos que o jardim além de bonito deve ser perene” 

Jardim vertical em empreendimento da FG (foto Divulgação/FG)
Fachada empreendimento FG (foto Divulgação/FG)

Camila Brandalise

Arquiteta e Gerente de Desenvolvimento de Produto da FG

“Entendemos o paisagismo como parte fundamental da concepção dos empreendimentos, temos cada vez mais buscado novas soluções para integrar as áreas verdes aos projetos. As áreas de vegetação contribuem não apenas esteticamente na composição da arquitetura, mas como áreas que promovem o relaxamento, bem-estar e refresco aos espaços. Quando pensamos nos nossos empreendimentos, temos buscado cada vez mais valorizar e aumentar as áreas com vegetação para garantir uma melhor inserção das edificações dentro da paisagem do cenário urbano. 

Acreditamos também que os nossos usuários buscam cada vez mais áreas que permitam o contato com a natureza. 

Buscando soluções que permitam integrar os elementos de arquitetura aos elementos naturais, por exemplo, usar o verde em grandes empenas através de paredes verdes, cobrir lajes com telhados verdes, vegetação nos pergolados. Usar espelhos d’água e materiais naturais. 

Em empreendimentos que comportam, prevemos áreas de pomar. 

Hoje, estamos trabalhando com soluções avançadas inclusive para manutenção dos jardins, usando irrigação automatizada em toda a área de jardim, inclusive nos vasos. 

Usamos água de reaproveitamento para irrigação deles. 

No que diz respeito à especificação das espécies, priorizamos as espécies nativas da região e que se adequem a condição em que estão inseridas para que se desenvolvam e floresçam cada vez mais. 

Entendemos que o jardim além de bonito deve ser perene. Deve seguir compondo a estética da arquitetura e ir transformando a paisagem em que está inserido. 

As inspirações do paisagismo procuram seguir o conceito do empreendimento e da arquitetura como um todo. Dentro desta condição são avaliadas as espécies e formas de aplicação do mesmo para que possam compor no projeto como um todo, entendemos que é intrínseco a arquitetura como um todo”.


Porto Belo terá primeiro edifício com certificação LEED de SC 

(foto Divulgação Phacz)
(foto Divulgação Phacz)

O Blue Forest é um pré-lançamento da Phacz Empreendimentos e será o primeiro empreendimento residencial com a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design – em português, Liderança em Energia e Design Ambiental do Estado) em SC e um dos poucos no sul do país, nessa categoria. 

O edifício ficará no Balneário Perequê, em Porto Belo. Idealizado para que a estrutura pareça estar em movimento, o empreendimento terá uma floresta suspensa no sexto andar, a 20 metros de altura, com árvores, pássaros e plantas nativas em meio aos espaços de lazer.

Renata Tilli, paisagista do Blue Forest, afirma que a importância do paisagismo no empreendimento é vital. 

“Hoje não é possível mais imaginar um edifício, uma construção de qualquer tipo, seja qual for a finalidade dela – um hotel, um hospital, um escritório, qualquer coisa, uma agência que vende carros, qualquer coisa; não existe mais construção sem paisagem, porque o homem se afastou tanto da natureza, o homem “urbanóide” ficou tão carente disso e ele só se deu conta quando ele teve que ficar trancado entre quatro paredes. 

Então, principalmente agora, depois que todos nós ficamos trancados entre quatro paredes, depois dessa doença mundial, as pessoas entenderam que era impossível viver sem um mínimo contato com a natureza, vegetação”, analisa. 

Tilli vê que, se um arquiteto conceber hoje qualquer edificação de qualquer tipo, sem vegetação, ele estará completamente ‘fora’ do contexto do mundo. 

“Um edifício hoje tem jardins em cada andar. É importante quando a gente vai fazer uma construção, como um edifício, perceber a utilidade: para quem, onde está sendo feito. Uma boa arquitetura não existe sem uma boa paisagem e vice-versa. Para ter um bom trabalho, as duas coisas têm que ter a mesma importância”, acrescenta. 

Paulo Zanon, head de projetos da Phacz Empreendimentos aproveita para citar que no Blue Forest, o paisagismo é essencial, já que, como no próprio nome do projeto, há o blue do mar que é possível ver dos apartamentos e o forest da floresta suspensa que há no edifício. 

“Depois do momento que vivemos, a Renata Tilli acabou antecipando algumas tendências, na verdade. O que a gente descobriu é que o novo luxo do mercado imobiliário não é mais aqueles lustres gigantes e sim aquele momento em que a pessoa está bem, descansar um pouco, contemplar a natureza, compartilhar momentos com amigos e a família, ver o pôr do sol, passear com os cachorrinhos em meio às árvores de quase 8 metros que possuem no residencial. Para que possamos conquistar a certificação LEED, é necessário que tenha 25% de projeto paisagístico nas áreas externas do empreendimento. Mas fomos além disso, nós transformamos praticamente toda a área externa em espaços verdes. O prédio está cercado por verde”, explica.


- Publicidade -
- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -