- Publicidade -
- Publicidade -
26.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Brusque FC enfrentará o Joinville no Estádio das Nações, mas sem torcida

A decisão veio após a recomendação do Ministério Público e da Polícia Militar, que apontaram falta de segurança para jogos profissionais com torcida no local (relembre aqui), comprovada após uma briga de torcidas ocorrida no jogo do último sábado (27) quando o Brusque enfrentou o Figueirense.

Mazinho disse que será respeitada a recomendação do Ministério Público e também o novo laudo apresentado pela Polícia Militar na tarde desta sexta-feira (20).

“Se houver condições de fazer melhorias, seguindo o laudo da PM, junto com a equipe do Brusque FC tentaremos fazer as reformas devidas para ter as torcidas novamente. Mas, se não for possível, os jogos continuarão sem torcida, porque nós, prefeitura de Balneário Camboriú, Brusque FC, Ministério Público e Polícia Militar, preservamos antes de tudo pela vida das pessoas”, acrescentou o superintendente.

- Publicidade -

PM emitiu novo laudo, reafirmando falta de estrutura

O Comandante do 12BPM de Balneário Camboriú, Eder Jaciel, já havia dito ao Página 3 que não há nenhuma condição de permitir torcida no Estádio das Nações (relembre aqui), o que foi reafirmado com o laudo apresentado na tarde desta sexta (2).

O jornal reproduz abaixo a nota enviada pela Polícia Militar à imprensa:

“Na tarde do dia primeiro de fevereiro de 2024, após reunião entre representante do Ministério Público, Polícia Militar, Dirigentes do Brusque Futebol Clube e Federação Catarinense de Futebol, para tratar dos assuntos relacionados à segurança do Estádio Municipal Eduardo Zeferino Tiago, uma comissão de policiais do 12ºBPM realizou nova vistoria na praça desportiva.

Durante a vistoria buscou-se realizar o levantamento de pontos críticos, bem como realizar os apontamentos necessários para regularização visando salvaguardar a integridade dos torcedores e atletas. Nesta vistoria foi observado o perímetro interno e externo, o que culminou na lavratura da Termo de Notificação de Risco de Quebra da Ordem Pública.

Dentre os principais apontamentos, destaca-se que o Estádio Municipal Eduardo Zeferino Tiago não comporta receber eventos esportivos com público, visto estar localizado em área residencial, e desta forma, não apresenta local de estacionamento para comportar o fluxo de veículos dos torcedores, além de causar sérios transtornos a mobilidade nos dias dos jogos. Também restou evidenciado que não há local adequado para o desembarque dos atletas e comissão técnica, devendo ser realizado em via pública, em meio aos torcedores.

Quanto a estrutura física do estádio, inicialmente observou-se que o muro situado atrás das arquibancadas dos torcedores não apresenta altura adequada, podendo ser facilmente acessada pelos imóveis locais, e desta forma, poderia servir de acesso a torcedores não pagantes e que não passaram por revista, assim como pode contribuir para o acesso de objetos não permitidos na praça desportiva. Já na parte das arquibancadas, tanto na área dos visitantes quanto na área destinada à torcida local foram observadas várias irregularidades, sendo observados diversos pontos com presença de pedras e de resíduos de construção, objetos estes que podem servir como armas, conforme foram arremessadas no último dia 27JAN24, durante o 17º jogo da 3ª Rodada do Campeonato Catarinense Fort Atacadista Série A 2024, entre as equipes do Brusque e Figueirense, momento em que torcedores do Brusque realizaram o arremesso de objetos contra torcedores do Figueirense e estes passaram a tentar invadir a arquibancada do Brusque.

Em alguns pontos, foi constatado que a estrutura de alvenaria do estádio, arquibancada, paredes, piso, poste, estão em processo de degradação, possibilitando a retirada de pedaços com as mãos. Referente aos aparatos de retenção, alambrados, restou evidenciado a fragilidade, pela qualidade do material e pela altura das anteparas que podem ser facilmente transpostas, assim como foi observado que em alguns pontos a própria estrutura auxilia a transposição. Outra grave situação constatada foi a presença de caixas de disjuntores de fácil acesso aos torcedores, assim como foi observado a presença de cabos de transmissão de energia passando pelo solo. Também, foi verificado na tenda instalada na área de ingresso dos torcedores locais, uma extensão de energia sem qualquer tipo de aterramento, fato este que põe em risco a segurança dos usuários em caso de curto-circuito desta fonte de energia.

- Publicidade -

Também restou evidenciado a fragilidade do sistema de monitoramento, uma vez que ambos os setores das torcidas possuem uma caixa central de internet, rede utilizada no sistema de monitoramento sem proteção, de fácil acesso aos torcedores, e desta forma, podem ser facilmente desligadas e desativadas. Também foi verificado a inexistência de sinalização de emergência informando os lugares de saída.

Diante das constatações, sugere-se que o Estádio Municipal Eduardo Zeferino Tiago não está apto a receber eventos esportivos com a presença de público”.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -