- Publicidade -
- Publicidade -
16.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Atleta da Afadefi representa Balneário Camboriú no camping do Comitê Paralímpico Brasileiro

O atleta Lucas Raphael Bernardo Salvador, 17 anos, da Afadefi, representa Balneário Camboriú no camping promovido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, que está acontecendo em Blumenau desde domingo (24) até o próximo sábado (30).

Lá estão concentrados atletas e treinadores da seleção brasileira, para atividades práticas e teóricas com o técnico da Seleção Brasileira da modalidade, Everaldo Braz Lúcio.

- Publicidade -

O objetivo do Comitê Paralímpico Brasileiro com o Camping em Blumenau é incentivar a prática do esporte paralímpico no estado de Santa Catarina e observar paratletas para possíveis convocações em competições nacionais e internacionais.

A delegação está composta por 35 paradesportistas, entre paratletas, técnicos e comissão técnica do CBP. 

Entre os participantes estão paratletas medalhistas das últimas Paralimpíadas, paratletas ranqueados mundialmente e paratletas que serão observados pelo Comitê Paralimpico Brasileiro (CPB).

“ Ter essa oportunidade está sendo uma experiência incrível. Estou tendo a oportunidade de estar com o alto rendimento e com certeza estarei ainda mais capacitado nos meus próximos campeonatos esportivos”, disse Lucas. 

- Publicidade -

O técnico de Lucas é Caique Rovigo, que justificou a convocação do atleta, porque ele vem apresentando um crescimento muito grande no seu rendimento.

“Lucas iniciou seu treinamento em 2018, sempre representando a Afadefi/FMEBC. Ele é um atleta que vem se destacando e por isso teve a oportunidade de ir até Blumenau participar do camping. Com base nos resultados obtidos nesses anos vejo que o Lucas em breve terá outras grandes oportunidades como essa”, disse.

Ele segue dizendo que o camping veio em forma de convite pela APESBLU, que é um centro de formação habilitado pelo  Comitê Paralímpico Brasileiro.

- Publicidade -

“Lucas é atleta da classe F12, que enquadra paratletas com baixa visão. Ele já no nascimento teve complicações com toxoplasmose que gerou hidrocefalia que por consequência comprometeu a visão”, contou o treinador.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: