- Publicidade -
- Publicidade -
30 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Direito da Univali de Balneário Camboriú conquista Selo Excelência em ação do TJSC

Estudantes conduziram audiências conciliatórias relacionadas ao transporte aéreo de passageiros

O curso de Direito da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), campus Balneário Camboriú, conquistou o Selo Excelência por obter o primeiro lugar na iniciativa “Além do Jogo” promovida pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) e a Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear).

A ação visa qualificar audiências de conciliação relacionadas ao tema do transporte aéreo de passageiros para reduzir a judicialização de conflitos no setor. O resultado foi divulgado oficialmente na quinta, 7. 

O time da Univali foi representado por 10 estudantes do Estágio de Práticas Jurídicas 1, supervisionados pelas professoras Márcia Sarubbi Lippmann e Patricia Elias Vieira.

- Publicidade -

A atividade, que teve início em setembro, foi organizada pela Coordenadoria Estadual do Sistema dos Juizados Especiais e do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Cojepemec), do TJSC. Envolveu a participação de oito Instituições de Ensino Superior e as companhias Azul, Gol e Latam, representadas pela Abear e pela Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata).

O objeto foi disseminar a cultura da conciliação entre os acadêmicos e proporcionar uma vivência prática na área de gestão de conflitos, com base no padrão indicado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Deste modo, o projeto propôs uma experiência piloto em forma de jogo, na qual os estudantes de Direito tiveram a oportunidade de conduzir audiências conciliatórias como aprendizes, sendo supervisionados por professores, mediadores e conciliadores credenciados.

“O advogado representa as pessoas na busca e defesa de direitos e, para isso, pode usar de diferentes caminhos ou portas, entre elas a conciliação. Ficamos honrados em participar ao lado de pessoas que efetivamente trabalham o Direito como ferramenta de acesso à justiça em conexão com a formação jurídica dos acadêmicos.”, afirmou a professora Patricia Elias Vieira.

A docente Márcia Sarubbi Lippmann, considerou a oportunidade edificante por conectar ensino, prática e inovação para transformar a maneira como os alunos veem e resolvem conflitos.

“Uma experiência que vai prepará-los não apenas para serem excelentes profissionais, mas também agentes de mudança na sociedade e difusores da cultura da paz.”, acrescentou.

Mariana Dorigon Machado, uma das estudants que participou da iniciativa, classificou a experiência como extraordinária.

“Atuar como conciliadora aprendiz me proporcionou valiosos aprendizados em negociação e compreensão prática jurídica e enfatizou a importância fundamental da postura do advogado para o êxito das conciliações.”, reconheceu a acadêmica.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -