- Publicidade -
- Publicidade -
29.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Aeroporto Santos Dumont só terá voos para SP e Brasília; demais ficam com Galeão, diz Paes

(Sofia Aguiar/Agência Estado)

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), anunciou que o Aeroporto Santos Dumont passará a ser de ponte aérea Congonhas-Rio e Brasília-Rio; já o Aeroporto do Galeão receberá os demais voos domésticos. Segundo o prefeito, contudo, a decisão não é imediata.

O anúncio foi feito após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta quarta-feira, 14, no Palácio do Planalto. “O presidente Lula deu o comando”, garantiu o prefeito. Em sua avaliação, a mudança é “importantíssima, sob todos os aspectos”

- Publicidade -

Apesar de o Aeroporto Santos Dumont não oferecer voos diretos com destino internacional, Paes citou o fato de um passageiro fazer o check-in no local e pegar a carga no destino final. “Isso não será mais possível”, afirmou.

O prefeito afirmou que as medidas não terão efeito imediato. “Você tem passagens vendidas por sei lá, seis meses, então provavelmente essas medidas vão valer a partir de janeiro”, declarou.

“É uma decisão política; não vai prejudicar Guarulhos, não vai prejudicar ninguém. É dessas coisas que o Brasil tem a jabuticaba e a burrice humana às vezes; interesse dos outros que a gente não sabe nem de onde veio”, disse. Em sua avaliação, a decisão aponta para uma recuperação do Aeroporto do Galeão.

Concessão

Conforme o prefeito do Rio, o tema da concessão conjunta entre os aeroportos não foi conversado. “Estou comemorando a vitória de hoje; o que vamos fazer depois com a concessão estou à disposição do governo federal para ajudar”, disse.

“Tem uma burocracia, certos cuidados e zelos, que têm que ser tomados. A Changi, concessionária do Galeão, já disse que quer ficar. Desistiu de desistir. Mas eu sinceramente não estou aí para quem vai ficar; acho que é bom ela ficar, mas tem que ter as condições de ela ficar”, declarou. “O que importa é que tenha voos no Galeão.”

Na segunda-feira, 12, o governador do Rio, Cláudio Castro (PL), conversou com Lula sobre uma gestão compartilhada dos Aeroportos Santos Dumont e do Galeão. A administração dos dois terminais aéreos seria feita em parceria entre União, Estado e prefeitura

- Publicidade -

Para o prefeito, a gestão compartilhada é um caminho. “Pode ser uma alternativa, mas esse tema é absolutamente irrelevante neste momento. Pode ser um caminho para superar a dificuldade jurídica”, pontuou.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -