- Publicidade -
24.2 C
Balneário Camboriú

Pesquisa indica que 70% dos jovens de Balneário Camboriú buscam capacitação e oportunidades de emprego

- Publicidade -

Para marcar a Semana da Juventude, a prefeitura de Balneário Camboriú divulgou a pesquisa Fala Jovem, com o objetivo de traçar o perfil dos jovens e elaborar programas e projetos voltados aos mesmos. Foram ouvidas 1.562 pessoas de 15 a 29 anos residentes no município, buscando descobrir seus interesses e qual Balneário Camboriú eles imaginam para o futuro. 

As respostas foram coletadas de fevereiro a abril deste ano, mediante formulário do Google, além de pesquisa presencial feita nas escolas do município, na Associação de Pais e Amigos dos Autistas (AMA) e na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). 

Os percentuais da pesquisa revelam que a preocupação dos jovens com emprego e renda é prioritária – 70% querem mais projetos de capacitação e oportunidades de emprego, porque 54% dos jovens que responderam ao formulário não estão inseridos no mercado de trabalho. 

Também revelam que 70% destes querem mais incentivo à cultura, esporte e lazer e 60% querem mais oportunidade de envolvimento nas decisões políticas da cidade, além de que 44% mostram interesse em mais locais para socialização, como praças, parques, entre outros. 

Os jovens também votaram na inclusão de disciplinas como educação financeira, empreendedorismo e inteligência emocional na grade curricular escolar, com um total de 83% de interessados. 

Considerando estes dados, o Página 3 ouviu nesta semana representantes dos jovens da cidade, como a vereadora mirim Heloisa Ferreira de Souza, 14 anos, e o responsável pelo departamento da Juventude (que pertence à Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social), Guilherme Cardoso, e empresários que opinam sobre a importância desses ‘profissionais do futuro’ estudar, dedicar-se para então realizar o que almejam, como o emprego dos sonhos. Confira. 


Inovation BC Jovem:
a grande novidade para os jovens 

Guilherme Cardoso

23 anos, é diretor do departamento da Juventude de Balneário Camboriú e Conselheiro Nacional de Juventude; ele foi o responsável pela pesquisa Fala Jovem

Guilherme Cardoso coordenou o Fala Jovem. (Arquivo pessoal)

“A pesquisa será lançada de forma completa em e-book. A Comunicação da prefeitura irá diagramar e sairá ainda neste ano. Queremos apresentá-la na Câmara também, pois orientará o governo e também ficará à disposição da comunidade e empresários, que podem estruturar seus negócios com base nisso, atingindo o público jovem de forma mais correta, com base em dados reais. Com a pesquisa, percebemos que a demanda por educação empreendedora está bem presente em Balneário, para que o jovem não saia ‘cru’ do colégio. 

Com as disciplinas normais, pandemia e aula online a evasão escolar foi altíssima (uma pesquisa encomendada pelo banco digital C6 Bank, realizada pelo Instituto Datafolha, apontou que cerca de quatro milhões de estudantes brasileiros, com idade entre 6 e 34 anos abandonaram os estudos em 2020 –uma taxa de 8,4% de evasão escolar). 

A única forma de mudar a realidade é buscando apoio na educação empreendedora. 

A juventude precisa ser trabalhada também no sentido de cursos e formações, na Secretaria de Inclusão Social temos mais de 70 cursos disponíveis e que acontecem de forma gratuita. 

Em setembro abriremos mais vagas (informações na Casa da Mulher, na Rua 2.850, ou no Centro de Convivência da Família, na Rua Itália). 

A novidade é que uma entidade, o Instituto A Cabana, se cadastrou e vai nos ajudar a realizar o projeto Inovation BC Jovem, que será uma plataforma com cursos online, onde os jovens poderão baixar as aulas, assistir offline, e vai ter modalidade presencial também. Ele está em fase de programação, mas focará em profissionalização dos jovens, saúde emocional, etc. 

Nos preocupamos muito em ensinar a juventude a como montar currículo e como se apresentar na entrevista, que são grandes diferenciais na hora da contratação. 

O programa Jovem Aprendiz está sendo online agora, por conta da pandemia. 

A prefeitura faz o ‘link’ pelo Senac e CEE e as empresas recebem os jovens através desses programas, que também fazem cursos antes do trabalho começar, com instruções como devem agir, etc. 

Outro foco que estamos tendo é a campanha de vacinação, o ‘Vacina Juventude’, para que os jovens se vacinem, com artes que chamam atenção nas redes sociais como Instagram e Tik Tok. 

Estamos tendo uma adesão muito boa do público e também reforçando o BC Solidário, através da doação de alimentos (quem for se vacinar pode levar 1kg de alimento não perecível)”.


“Nos ensinam de uma maneira leve e didática como funcionam as coisas” 

Heloisa Ferreira de Souza

14 anos, é vereadora mirim e estudante do Centro Educacional Municipal (CEM) Ivo Silveira

Heloisa é vereadora mirim e diz que é apaixonada por política (Arquivo pessoal) 

“A experiência de ser vereadora mirim é, sem dúvidas, única! Porque nós não somente aprendemos a política como vivenciamos ela, com as sessões feitas uma vez por mês nós discutimos indicações e contribuímos com diversos projetos para ajudar a nossa cidade, e aprendendo todas as ferramentas legislativas como moções, indicações e projetos de lei. 

O contato com a Câmara de Vereadores foi algo bem recente, começou quando eu entrei para o programa mesmo, mas com a política sempre me interessei muito. 

Eu me lembro que acompanhei bastante as eleições de 2014 e eu tinha apenas 7 anos. A política sempre foi uma paixão pra mim e atualmente me encontro fazendo o que mais gosto. Fizemos alguns projetos pensando na juventude, temos como um exemplo uma indicação do meu colega Marcos Domainski, que solicitou logo no início da pandemia uma melhora na conexão do Wifi BC, justamente pelo fato das aulas online, para ajudar de alguma maneira aqueles alunos que não tem internet em casa. 

Também tem a indicação da minha colega Letícia Campana de Goes, de haver o ensino de inteligência emocional nas escolas, estamos passando por essa pandemia que é muito difícil para todos nós e os jovens precisam se sentir acolhidos no ambiente escolar. 

Tem muitas outras que também se relacionam ao esporte que é tão importante para juventude. 

O que eu mais gosto da experiência de ser vereadora mirim é o fato de conseguir ajudar a nossa cidade e tentar mudar o que eu não acho certo. 

O programa Vereador Mirim é muito importante para nós porque nos dá a voz e nos ensina como realmente funciona a política, e que não é um bicho de sete cabeças como falam por aí. Nos ensinam de uma maneira leve e didática como funcionam as coisas, para todo jovem que se interessa na política e gostaria de fazer a diferença eu diria para se candidatar para o programa Vereador Mirim. 

Futuramente, quem sabe? Tenho um grande interesse sim de ser vereadora, mas antes de qualquer coisa quero estudar muito para dar o melhor de mim e desempenhar um excelente trabalho ajudando minha cidade. 

Dentro da minha perspectiva de jovem eu vejo que aqui em Balneário Camboriú a gente dá muitas oportunidades aos jovens na questão dos estudos. 

Nós temos o CEAC (Projeto Oficinas) que fornece inúmeros cursos para os jovens totalmente gratuitos e todos sabemos que é a educação que transforma o país. Tem muito a melhorar, mas esse é o caminho. O resto do país deveria fazer o mesmo. 

Agora na questão do trabalho, infelizmente no nosso país atualmente o desemprego mantém recorde e atinge 14,8 milhões de pessoas, estamos em uma situação bem complicada, mas ainda sim aqui em Balneário os empregadores dão um espaço para os jovens no mercado. 

Os jovens estão muito insatisfeitos com o Brasil atualmente, não nos sentimos seguros ao sair de casa, nossa saúde mental não está boa, nós estamos rodeados de incertezas visto que o desemprego assola também pessoas que têm diploma, então mesmo que façamos uma faculdade isso não nos dá garantia de emprego, e também o fator da pandemia, um momento de muitas incertezas e instabilidade”.


“Vai surgir muitas oportunidades”,
diz coordenador do Núcleo Jovem Empresarial 

Euclides Balbinot Junior

Representa a Credifoz (é gerente da agência que fica na Quinta Avenida, em Balneário) e é coordenador do Núcleo Jovem Empreendedor da Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc)

Junior é presidente do Núcleo Jovem da Acibalc (Arquivo pessoal)

“Vejo um cenário muito positivo para os jovens vindo aí. Sabemos que passamos por um período pandêmico a nível mundial com grandes impactos, índices de desemprego e estatísticas de empresas que acabaram desligando estagiário, jovens aprendizes, que acarretou um impacto negativo para a carreira desses jovens que estavam ingressando no mercado de trabalho. 

Contudo, vejo com bons olhos essa retomada, graças a Deus e à ciência a gente vem com uma forte evolução nas vacinas, ótimas projeções de PIB, crescimento da economia e tudo isso vai favorecer. 

Falando especificamente dos jovens de Balneário Camboriú, eu entendo que a nossa cidade é um excelente lugar para investir, empreender, a gente sabe dos números, de estatísticas, dos índices econômicos que são muito bons. Para os jovens, empreender é, sem dúvida alguma, um grande desafio! 

O mercado de trabalho teve uma grande recaída com a pandemia, com muita gente apostando em seu próprio negócio, mas e o jovem? Como é que fica? O jovem empreendedor que está iniciando, entrando no mercado de trabalho, saindo de uma graduação, sempre digo que ele não necessariamente precisa abrir um negócio. 

Empreender está em todas as áreas, um médico precisa ser um empreendedor, assim como um engenheiro, um dentista. Vejo com bons olhos nesse momento de retomada. 

Vai surgir muitas oportunidades, principalmente para quem mais estiver preparado, para quem aproveitou para estudar e buscar conhecimento, já que o mercado está cada vez mais exigente, a graduação hoje é o básico, uma porta de entrada para o mercado de trabalho. 

O mundo corporativo busca especialistas, que tenham pós, MBA. Para os jovens que estão finalizando a faculdade, deixo um recado: você precisa empreender, seja abrindo seu negócio, ou então ser um intraempreendedor, empreendendo dentro da empresa onde você trabalha. 

A pandemia antecipou muitas inovações, hoje não temos tanta estrutura física e psicológica para homeoffice, mas a pandemia trouxe isso. Busque fazer o diferente, inovar, seja criativo, não seja mediano, a economia está acelerando e é um grande momento para os jovens aproveitarem esse momento e oportunidade, como Associação Empresarial, cursos que a prefeitura está oferecendo”. 


Balneário vem investindo em incentivo ao empreendedorismo e criatividade nas escolas .

..

Foto: JEPP incentiva criatividade e empreendedorismo nas escolas de Balneário (Foto Secretaria de Educação de Balneário Camboriú)

Marilene Cardoso

Secretária de Educação de Balneário Camboriú

“A Secretaria Municipal de Educação, em parceria com o SEBRAE, firmada em 2017 para a implementação de um projeto piloto de empreendedorismo, a fim de estimular a criatividade e o pensamento crítico dos estudantes. O programa, intitulado JEPP – Jovens Empreendedores Primeiros Passos, promove a formação de profissionais para conduzir os estudantes a uma mudança cultural e atividades práticas de inovação e empreendedorismo. 

Ainda, a Lei 4.499, de 29 de dezembro de 2020, “dispõe sobre a inclusão dos temas educação financeira e empreendedorismo no currículo das escolas a partir do 6º ano do ensino fundamental, educação de jovens e adultos da rede municipal de ensino da Cidade de Balneário Camboriú”. 

No que tange à inclusão de noções de empreendedorismo e inovação no conteúdo programático do ensino fundamental da rede, a Lei nº 4154, de 12 de julho de 2018 instituiu em todas as escolas públicas da Rede Municipal a Semana do Empreendedorismo, comemorada na primeira semana de novembro, com o objetivo de realizar atividades didáticas para a promoção da cultura empreendedora, dentre outras. 

A Semana do Empreendedorismo faz parte do calendário escolar anual e é aberta para alunos, comunidade e empresas locais. 

Ainda, as escolas do município já fizeram a adesão ao Programa Aprender Valor, que é uma iniciativa do Banco Central do Brasil que tem como objetivo estimular o desenvolvimento de competências e habilidades de Educação Financeira e Educação para o Consumo em estudantes das escolas públicas brasileiras. 

Os professores de Ensino Fundamental terão formação on-line a partir de setembro, na qual serão capacitados a realizar projetos escolares que integrem Educação Financeira a diferentes componentes curriculares, de modo transversal e integrado. 

Buscando uma proposta da educação empreendedora como uma estratégia para o desenvolvimento pleno dos estudantes e, ao mesmo tempo, incremento para o crescimento econômico, social, político e cultural do município, a Secretaria Municipal de Educação aderiu ao Programa Educação Empreendedora Sebrae, a fim de preparar os gestores para a elaboração de um plano de gestão que os ajude a superar os desafios e incertezas provenientes de 2020, mas que também aponte para novas perspectivas e oportunidades. 

Além disso, há a parceria com o Conselho da Juventude, com cursos profissionalizantes para os 9° anos, de forma online, e com a Univali, SEBRAE e BC Investimentos com o projeto Futuros Disruptivos – Geração de criativos e Bio Inovadores, para os alunos de 8° e 9° que tiverem interesse, ainda com data a definir. Na primeira etapa aderimos ao Programa Aprender Valor e na segunda etapa será a continuidade do JEPP, em 2022”. 


Camboriú irá oferecer cursos profissionalizantes para os jovens já neste segundo semestre 

Prefeito de Camboriú diz que cidade terá cursos de capacitação para jovens neste semestre (Prefeitura de Camboriú)

O prefeito de Camboriú, Elcio Kuhnen, destaca que a cidade vizinha também foca no futuro profissional de seus jovens moradores e que inclusive estaria participando de várias reuniões focadas na retomada de crescimento do comércio e da indústria. 

“Além de cursos de capacitação para jovens, estamos estudando a possibilidade de no Ensino Médio utilizar o contraturno também para ensino profissionalizante. Contratamos através do Senai, cursos na área de Corte e Costura, Gastronomia, Confeitaria, Cerâmica, Mestre de Obras, Elétrica e Industrial, e outros cursos voltados para a área de Marcenaria que iremos implantar em Camboriú e já iremos começar quatro cursos agora no segundo semestre, provavelmente setembro, mas temos vários projetos focados na capacitação de jovens para inseri-los com qualidade no mercado de trabalho”, informa.


Futuro profissional:
Balneário e Camboriú possuem diversas opções de faculdades 

Univali de Balneário possui mais de 30 opções de cursos (Unival)

É comum qualquer criança ser questionada com a clássica pergunta ao longo da infância: “O que você quer ser quando crescer?”. Hoje, há em Balneário Camboriú diversas instituições de ensino superior, como as particulares Universidade do Vale do Itajaí – Univali, que em seu campus na cidade conta com mais de 30 cursos, entre opções EAD e presencial e o Centro Universitário Avantis – UniAvan, com 29 cursos, também com versões EAD e presencial.  

Entre as instituições públicas, se destaca a Udesc, que conta com campus em Balneário onde há os cursos de Administração Pública, Engenheira de Petróleo e Pedagogia (EAD). 

Na vizinha Camboriú fica o Instituto Federal Catarinense (antigo Colégio Agrícola), com Ensino Médio integrado ao Ensino Técnico (cursos de Informática, Hospedagem, Agropecuária e Controle Ambiental) e as graduações (Bacharelado em Agronomia, Bacharelado em Sistemas de Informação, Licenciatura em Matemática, Licenciatura em Pedagogia, Tecnologia em Negócios Imobiliários e Tecnologia em Sistemas para Internet).


Polo tecnológico em Balneário –
projeto está em desenvolvimento 

Bairro Nova Esperança seria o potencial local para o Polo tecnológico de Balneário (PMBC)

Inspirada em Florianópolis, Balneário Camboriú também planeja ter um polo tecnológico. O local que receberia empresas que poderiam vir para a cidade neste sentido seria o Bairro Nova Esperança, inclusive citado no Masterplan de Jaime Lerner. Esta seria uma economia para o futuro da cidade, que hoje tem como seus dois principais pilares o turismo e a construção civil. 

O polo tecnológico foi destacado no plano de governo do prefeito Fabrício Oliveira ainda em seu primeiro mandato, em 2017, mas até hoje não avançou. 

Segundo a presidente da BC Investimentos, Maria Pissaia, responsável pelo trâmite, houve a apresentação do projeto conceitual do Masterplan, com ênfase nas áreas do Bairro Nova Esperança, onde o polo poderia ser implantando. 

“Neste momento estamos fazendo o mapeamento das áreas do entorno, bem como o levantamento do zoneamento e das alterações necessárias para comportar o polo tecnológico no local”, disse. 


Afinal, como está a procura por emprego? 

Há vagas – SINE e SIME recebem jovens em Balneário (PMBC)

Balneário Camboriú conta com dois sistemas gratuitos de busca de emprego, o Sistema Nacional de Emprego (SINE) e o Sistema Municipal de Empregos de Balneário Camboriú (SIME). 

SINE 

O SINE, que fica na Rua 2.550, no centro de Balneário, com mais de 160 vagas disponíveis na quarta-feira (18). Segundo a assistente social do posto de Balneário Camboriú, Kelly Crócomo, em relação aos jovens (16 a 25 anos) de Balneário Camboriú, o que percebem é que há sim uma procura grande por vagas de emprego. 

“Tanto presencialmente em nosso posto de atendimento (através de agendamento prévio, mais informações (47) 3398-6066 das 12h30 às 18h30) como através de nossos meios eletrônicos (aplicativo SINE Fácil e site maisemprego.mte.gov.br) do qual estes acabam tendo maior facilidade de acesso”, diz. 

Ela salienta que, como muitos desses jovens não possuem experiência profissional comprovada em carteira, acabam não tendo preferência por vaga ou área de trabalho. Querem apenas um local que os aceitem sem experiência. Que possa dar a oportunidade deles se inserirem no mercado de trabalho e aprender na prática um novo ofício”, explica. 

Já aqueles que tem experiência profissional, segundo Kelly, acabam dando preferência pela área administrativa, uma vez que o horário de trabalho e os dias de trabalho (segunda a sexta-feira) permitem que eles possam conciliar trabalho e estudo. 

SIME 

O Sistema Municipal de Empregos de Balneário Camboriú (SIME) divulgou no início desta semana que possuía 198 vagas de emprego cadastradas. No total, 44 vagas são femininas, 82 masculinas, 64 gerais e oito para Pessoas com Deficiência (PcD). 

O SIME conta com uma divisão específica para iniciantes e há disponível atualmente as vagas de costureira, vendedor, auxiliar de cozinha, auxiliar de produção, recepcionista, serviços gerais, atendente de buffet, pedreiro, operador de caldeira, ajudante de montagem, entregador, auxiliar de produção, atendente, fonoaudióloga, estagiário e manicure e depilação. 

  • Os interessados devem ir pessoalmente ao SIME com documento oficial com foto e comprovante de residência em mãos para realizar o cadastro no sistema. O atendimento ocorre das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira, na Rua Itália, nº 1.059 – Bairro das Nações. As empresas que quiserem fazer o cadastro para ofertar vagas podem enviar e-mail para [email protected], ligar para o número do SIME (47) 3344-2559 ou ir até o local.

Selo Empresa Amiga da Juventude já foi aprovado na Câmara, mas ainda não foi colocado em prática 

Selo foi de autoria da vereadora Juliana Pavan, que cobra que lei entre em prática (Gabinete Juliana Pavan)

Foi aprovado em sessão legislativa em maio o projeto de autoria da vereadora Juliana Pavan que cria o Selo Empresa Amiga da Juventude, que tem como objetivo incentivar empresas instaladas em Balneário Camboriú a proporcionarem condições de acessibilidade ao primeiro emprego aos jovens matriculados na rede municipal de ensino. A vereadora sugere que as empresas que aderirem recebam algum incentivo, como dedução de tributos, mas isso precisará ser definido pelo governo municipal, pois se constasse em seu projeto ele seria visto como inconstitucional. (Saiba mais sobre o projeto aqui)

Segundo a vereadora, o prefeito Fabrício Oliveira já sancionou o projeto, mas ele ainda não foi colocado em prática e diz que ‘fica bem sentida com isso’, porque não tem como deixar essa lei se perder. 

Ainda antes do projeto ser aprovado, Juliana teve reunião online com o Conselho da Juventude e os jovens passaram sugestões que foram colocadas como emendas. 

“Me coloquei à disposição para futuras conversas, comentei com o prefeito semana passada, mas ele não soube responder nem o que seria a contrapartida para as empresas que entrassem no Selo; nem o departamento de Juventude veio buscar informações, sendo que tivemos reuniões anteriores e discussões, o mínimo que deveriam ter era interesse. Não vou deixar que o projeto se perca, pois as pessoas gostaram da ideia e me cobram para saber como está, pois seria um grande incentivo e apoio aos nossos jovens”, diz. 

Ela aproveita para citar que quando teve sua primeira audiência com o prefeito, ainda em janeiro, falou com ele sobre a indicação para incentivo de criação de startups na cidade, através de deduções de tributos, por exemplo.

“Na época, ele ligou para a Maria Pissaia (da BC Investimentos) e me disse que conversariam sobre e ficou por isso. Novamente, semana passada, questionei se havia alguma novidade a respeito desse assunto e do polo tecnológico e ele me disse o que eu disse pra ele, a mesma sugestão sobre estar estudando dedução de imposto como forma de incentivo”, completa.


Representantes do turismo, construção civil e comércio opinam

“É gratificante para nós darmos um bom exemplo nesse começo profissional” 

Tatiana Cequinel

Presidente do Grupo Embraed, construtora e incorporadora sediada em Balneário Camboriú

Tatiana (Embraed)

“Nós temos uma parceria com o Senai, onde a gente dispõe as vagas e eles enviam as pessoas que estão inscritas. Já houve alguns menores aprendizes que foram efetivados, o que é muito gratificante porque é difícil você sair da faculdade e achar um emprego, imagina quando você não tem faculdade ainda! É uma coisa que a gente preza muito, buscamos sempre ter um número suficiente de menores aprendizes e não tratamos como criança e sim como profissionais, já que tem uma chance de serem profissionais muito bons se os ensinarmos e acompanharmos desde esse comecinho. 

Quando você passa de emprego por emprego, vai formando uma cultura e se torna um profissional qualificado ou não. Se você pega um jovem, na hora da ‘sementinha’ e plantar coisas boas na cabeça dele, a gente tem certeza que a pessoa estará caminhando para ter uma carreira baseada em bons exemplos. Alguns deram certo, outros não deram, já tivemos situações de menor que tinha muito conflito em casa e não conseguia ter um bom desenvolvimento no trabalho. Todo gestor que acompanha o menor aprendiz tem a responsabilidade de cuidar de onde esse jovem vem e levar isso em conta no desenvolvimento da pessoa, houve quem conseguiu passar por isso e continuou na empresa, outros não deu certo, mas seguimos acompanhando mesmo sem estar na empresa. 

É gratificante para nós darmos um bom exemplo nesse começo profissional. 

Também pegamos estagiários das faculdades, como UniAvan e Univali, de Arquitetura, Engenharia. 

Nosso RH tem uma pilha de currículos para analisar (risos). Uma vez escutei que os primeiros 10 anos da vida profissional definem a tua aposentadoria, então é uma fase muito sensível. A mão-de-obra da região é qualificada e na Embraed temos uma cultura diferente, e vai da pessoa querer se adaptar ou não”.


“Os estagiários precisam aprender na prática” 

Nelson Nitz

Proprietário da N. Nitz Construtora e Incorporadora e presidente do Sindicato da Construção Civil de Balneário Camboriú (Sinduscon BC)

Nelson Nitz (Sinduscon)

“O maior problema que temos é a legislação trabalhista, que não permite contratarmos menores de idade, só +18, mas temos programas de estagiários junto de universidades. São contratados estagiários das mais diversas áreas, Arquitetura, Engenharia, Direito, é um negócio bacana porque oportuniza ao estudante o aprendizado prático e para a empresa mão-de-obra qualificada. 

Muitos são contratados após o estágio e é muito importante para a vida profissional e para as empresas renovarem seu quadro de funcionários, com profissionais novos que trazem também novas técnicas. 

A construção civil é muito ‘artesã’ e precisamos de pessoas que saibam trabalhar e que queiram aprender fazer bem feito. Os estagiários precisam aprender na prática, porque na sala de aula eles não conseguem entender como funciona o dia a dia profissional. 

E, quando o aluno se forma, é difícil ser contratado se não teve nenhum tipo de experiência profissional”.


“Incentivamos os empresários a contratar e dar essa primeira oportunidade para os jovens” 

Olga Ferreira

Presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Bares, Restaurantes e Similares de Balneário Camboriú e Região (Sechobar), trabalhou na hotelaria por mais de 20 anos, tendo começado como camareira, depois como recepcionista, setor de reservas, chefe de reservas e então gerente comercial e de vendas

Olga Ferreira (Sechobar)

“Esse grande aumento de empresas de fastfood como Burger King, McDonald’s, Subway, Bob’s, etc., foi um grande ‘celeiro’ de profissionais que começaram na categoria do turismo. 

O Sechobar tem uma cláusula direcionada para o primeiro emprego, incentivamos os empresários a contratar e dar essa primeira oportunidade para os jovens de nossa cidade. 

O salário é um pouco menor, mas eles querem trabalhar. Por exemplo, quem entra em restaurante não é garçom e sim cumin [ajudante de garçom]. Ele que monta e retira a mesa, etc. É só você pensar quantos empresários e artistas começaram como garçom e garçonete, até a Madonna! 

O turismo conta com um leque de oportunidades. O menino pode começar como mensageiro, a garota como camareira, para quem está estudando Administração ou Contabilidade pode ser auxiliar de escritório. 

Há muitas opções para os jovens, são eles os futuros profissionais e precisam buscar qualificação também. 

Logo chega o verão, época em que abrem muitas vagas em nosso setor, digo para os jovens que venham com vontade de trabalhar, enquanto os outros tiram férias, nós trabalhamos, mas é muito compensador! 

O Sechobar representa o Conselho Regional do Senac e temos como pauta a criação de uma escola técnica para Turismo e Gastronomia, e será realidade muito em breve. Teremos um prédio de cinco andares na Avenida Osvaldo Reis, vamos formar muitas pessoas nessa que é a maior indústria do mundo, o turismo. 

Balneário é um grande polo turístico, com turismo o ano todo. A segunda língua é realmente essencial, com o inglês como destaque, e temos muitas escolas de inglês, inclusive franquias criadas aqui (KNN, Get it e Rockfeller). 

Os nossos cursos de qualificação do Sechobar contam com módulos em inglês e espanhol, porque é óbvio que precisa haver interesse também por parte dos empresários em quererem em seus estabelecimentos pessoas qualificadas, e esses profissionais, como um recepcionista bilíngue, precisam receber mais do que o sem formação. Mão-de-obra qualificada sai mais caro e exige política de cargos e salários de acordo com qualificação”. 


“Muitos diziam que sonhavam em trabalhar na loja” 

Luciene Cristine Vieira

É proprietária das lojas Luciene Calçados e Confecções e da Shopmasp (antiga Marcelo Sports), ela também integra a diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Balneário Camboriú

Luciene (Arquivo pessoal)

“A Shopmasp está há mais de 30 anos em Balneário, antes de chamava Marcelo Sports, e por isso sempre foi porta de entrada para muitos jovens, atraía-os por ser diferenciada. Muitos diziam que sonhavam em trabalhar na loja (risos). Meu pai sempre foi muito atuante na CDL, foi presidente da entidade e também do Sindilojas, e por siso acompanhamos o início do Jovem Aprendiz e ‘abraçamos’ essa causa. 

A nossa loja sempre era escolhida na época, isso no início dos anos 2000 mais ou menos, porque éramos abertos a recebê-los. Eles aprendiam na prática. No começo, os menores vinham com uma formação muito forte, sabiam sobre cupom fiscal, técnicas de venda, tinham uma noção muito grande de como funcionava um negócio e vejo que isso se perdeu um pouco. 

Não sei se foi mudança de geração, temos acompanhado uma mudança grave também na educação, antes havia uma mentalidade de que a educação é o único caminho, que por mais difícil e caro que fosse, o jovem sabia que precisava estudar, e vejo que houve uma ‘ruptura’ negativa quanto a isso. 

Por décadas, tivemos o lema de não precisar de experiência, gostávamos de ensinar, os jovens vinham ‘secos’ de aprendizado, mas queriam saber sobre a tecnologia dos tênis, achavam o máximo o que passávamos. 

Éramos reconhecidos pelo nosso bom atendimento, outras empresas se espelhavam e queriam contratar nossos funcionários por terem trabalhado conosco. 

Há promotores de Justiça que trabalharam na loja, advogados, gerente de banco. 

Alguns funcionários desse começo estão conosco até hoje, alguns gerenciam nossas franquias, outros compraram [a franquia]. 

Ainda temos jovens trabalhando, tem um que começou recentemente que é o primeiro emprego dele, mas agora fazemos questão de contratar quem já tem experiência. É preciso estudar, mesmo que tenha tudo na internet, você precisa saber. O inglês é essencial também, é o que abre portas. 

Em Balneário vivemos de turismo, sem ele não vamos vender, é a nossa força, e se queremos atrair visitantes ainda mais qualificados, precisamos saber inglês. Só vamos crescer com turismo internacional”.


- Publicidade -
- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -