- Publicidade -
20.5 C
Balneário Camboriú

Vida noturna voltou com força total: Balneário Camboriú e região têm opções para todos os gostos, inclusive Oktoberfest

A vida noturna de Balneário Camboriú sempre foi um atrativo à parte, atraindo milhares de jovens do Brasil e do exterior que procuram por agito, com casas noturnas renomadas e bares para todos os gostos. Com a pandemia, muitos foram afetados e tiveram que se reinventar, ‘fazendo do limão uma limonada’, como é o caso do Beto Carrero World, que lançou a sua Oktoberfest em 2020 e está com a 2ª edição, que segue até dia 15.

Agora, quase dois anos depois, bares e casas noturnas se preparam para uma temporada que promete ser muito movimentada, trazendo novidades e agenda até mesmo com shows nacionais. Acompanhe.

.

Oktoberfest no Beto Carrero

Oktober no Beto Carrero vem fazendo sucesso (foto Renata Rutes)

A reportagem do Página 3 esteve na Oktober do Beto Carrero na noite de 23 de outubro (sábado). Assim como nos finais de semana que o antecederam e nesse último do feriadão, estava chovendo. Muitas pessoas comentavam que faltou a instalação de uma tenda em frente ao palco principal (logo na entrada), para que assim pudessem curtir mais as bandas típicas (são 10 ao total comandando a animação, entre elas: Banda Cavalinho, Vox 3, Montanari, Society, Banda do Barril e muitas outras) que se apresentavam. 

Sem isso, a maioria das pessoas optou por ficar na praça de alimentação – onde também há um palco, enquanto outras se aventuravam pelos brinquedos (incluindo os radicais, como as montanhas-russas), que funcionam à noite. 

Tem ainda competição de Chopp em metro, do Barril e do Serrador.

Quiosques de comida se espalham pelo parque (foto Renata Rutes)

Tirando isso, a Oktoberfest do parque, que é o maior da América Latina, é uma ótima experiência que vale ser conferida. Há diversos quiosques de comidas típicas e chopp por toda a área central do parque.

A batata recheada da Oktober do Beto Carrero (foto Renata Rutes)

A repórter do Página 3 provou bolinhos de linguiça Blumenau (R$ 25 – vem 7 unidades), cachorro-quente alemão com chucrute (muito bem servido – por R$ 29) e a clássica batata recheada (R$ 29 – normalmente vem uma grande, mas serviram duas por serem menores) – tudo muito gostoso. 

O cardápio completo com os valores pode ser conferido aqui

O preço vale a pena, porque a comida é realmente muito boa. A maior demora nas filas (cerca de 5 a 10 minutos) é para pegar o chopp, normalmente a comida você pede e já recebe na hora.

Um destaque positivo é que a maioria das pessoas usava máscara no parque, com exceção de quem estava comendo e/ou bebendo, é claro. 

O parque está com ingressos especiais, por R$ 69,90 ou R$ 34,95 (meia-entrada) que valem para a Night Session (das 17h às 23h – sextas e sábados), mas há também o passaporte normal por R$ 129,90 (compre aqui) – quem já estiver no local durante o dia não paga valor adicional, só o passaporte regular. Quem vai de traje típico (Fritz e Frida) ganha um copo de chopp de 400 ml.

Oktober segue até 15 de novembro (foto Guma Miranda)

A Oktoberfest do Beto Carrero vai até o dia 15 de novembro e conta com horário estendido. Nas quartas e quintas até 21h, e nas sextas, sábados e vésperas de feriado até 23h.


Shed Club com novidades:
casa não é mais exclusivamente sertaneja

SHED agora é Club (foto SHED Club)

Andando pela Avenida Atlântica de Balneário Camboriú há diversas opções de bares, restaurantes e baladas – muitos deles são temáticos, com música ao vivo e cardápio recheado de delícias, como gastronomia oriental, pratos típicos da região (frutos do mar) e drinks especiais. 

Uma das casas noturnas mais famosas de Balneário é a Shed, que se reinventou com a pandemia e agora une arte, gastronomia e música, em um espaço moderno, que atende ao público de quinta-feira a domingo.

A responsável pelo Marketing da Shed Club, Manuela Sartori, conta que a pandemia foi utilizada pela casa para passar por um processo de rebranding, onde perguntaram ao público se fazia sentido aquilo que estavam propondo. 

“Uma ex-casa sertaneja (até então era a Shed Western Bar), que agora ia ter restaurante, galeria de arte e etc. No início era muita informação, mas com o tempo a gente conseguiu organizar a bagunça. Por isso, utilizamos a frase ‘Faz sentido pra você?’, e também ‘como pode melhorar?’, que fizeram parte desses momentos de ‘cocriação’, onde estruturamos toda a nossa comunicação para ouvir o nosso público. E a partir desses feedbacks fomos nos ajustando por aqui”, diz.

Rota dos Sentidos

Gastronomia agora é um dos pilares da Shed (Foto Evie Sushi)

A primeira transformação radical, foi ‘abandonar’ o sertanejo como ritmo exclusivo (agora a Shed têm eletrônico e pagode – aos domingos) e, segundo Manu, isso impactou diretamente no abandono também da logo antiga (que trazia um violão como destaque). 

“E aí já não tinha mais jeito, não éramos mais a Shed Bar. Nos tornamos o Shed Club. Club no nome porque consegue agregar tudo o que somos/queremos ser daqui pra frente. Depois, entendemos a importância de oferecer uma nova experiência para o nosso público, que fosse além da transformação musical. Com isso, adicionamos gastronomia e arte aos nossos pilares. E nos tornamos o Shed Club, um club com música, gastronomia e arte. Fomos nos ajustando nesse processo, e percebemos que não adiantaria adicionar comida, bebida, galeria de arte, se a gente não mexesse com o público de uma forma diferente”, explica.

Por isso, a Shed decidiu então trabalhar com os cinco sentidos (ou Rota dos Sentidos, como chamam na casa – inclusive com um ‘cheiro especial’ desenvolvido para o empreendimento) – as coordenadas Norte, Sul, Leste e Oeste. 

Cada coordenada representa um espaço dentro do Club: o lado Norte é o ‘coração’ da casa, onde fica o palco; na coordenada Sul estão os bares (como na parte de cima, onde fica o bar street art e na parte de baixo o bar principal da casa); no lado Leste (no segundo andar e no deck da frente), está localizada a parte gastronômica da casa, que é focada na gastronomia oriental, assinada pelo Evie Sushi; e na parte Oeste fica a galeria assinada pelo projeto Open Street Gallery, que traz mensalmente novidades. 

“Esse mix todo de novidades precisava de uma tagline para acompanhar a marca, e agora temos um play, junto com a assinatura ‘Play no agora’, já que dentro do momento em que estamos vivendo, não sabemos o dia de amanhã, né?”, acrescenta.

Vem novidade por aí:
projeto de comédia estreia dia 19 

.

Renato Albani será a primeira atração do SHED Comedy Art (foto Divulgação)

Diante de tanta novidade, Manuela destaca que a Shed não para por aí e que os cuidados sanitários também seguem – como uso de máscara e distanciamento entre mesas. 

“Nos reinventamos e também vamos trazer o projeto Shed Comedy Art, em parceria com a Agência Hausen e que estreia neste próximo dia 19, às 21h, com o show do comediante Renato Albani. A proposta é que seja quinzenal e esperamos trazer grandes nomes da comédia nacional ao longo do verão”, conta. 

A venda de mesas para quatro pessoas vão começar em breve – mais informações via WhatsApp: (47) 98465-0468 / (47) 98454-2656.

Os ingressos para a festa de Réveillon também logo começarão a ser comercializados (espaços de camarote e mesas, com venda sob reservas, também via WhatsApp). Será open bar e com diversas atrações como os DJs Kako, Margot e Anão, ainda sertanejo com Lucas & Kadi, Alex & Willian, funk com MC Lisa e a atração principal da noite, o cantor Jerry Smith, unindo eletrônico, sertanejo e funk.

Manu aponta ainda que entre dezembro e janeiro também devem acontecer diversos shows nacionais na casa. “Acreditamos que esse verão vai ser um momento de recomeço e reencontros, que é o momento em que as pessoas vão querer vir matar a saudade de tudo que não viveram nesses quase 2 anos, e que venham com sede e saudade, com S de Shed (risos)”, completa.


Habbitat, na Brava, também se reinventou, unindo música e gastronomia

Bruninho e Davi agitaram o beach club no feriado (foto Habbitat)

A Praia Brava de Itajaí também é famosa por unir agito e gente bonita. No local, fica o beach club Habbitat. Um dos sócios, Jonathan Lugano (mais conhecido como Carioca), relembra que a pandemia foi ‘cruel’ porque afetou desde artistas até equipe de limpeza, garçons, bartenders, seguranças, etc.

“O Habbitat, antes da pandemia, empregava cerca de 100 pessoas em dia de show, podendo chegar a 200 pessoas e aí reduzimos para 50, mas agora, com a volta dos shows nacionais (no último feriado teve A Liga, Inimigos da HP e Bruninho & Davi) estamos conseguindo voltar. O movimento sempre foi alto, e com esses três últimos shows tivemos ‘sold out’. A pandemia mudou muita coisa, incluindo os shows, que ficaram mais caros – a contratação dos artistas, a logística, a gasolina, e com isso não damos mais cortesias, e o público precisa entender isso”, diz, afirmando que o club é para famílias e também para quem busca agito – com pluralidade na música (pagode, funk, sertanejo, eletrônico – ‘sem rótulos’).

O sócio do Habbitat, Carioca (foto Habbitat)

O local também foi reestruturado e agora investe na gastronomia – com pratos típicos da região e até mesmo churrasco e feijoada aos finais de semana, além de sushi no rooftop e sobremesas especiais, tudo aos cuidados do chef Junior Negrini, que foca na alta gastronomia.

Habbitat se reinventou e aposta na gastronomia (foto Habbitat)

“A fiscalização sempre ficou bem em cima, e nós somos muito corretos com o distanciamento das mesas e camarotes, agora que está relaxando um pouco, com o movimento um pouco maior e pessoal levantando, etc. O nosso alvará é para 1.900 pessoas e estão vindo cerca de 1.000. Somos um beach club, aos finais de semana e no verão abrimos a partir das 12h e não fechamos mais. No verão também teremos atendimento na praia, com parceria com marcas como Itaipava, Anasol e Bio Extratus, porque cuidamos muito dessa questão da experiência do cliente”, conta.

Carioca aproveita para citar que a pandemia ensinou ele e a sua equipe sobre a união, e que cada salário da equipe representa uma família que precisa para se sustentar. 

“A pandemia mostrou que ninguém é melhor do que ninguém. Uniu a nossa equipe, nos tornamos uma família, trabalhando com mais vontade e dedicação, até os artistas sentem isso, você vê a emoção deles por retornarem ao palco. O pós-pandemia será de valorizar cada tempo, e acredito que a retomada, nesse verão, será bem forte”, comenta.

Agenda recheada de atrações nacionais

Lucas Lucco se apresenta no Habbitat em janeiro (foto Divulgação)

O Habbitat deu o ‘start’ na agenda de shows nacionais e trará diversos artistas conhecidos, confira abaixo:

  • 13/11 – Gaab
  • 14/11 – Hungria;
  • 20/11 – Suel;
  • 27/11 – Duo de DJs Elekfantz;
  • 11/12 – Lauana Prado;
  • 18/12 – Douglas & Vinícius;
  • 27/12 – Teo & Edu e MC Kekel;
  • 28/12 – John Amplificado;
  • 29/12 – Rodriguinho;
  • 30/12 – DJ Lucas Beat
  • 31/12 – Réveillon com A Liga, MC Pedrinho e Gustavo Mota (open bar e open food – ingressos estão quase esgotados);
  • 01/01 – Grupo Presença;
  • 02/01 – Kevin O Chris;
  • 05/01 – MC Poze;
  • 08/01 – Lucas Lucco;
  • 09/01 – Jeito Moleque;
  • 15/01 – Mumuzinho

No final de setembro, o jornal publicou uma reportagem sobre o retorno dos eventos, incluindo o Carnaval 2022 – que está sendo organizado – e o club Green Valley (relembre aqui), que volta com agenda em dezembro, inclusive com festa de Réveillon.


- Publicidade -
- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -