- Publicidade -
- Publicidade -
19.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Projeto do Instituto Atletismo Balneário Camboriú foi aprovado pelo governo federal

Todas as empresas que declaram lucro real podem deduzir 1% do imposto e investir no IABC

Balneário Camboriú é um dos 60 centros de descoberta de novos talentos da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) há quatro anos. Dos 60 centros do país, 20 são da categoria Ouro e o atletismo de Balneário Camboriú está entre os 20, ou seja, somos um dos melhores centros de formação de atletismo no país.

Equipe de rendimento já participou de 15 seleções brasileiras (Divulgação/IABC)

O atletismo de Balneário Camboriú teve mais de 15 participações em seleções brasileiras, com atletas locais disputando campeonatos sul-americanos, pan-americanos, mundiais (jovem e adulto) e possivelmente terá atletas convocados para a próxima Olimpíada.

Para chegar neste nível, é preciso reconhecer o desempenho, o incentivo e a paixão pelo esporte que formam o tripé que move os técnicos Daiana e Diogo Gamboa, que estão à frente da equipe de atletismo de Balneário Camboriú há 9 anos.

- Publicidade -
A técnica Daia Gamboa em ação (Divulgação/IABC)

Daiana ou Daia, como é conhecida entre os atletas, conta que neste período foram várias adequações, foram aumentando a equipe, os resultados começaram a despontar, porque Balneário Camboriú sempre teve um ou outro atleta em destaque, principalmente no salto com vara e na velocidade.

“Conseguimos expandir isso para outras provas dando mais corpo à equipe, atendendo mais atletas e despontando com resultados maiores a níveis nacionais e internacionais”, disse Daia.

Nesta reportagem Daia conta as várias fases deste cenário e porque considera importante as empresas conhecerem o trabalho para incentivá-las a ajudar o IABC. Acompanhe:

A escolinha é a base

“Retornamos com a escolinha, hoje atendemos crianças a partir dos 6 anos. Ano passado mais de 150 crianças passaram pela escolinha de atletismo, o que já está dando uma base legal para os próximos anos. A parte da escolinha é mais o social, muito importante para o desenvolvimento das crianças como pessoas, como cidadãos. Nesta fase ainda nem pensamos neles como atletas e sim na formação de valores”.

Fundação de Esportes tem limites

“Passamos por várias fases, e alguns partidos políticos e aprendemos aos poucos que a Fundação de Esportes é limitada. Faz o que pode para ajudar, mas tem uma verba específica que precisa ser destinada a várias modalidades, muitas categorias e a nossa equipe acabou criando um corpo maior. Nos últimos anos, Diogo e eu viemos pensando o que fazer para sustentar essa equipe, que por ser grande, acaba sendo uma equipe cara. Por ex: nos Jogos Abertos fomos com 35 atletas. Isso tem um custo alto. Mas para conseguir todos esses resultados, é preciso participar de mais competições e sabemos que uma hora isso vai se tornar inviável para a Fundação”.

A criação do IABC

“Por isso, há alguns anos fazemos algumas ações por fora com auxílio de outras pessoas, de amigos e da Confederação Brasileira, que ajuda com uma verba porque somos um centro de formação de atletas categoria Ouro. 

Mas o crescimento e o desenvolvimento acarretam gastos maiores e então fundamos o IABC. 

- Publicidade -

Nos últimos anos tem acontecido na prefeitura toda um movimento de terceirização, o handebol, o vôlei, eles têm sua instituição, e há algum tempo a Fundação tem conversado com os professores e nós entendemos a política deles de que a gente não tem que depender exclusivamente da Fundação”.

Projeto aprovado 

“Então regularizamos toda parte burocrática do IABC, regulamentamos, comecei a estudar, fazer cursos, fizemos um projeto e este projeto agora foi aprovado no Ministério da Cidadania, ou seja, o governo nos autorizou a captar 1% das empresas que são lucro real”.

Empresas 

“Hoje queremos divulgar para Balneário Camboriú e todos os lugares que as empresas que declaram lucro real podem deduzir 1% do imposto delas, ou seja, não gastam 1 real a mais por isso, simplesmente ao invés de pagar ao governo, elas direcionam, ao nosso projeto 1%. E esse valor tem duas funções: primeiro e mais importante, a parte social, as empresas de grande porte, principalmente as que estão em Balneário Camboriú tem assim uma oportunidade de devolver um pouco do que a cidade já fez por elas. Acreditamos que uma empresa de qualquer segmento que está em Balneário Camboriú tem o dever social com a comunidade, que a auxiliou de alguma maneira a chegar onde está. É um dever moral das empresas de grande porte devolver um pouco. E segundo, é também uma ação de marketing, pode estampar seu nome na equipe de atletismo de Balneário Camboriú e ter seu nome vinculado à pessoas de bem, ótimos atletas e ótimos resultados. Hoje desde a parte social até o rendimento conseguimos fazer em Balneário Camboriú. Esse projeto vem para dar mais estrutura, vamos investir em melhoria de equipamentos, oferecer cesta básica para os atletas da escolinha, melhorar materiais, como uniformes, sapatilhas, viajar mais porque precisamos cada vez competir mais e mais. No próximo ano provavelmente teremos nossos atletas fazendo a primeira temporada na Europa. A Fundação ajuda um pouco, a sociedade acaba ajudando com rifa, mais uma ajuda da Confederação, mas agora com esse projeto conseguimos melhorar nossa estrutura e estas empresas podem nos ajudar a colocar a nossa equipe entre as melhores do país. Hoje não contratamos atletas, não temos atletas de fora, todo trabalho é com pessoas que moram aqui e esse dinheiro com certeza vai servir para dar melhor estrutura para os treinadores, atletas e iniciantes e para as crianças da escolinha”. 

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -